Rosier Alexandre: "Viver fazendo apenas o que gosta é mito"

QUAL O SEU EVEREST?

Rosier Alexandre: “Viver fazendo apenas o que gosta é mito”

É um grave erro julgar a vida de outros apenas por um momento público sem conhecer os bastidores, sem ter noção do preço pago pela construção daquilo

Por Tribuna do Ceará em Rosier Alexandre

30 de outubro de 2017 às 11:01

Há 3 semanas

Muita gente cultiva o mito de que pode viver fazendo apenas o que gosta. Para complicar, esse mito é fortalecido por uma série de frases de grandes líderes. Porém são frases soltas, superficiais e fora do contexto em que eles escreveram ou falaram.

É impossível viver fazendo somente aquilo que nos dá prazer, isso é uma ilusão. Nenhum líder ou empresário, por mais inspirado ou rico que seja, viverá neste país fantasioso. O que existem são pessoas sensatas e sábias que abraçam um trabalho com dedicação e responsabilidade.

Estas pessoas conseguem estabelecer um propósito e com isso encontram sentido para a sua vida e para o seu trabalho e sentem prazer com ele, mas isso não implica em dizer que daí pra frente é só alegria.

Quem assiste a um show da Ivete Sangalo, por exemplo, e pensa que ela ganha dinheiro se divertindo, não faz ideia das milhares de horas de ensaio e do sacrifício dela e da sua equipe que trabalham virando noites e mais noites sem pregar o olho.

É um grave erro julgar a vida de outros apenas por um momento público sem conhecer os bastidores, sem ter noção do preço pago pela construção daquilo que está sendo presentado.

Para concluir o projeto Sete Cumes e levar a bandeira brasileira ao cume da maior montanha de cada continente, eu até me diverti em algumas montanhas, mas também passei por riscos extremos algumas vezes e sofri bastante com a extrema burocracia de alguns países para conceder vistos e licenças.

Enquanto as pessoas só viam as minhas fotos nos aeroportos ou no cume das montanhas, em alguns momentos cheguei a reavaliar o projeto por conta da burocracia, do esforço físico e da distância da família.

Mas, apesar do alto preço e dos momentos difíceis e alguns até desagradáveis, eu faria tudo novamente para realizar o meu sonho grande. Parafraseando Camões eu diria “de que valeria tão curta vida se não for para tão grande amor?”

Portanto faça seu trabalho com zelo e verá sentido para ele e vai encontrar também satisfação.

Tenham todos uma excelente semana com o meu abraço do tamanho do Everest.

*Rosier Alexandre é graduado em marketing, palestrante, consultor organizacional e alpinista profissional.

A coluna “Qual o seu Everest?” é publicada no Tribuna do Ceará todas as segundas-feiras e também vai ao ar na Tribuna BandNews (FM 101.7), às 9h10.

Publicidade

Dê sua opinião

QUAL O SEU EVEREST?

Rosier Alexandre: “Viver fazendo apenas o que gosta é mito”

É um grave erro julgar a vida de outros apenas por um momento público sem conhecer os bastidores, sem ter noção do preço pago pela construção daquilo

Por Tribuna do Ceará em Rosier Alexandre

30 de outubro de 2017 às 11:01

Há 3 semanas

Muita gente cultiva o mito de que pode viver fazendo apenas o que gosta. Para complicar, esse mito é fortalecido por uma série de frases de grandes líderes. Porém são frases soltas, superficiais e fora do contexto em que eles escreveram ou falaram.

É impossível viver fazendo somente aquilo que nos dá prazer, isso é uma ilusão. Nenhum líder ou empresário, por mais inspirado ou rico que seja, viverá neste país fantasioso. O que existem são pessoas sensatas e sábias que abraçam um trabalho com dedicação e responsabilidade.

Estas pessoas conseguem estabelecer um propósito e com isso encontram sentido para a sua vida e para o seu trabalho e sentem prazer com ele, mas isso não implica em dizer que daí pra frente é só alegria.

Quem assiste a um show da Ivete Sangalo, por exemplo, e pensa que ela ganha dinheiro se divertindo, não faz ideia das milhares de horas de ensaio e do sacrifício dela e da sua equipe que trabalham virando noites e mais noites sem pregar o olho.

É um grave erro julgar a vida de outros apenas por um momento público sem conhecer os bastidores, sem ter noção do preço pago pela construção daquilo que está sendo presentado.

Para concluir o projeto Sete Cumes e levar a bandeira brasileira ao cume da maior montanha de cada continente, eu até me diverti em algumas montanhas, mas também passei por riscos extremos algumas vezes e sofri bastante com a extrema burocracia de alguns países para conceder vistos e licenças.

Enquanto as pessoas só viam as minhas fotos nos aeroportos ou no cume das montanhas, em alguns momentos cheguei a reavaliar o projeto por conta da burocracia, do esforço físico e da distância da família.

Mas, apesar do alto preço e dos momentos difíceis e alguns até desagradáveis, eu faria tudo novamente para realizar o meu sonho grande. Parafraseando Camões eu diria “de que valeria tão curta vida se não for para tão grande amor?”

Portanto faça seu trabalho com zelo e verá sentido para ele e vai encontrar também satisfação.

Tenham todos uma excelente semana com o meu abraço do tamanho do Everest.

*Rosier Alexandre é graduado em marketing, palestrante, consultor organizacional e alpinista profissional.

A coluna “Qual o seu Everest?” é publicada no Tribuna do Ceará todas as segundas-feiras e também vai ao ar na Tribuna BandNews (FM 101.7), às 9h10.