Investigação aponta que Alemão pegaria “carona” em tentativa de resgate de colega de presídio
FUGA

Investigação aponta que Alemão pegaria “carona” em tentativa de resgate de colega de presídio

Uma das hipóteses investigadas pela inteligência do sistema carcerário mostra que quadrilha que planejou a ação queria libertar outro preso. Alemão fugiria de “carona”

Por Tribuna do Ceará em Jornal Jangadeiro

9 de agosto de 2017 às 19:11

Há 2 meses
Alemão pegaria “carona” em tentativa de resgate de colega de presídio (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Alemão pegaria “carona” em tentativa de resgate de colega de presídio (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Desde a entrada de Antônio Jussivan Alves dos Santos, o Alemão, no Instituto Doutor José Frota (IJF), policiais militares permanecem dentro e fora da unidade com grande aparato de escolta. O mentor do Furto ao Banco Central foi baleado ao tentar fugir de penitenciária em Pacatuba, na terça-feira (8).

Apesar da fama de Alemão, envolvido no furto de mais de R$ 164 milhões, o alvo do resgate não seria ele. A TV Jangadeiro apurou que uma das hipóteses investigadas pela inteligência do sistema carcerário aponta que a quadrilha que planejou a ação queria libertar outro preso. Alemão fugiria de carona.

O preso é Antônio Carlito Avelino, o “Boi”, que também foi ferido, mas já voltou ao sistema prisional, de acordo com a Secretaria de Justiça. “Boi” é um velho conhecido no mundo do crime. A TV Jangadeiro teve acesso a um documento que mostra a longa trajetória dele na polícia e no sistema prisional.

Em 1990, Antônio Carlito chegou ao antigo IPPOO pelo crime de receptação. Voltou menos de um ano depois por furto. Em seguida, teve prisão decretada por homicídio. Em 1998, retornou por roubo e formação de quadrilha. Durante 10 anos, Boi passou por vários presídios.

Em 2009, chegou ao IPPS acusado de roubo. A partir de 2011, passou pelas penitenciárias federais de Rio Grande do Norte, Paraná, Mato Grosso do Sul e Rondônia. Ano passado, em abril, voltou ao Ceará transferido do município de Campo Grande. É apontado como um preso perigoso, com perfil de liderança, experiente e respeitado pelos outros detentos.

Um terceiro preso que faria parte do resgate seria Paulo Laércio Pereira de Freitas, conhecido como “Cabecinha”, condenado em 2005, por homicídio, a 18 anos de reclusão. Teve outras passagens por roubo e receptação. Cabecinha passou pela penitenciária federal do Paraná. Em 2014, chegou a receber o benefício de monitoramento por tornozeleira eletrônica, mas se tornou foragido até ser novamente preso e voltar à penitenciária de Pacatuba.

Motivação

A tentativa de resgate teria sido motivada pelo temor de uma transferência de presos de Pacatuba para o sistema penitenciário federal. Nas unidades mantidas pela União, as regras costumam ser mais duras.

Fabiano de Souza da Silva, de 39 anos, foi flagrado no entorno do presídio com uma motocicleta furtada. Ele foi preso suspeito de ser o “olheiro” do bando que atacou a unidade prisional. A princípio, Fabiano foi autuado por receptação. Caso seja comprovada a participação dele no grupo que tentava libertar os detentos, pode ser indiciado por outros crimes.

Na madrugada desta terça-feira (8), os presos teriam serrado grades e usaram uma corda artesanal conhecida como “teresa” para tentar chegar à área externa da penitenciária.

Confira todos os detalhes na reportagem do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT:

Veja outros vídeos do Jornal Jangadeiro.

Publicidade

Dê sua opinião

FUGA

Investigação aponta que Alemão pegaria “carona” em tentativa de resgate de colega de presídio

Uma das hipóteses investigadas pela inteligência do sistema carcerário mostra que quadrilha que planejou a ação queria libertar outro preso. Alemão fugiria de “carona”

Por Tribuna do Ceará em Jornal Jangadeiro

9 de agosto de 2017 às 19:11

Há 2 meses
Alemão pegaria “carona” em tentativa de resgate de colega de presídio (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Alemão pegaria “carona” em tentativa de resgate de colega de presídio (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Desde a entrada de Antônio Jussivan Alves dos Santos, o Alemão, no Instituto Doutor José Frota (IJF), policiais militares permanecem dentro e fora da unidade com grande aparato de escolta. O mentor do Furto ao Banco Central foi baleado ao tentar fugir de penitenciária em Pacatuba, na terça-feira (8).

Apesar da fama de Alemão, envolvido no furto de mais de R$ 164 milhões, o alvo do resgate não seria ele. A TV Jangadeiro apurou que uma das hipóteses investigadas pela inteligência do sistema carcerário aponta que a quadrilha que planejou a ação queria libertar outro preso. Alemão fugiria de carona.

O preso é Antônio Carlito Avelino, o “Boi”, que também foi ferido, mas já voltou ao sistema prisional, de acordo com a Secretaria de Justiça. “Boi” é um velho conhecido no mundo do crime. A TV Jangadeiro teve acesso a um documento que mostra a longa trajetória dele na polícia e no sistema prisional.

Em 1990, Antônio Carlito chegou ao antigo IPPOO pelo crime de receptação. Voltou menos de um ano depois por furto. Em seguida, teve prisão decretada por homicídio. Em 1998, retornou por roubo e formação de quadrilha. Durante 10 anos, Boi passou por vários presídios.

Em 2009, chegou ao IPPS acusado de roubo. A partir de 2011, passou pelas penitenciárias federais de Rio Grande do Norte, Paraná, Mato Grosso do Sul e Rondônia. Ano passado, em abril, voltou ao Ceará transferido do município de Campo Grande. É apontado como um preso perigoso, com perfil de liderança, experiente e respeitado pelos outros detentos.

Um terceiro preso que faria parte do resgate seria Paulo Laércio Pereira de Freitas, conhecido como “Cabecinha”, condenado em 2005, por homicídio, a 18 anos de reclusão. Teve outras passagens por roubo e receptação. Cabecinha passou pela penitenciária federal do Paraná. Em 2014, chegou a receber o benefício de monitoramento por tornozeleira eletrônica, mas se tornou foragido até ser novamente preso e voltar à penitenciária de Pacatuba.

Motivação

A tentativa de resgate teria sido motivada pelo temor de uma transferência de presos de Pacatuba para o sistema penitenciário federal. Nas unidades mantidas pela União, as regras costumam ser mais duras.

Fabiano de Souza da Silva, de 39 anos, foi flagrado no entorno do presídio com uma motocicleta furtada. Ele foi preso suspeito de ser o “olheiro” do bando que atacou a unidade prisional. A princípio, Fabiano foi autuado por receptação. Caso seja comprovada a participação dele no grupo que tentava libertar os detentos, pode ser indiciado por outros crimes.

Na madrugada desta terça-feira (8), os presos teriam serrado grades e usaram uma corda artesanal conhecida como “teresa” para tentar chegar à área externa da penitenciária.

Confira todos os detalhes na reportagem do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT:

Veja outros vídeos do Jornal Jangadeiro.