Clássico-Rei é marcado por duelo de técnicos; veja melhores lances do jogo

HAJA CORAÇÃO!

Clássico-Rei é marcado por duelo de técnicos; veja melhores lances do jogo

Com gol de Gabriel Pereira, Fortaleza venceu o Ceará no primeiro Clássico-Rei do ano

Por Nordestv em Jogo aberto

23 de Janeiro de 2017 às 17:15

Há 11 meses
O protagonista do jogo foi o cartão amarelo (FOTO: Reprodução/Nordestv)

O protagonista do jogo foi o cartão amarelo (FOTO: Reprodução/Nordestv)

Duelo de técnicos para marcar o primeiro Clássico-Rei do ano, entre Ceará e Fortaleza. Enquanto Gilmar Dal Pozzo esbanjava tranquilidade, Hemerson Maria era só concentração, como mostra a reportagem do Jogo Aberto, da Nordestv/Band.

No campo, os papéis se inverteram. Foi Gilmar que evitou dar entrevista, ficou para Hemerson a missão de falar sobre o adversário. “Gilmar é um treinador que treina muito bem as suas equipes, e encontrou uma equipe estruturada, onde deu continuidade ao trabalho. É uma equipe muito boa na transição, então temos que ter muita atenção para, quando estivermos atacando, não levarmos o contragolpe”.

O domingo (22) foi marcado por um jogo onde, certamente, o duelo dos técnicos na beira do gramado seria só um ingrediente a mais. O Ceará começou melhor. Era eficiente na criação de jogadas, mas encontrava pela frente um Marcelo Boeck iluminado.

As roubadas de bola já não eram mais tão inocentes. Empurra-empurra e discussão eram comuns. O Clássico-Rei mostrou duelos interessantes. Um goleiro tentando defender melhor que o outro. O ataque alvinegro contra a defesa tricolor. Quase impossível furar esse bloqueio. “Fica difícil, adversário se fechou bem”, comenta Gilmar Dal Pozzo.

O protagonista do jogo foi o cartão amarelo. Ele apareceu seis vezes só nos primeiros 45 minutos. O Ceará só não imaginava que esse protagonista fosse causar sérios problemas no segundo tempo. Lelê recebeu cartão amarelo após falta dura em Juninho Potiguar. No começo do segundo tempo, tomou o segundo cartão. Ceará com um a menos.

Em seguida, em um lance de defesa de Everson, a bola sobrou para Gabriel Pereira, que calculou bem e manda de cobertura: 1 x 0. “Eu vi que ele ia sair. Não sei se ia segurar a bola, dominei, vi que estava fora do gol e bati por cima”, comemora Gabriel Pereira.

E olha que o Ceará estava melhor no jogo. Havia perdido uma chance clara com Douglas Baggio. Mas, depois do gol, o troca-troca foi inevitável. Entraram Alex Amado, Rafael Costa e Diones na equipe alvinegra. Hemerson Maria, que também perdeu Gastón Filgueira de olho, respondia às ações de Dal Pozzo. “Nós nos encontramos aqui. É aquela coisa, tenho respeito, amizade, mas é cada um pro seu lado”, disse Hemerson Maria.

Dessa vez não deu para o técnico Alvinegro. Na batalha tática, melhor para Hémerson Maria. Vitória em um clássico para aliviar a pressão e quebrar a hegemonia de Gilmar Dal Pozzo.

Confira mais detalhes na reportagem do Jogo Aberto, da Nordestv/Band:

Veja outros vídeos do Jogo Aberto.

Publicidade

Dê sua opinião

HAJA CORAÇÃO!

Clássico-Rei é marcado por duelo de técnicos; veja melhores lances do jogo

Com gol de Gabriel Pereira, Fortaleza venceu o Ceará no primeiro Clássico-Rei do ano

Por Nordestv em Jogo aberto

23 de Janeiro de 2017 às 17:15

Há 11 meses
O protagonista do jogo foi o cartão amarelo (FOTO: Reprodução/Nordestv)

O protagonista do jogo foi o cartão amarelo (FOTO: Reprodução/Nordestv)

Duelo de técnicos para marcar o primeiro Clássico-Rei do ano, entre Ceará e Fortaleza. Enquanto Gilmar Dal Pozzo esbanjava tranquilidade, Hemerson Maria era só concentração, como mostra a reportagem do Jogo Aberto, da Nordestv/Band.

No campo, os papéis se inverteram. Foi Gilmar que evitou dar entrevista, ficou para Hemerson a missão de falar sobre o adversário. “Gilmar é um treinador que treina muito bem as suas equipes, e encontrou uma equipe estruturada, onde deu continuidade ao trabalho. É uma equipe muito boa na transição, então temos que ter muita atenção para, quando estivermos atacando, não levarmos o contragolpe”.

O domingo (22) foi marcado por um jogo onde, certamente, o duelo dos técnicos na beira do gramado seria só um ingrediente a mais. O Ceará começou melhor. Era eficiente na criação de jogadas, mas encontrava pela frente um Marcelo Boeck iluminado.

As roubadas de bola já não eram mais tão inocentes. Empurra-empurra e discussão eram comuns. O Clássico-Rei mostrou duelos interessantes. Um goleiro tentando defender melhor que o outro. O ataque alvinegro contra a defesa tricolor. Quase impossível furar esse bloqueio. “Fica difícil, adversário se fechou bem”, comenta Gilmar Dal Pozzo.

O protagonista do jogo foi o cartão amarelo. Ele apareceu seis vezes só nos primeiros 45 minutos. O Ceará só não imaginava que esse protagonista fosse causar sérios problemas no segundo tempo. Lelê recebeu cartão amarelo após falta dura em Juninho Potiguar. No começo do segundo tempo, tomou o segundo cartão. Ceará com um a menos.

Em seguida, em um lance de defesa de Everson, a bola sobrou para Gabriel Pereira, que calculou bem e manda de cobertura: 1 x 0. “Eu vi que ele ia sair. Não sei se ia segurar a bola, dominei, vi que estava fora do gol e bati por cima”, comemora Gabriel Pereira.

E olha que o Ceará estava melhor no jogo. Havia perdido uma chance clara com Douglas Baggio. Mas, depois do gol, o troca-troca foi inevitável. Entraram Alex Amado, Rafael Costa e Diones na equipe alvinegra. Hemerson Maria, que também perdeu Gastón Filgueira de olho, respondia às ações de Dal Pozzo. “Nós nos encontramos aqui. É aquela coisa, tenho respeito, amizade, mas é cada um pro seu lado”, disse Hemerson Maria.

Dessa vez não deu para o técnico Alvinegro. Na batalha tática, melhor para Hémerson Maria. Vitória em um clássico para aliviar a pressão e quebrar a hegemonia de Gilmar Dal Pozzo.

Confira mais detalhes na reportagem do Jogo Aberto, da Nordestv/Band:

Veja outros vídeos do Jogo Aberto.