"Comemos manga na merenda, no almoço e no jantar", diz mulher que sustenta 9 pessoas com R$ 200

DESIGUALDADE SOCIAL

“Comemos manga na merenda, no almoço e no jantar”, diz mulher que sustenta 9 pessoas com R$ 200

Segundo o IBGE, em 2017 os mais ricos ganharam 36 vezes mais do que os mais pobres no Brasil. Em Fortaleza, a desigualdade é acentuada

Por TV Jangadeiro em Gente na TV

22 de Abril de 2018 às 07:15

Há 6 meses
 Famílias improvisa casas com papelão e madeira para sobreviver  (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Famílias improvisam casas com papelão e madeira para sobreviver  (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Acordar, não ter o que comer, não ter direito a uma moradia digna, não ter acesso a um saneamento básico, e também enfrentar o desemprego. Essa é a realidade de milhares de pessoas que vivem em situação de pobreza no Ceará.

O cenário habitacional no estado é um forte indício de desigualdade social, principalmente quando a pobreza está a poucos metros de moradias de alto padrão.

Essa constatação faz parte de pesquisa divulgada pelo IBGE. Em 2017, os ricos do país ganharam 36 mais do que os mais pobres.

Enquanto alguns vivem com a conta bancária recheada, outros como dona Francisca Maria têm que fazer malabarismos para sustentar a família de nove pessoas com R$ 200. “Nós comemos manga, merendamos manga, almoçamos manga e jantamos manga. Muitas vezes eu dou café com farinha para meus filhos”, relata.

Veja mais detalhes vídeo da matéria do programa Gente na TV, da TV Jangadeiro/SBT:

Veja outros vídeos do Gente na TV.

 

Publicidade

Dê sua opinião

DESIGUALDADE SOCIAL

“Comemos manga na merenda, no almoço e no jantar”, diz mulher que sustenta 9 pessoas com R$ 200

Segundo o IBGE, em 2017 os mais ricos ganharam 36 vezes mais do que os mais pobres no Brasil. Em Fortaleza, a desigualdade é acentuada

Por TV Jangadeiro em Gente na TV

22 de Abril de 2018 às 07:15

Há 6 meses
 Famílias improvisa casas com papelão e madeira para sobreviver  (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Famílias improvisam casas com papelão e madeira para sobreviver  (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Acordar, não ter o que comer, não ter direito a uma moradia digna, não ter acesso a um saneamento básico, e também enfrentar o desemprego. Essa é a realidade de milhares de pessoas que vivem em situação de pobreza no Ceará.

O cenário habitacional no estado é um forte indício de desigualdade social, principalmente quando a pobreza está a poucos metros de moradias de alto padrão.

Essa constatação faz parte de pesquisa divulgada pelo IBGE. Em 2017, os ricos do país ganharam 36 mais do que os mais pobres.

Enquanto alguns vivem com a conta bancária recheada, outros como dona Francisca Maria têm que fazer malabarismos para sustentar a família de nove pessoas com R$ 200. “Nós comemos manga, merendamos manga, almoçamos manga e jantamos manga. Muitas vezes eu dou café com farinha para meus filhos”, relata.

Veja mais detalhes vídeo da matéria do programa Gente na TV, da TV Jangadeiro/SBT:

Veja outros vídeos do Gente na TV.