Clima de moradores é de tensão após 10 meses da chacina de Curió

CRIME

Clima entre moradores continua de tensão após 10 meses da chacina de Curió

A rotina de um dia comum segue em Curió, mas pelas localidades ninguém esquece a chacina que manchou Messejana de sangue

Por Tribuna do Ceará em Jornal Jangadeiro

8 de setembro de 2016 às 17:21

Há 3 anos
Das onze vítimas apenas duas tinham pendenciam com a justiça. (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Das onze vítimas apenas duas tinham pendenciam com a justiça. (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

A rotina de um dia comum segue em Curió, mas pelas localidades ninguém esquece a chacina que manchou Messejana de sangue. Quase dez meses depois dos 11 homicídios e sete feridos, mesmo com os suspeitos presos, não é todo mundo que comenta sobre o assunto.

Ainda hoje existe um clima de apreensão entre os moradores. Os detalhes daquela noite só são repassados quando a câmera de reportagem está desligada. No depoimento de um morador, ele afirma que todas as vítimas antes de serem executadas foram questionadas sobre quem teria matado o soldado Serpa no dia 11 de novembro de 2015, após tentar defender sua esposa de um assalto.

O Ministério Publico Estadual comprovou a ação de policiais na chacina durante uma coletiva no dia 1 de setembro. No mesmo dia, foi apresentado vídeos de uma câmera de segurança e áudios de conversa entre policiais, além de relatos de algumas testemunhas. Das 11 vítimas, apenas duas tinham pendência com a Justiça, mas com crime de menor potência ao ofensivo. Dos 45 policias denunciados pela Justiça, 44 estão presos no 5º Batalhão Policial.  

 

Veja outros vídeos do Jornal Jangadeiro

Publicidade

Dê sua opinião

CRIME

Clima entre moradores continua de tensão após 10 meses da chacina de Curió

A rotina de um dia comum segue em Curió, mas pelas localidades ninguém esquece a chacina que manchou Messejana de sangue

Por Tribuna do Ceará em Jornal Jangadeiro

8 de setembro de 2016 às 17:21

Há 3 anos
Das onze vítimas apenas duas tinham pendenciam com a justiça. (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Das onze vítimas apenas duas tinham pendenciam com a justiça. (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

A rotina de um dia comum segue em Curió, mas pelas localidades ninguém esquece a chacina que manchou Messejana de sangue. Quase dez meses depois dos 11 homicídios e sete feridos, mesmo com os suspeitos presos, não é todo mundo que comenta sobre o assunto.

Ainda hoje existe um clima de apreensão entre os moradores. Os detalhes daquela noite só são repassados quando a câmera de reportagem está desligada. No depoimento de um morador, ele afirma que todas as vítimas antes de serem executadas foram questionadas sobre quem teria matado o soldado Serpa no dia 11 de novembro de 2015, após tentar defender sua esposa de um assalto.

O Ministério Publico Estadual comprovou a ação de policiais na chacina durante uma coletiva no dia 1 de setembro. No mesmo dia, foi apresentado vídeos de uma câmera de segurança e áudios de conversa entre policiais, além de relatos de algumas testemunhas. Das 11 vítimas, apenas duas tinham pendência com a Justiça, mas com crime de menor potência ao ofensivo. Dos 45 policias denunciados pela Justiça, 44 estão presos no 5º Batalhão Policial.  

 

Veja outros vídeos do Jornal Jangadeiro