Apesar das chuvas em janeiro, nível dos reservatórios permanecem baixos

PRÉ-ESTAÇÃO CHUVOSA

Apesar das chuvas em janeiro, nível dos reservatórios permanece baixo

É preciso continuar economizando água e torcer para que as precipitações aumentem

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

13 de Fevereiro de 2018 às 07:00

Há 7 dias
A média de chuvas no Ceará foi de 71 milímetros (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

A média de chuvas no Ceará foi de 71 milímetros (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Apesar do registro das chuvas em janeiro, não houve recarga nos principais açudes do estado. Então é preciso continuar economizando e torcer para que as precipitações aumentem nas regiões onde estão localizados os reservatórios. É o que mostra na matéria do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT. 

Fazer o uso consciente da água é fundamental para a convivência dos cearenses com a seca prolongada.

Em janeiro, mês de pré-estação chuvosa, a média de chuvas no Ceará foi de 71 milímetros, 28% abaixo do acumulado histórico para o período.

Choveu mais no Maciço de Baturité e no litoral de Fortaleza. Já o centro-sul do estado foi o que teve menos precipitações. O problema é que nessa região estão os grandes reservatórios. Em janeiro, não houve recarga. O Castanhão começou o ano com 2,65% da capacidade total. Hoje, está com 2,21%. O volume do Orós baixou de 6,15% para 5,75%. No Banabuiú, a situação é ainda pior: caiu de 0,49% para 0,46%.

A Funceme explica que as chuvas dessa época são bastante irregulares e pouco intensas. São boas apenas para preparar o solo para o período de fevereiro a maio. Para que haja reposição de água nos açudes, é preciso chover bem no centro-sul, especialmente nas cabeceiras dos rios.

Veja todos os detalhes na matéria do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT: 

Veja outros vídeos do Jornal Jangadeiro.

Publicidade

Dê sua opinião

PRÉ-ESTAÇÃO CHUVOSA

Apesar das chuvas em janeiro, nível dos reservatórios permanece baixo

É preciso continuar economizando água e torcer para que as precipitações aumentem

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

13 de Fevereiro de 2018 às 07:00

Há 7 dias
A média de chuvas no Ceará foi de 71 milímetros (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

A média de chuvas no Ceará foi de 71 milímetros (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Apesar do registro das chuvas em janeiro, não houve recarga nos principais açudes do estado. Então é preciso continuar economizando e torcer para que as precipitações aumentem nas regiões onde estão localizados os reservatórios. É o que mostra na matéria do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT. 

Fazer o uso consciente da água é fundamental para a convivência dos cearenses com a seca prolongada.

Em janeiro, mês de pré-estação chuvosa, a média de chuvas no Ceará foi de 71 milímetros, 28% abaixo do acumulado histórico para o período.

Choveu mais no Maciço de Baturité e no litoral de Fortaleza. Já o centro-sul do estado foi o que teve menos precipitações. O problema é que nessa região estão os grandes reservatórios. Em janeiro, não houve recarga. O Castanhão começou o ano com 2,65% da capacidade total. Hoje, está com 2,21%. O volume do Orós baixou de 6,15% para 5,75%. No Banabuiú, a situação é ainda pior: caiu de 0,49% para 0,46%.

A Funceme explica que as chuvas dessa época são bastante irregulares e pouco intensas. São boas apenas para preparar o solo para o período de fevereiro a maio. Para que haja reposição de água nos açudes, é preciso chover bem no centro-sul, especialmente nas cabeceiras dos rios.

Veja todos os detalhes na matéria do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT: 

Veja outros vídeos do Jornal Jangadeiro.