Travesti assassinada a tiros teria sido ameaçada por facção em Fortaleza
CRUELDADE

Travesti assassinada a tiros teria sido ameaçada por facção em Fortaleza

“Um marginal já tinha colocado a arma na cabeça dela avisando pra ela não ir mais para ali”, conta uma colega da vítima

Por TV Jangadeiro em Barra Pesada

3 de outubro de 2017 às 16:00

Há 3 semanas

Natália tinha 45 anos (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Uma travesti de 45 anos foi assassinada no Centro de Fortaleza. Natália Moura estava nas proximidades de um motel quando foi surpreendida por disparos de arma de fogo.

Ainda não se sabe o que motivou o crime. As colegas de Natália alegam que a vítima era uma pessoa boa e não costumava se envolver em problemas. Outras travestis que frequentam o local estão assustadas.

Já segundo uma das colegas que prefere não se identificar, Natália teria se envolvido em problemas de facções rivais. “É negócio de facção, lá antigamente era uma boca de fumo, só que o comando de lá mudou. Um marginal já tinha colocado a arma na cabeça dela avisando pra ela não ir mais para ali. Ela tinha bebido e foi lá comprar cigarro, aí pronto, aconteceu”, revela.

Confira mais detalhes na matéria do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT:

Publicidade

Dê sua opinião

CRUELDADE

Travesti assassinada a tiros teria sido ameaçada por facção em Fortaleza

“Um marginal já tinha colocado a arma na cabeça dela avisando pra ela não ir mais para ali”, conta uma colega da vítima

Por TV Jangadeiro em Barra Pesada

3 de outubro de 2017 às 16:00

Há 3 semanas

Natália tinha 45 anos (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Uma travesti de 45 anos foi assassinada no Centro de Fortaleza. Natália Moura estava nas proximidades de um motel quando foi surpreendida por disparos de arma de fogo.

Ainda não se sabe o que motivou o crime. As colegas de Natália alegam que a vítima era uma pessoa boa e não costumava se envolver em problemas. Outras travestis que frequentam o local estão assustadas.

Já segundo uma das colegas que prefere não se identificar, Natália teria se envolvido em problemas de facções rivais. “É negócio de facção, lá antigamente era uma boca de fumo, só que o comando de lá mudou. Um marginal já tinha colocado a arma na cabeça dela avisando pra ela não ir mais para ali. Ela tinha bebido e foi lá comprar cigarro, aí pronto, aconteceu”, revela.

Confira mais detalhes na matéria do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT: