Rosier Alexandre: Se avexe não que a vida é boa!

QUAL O SEU EVEREST?

Rosier Alexandre: “Se avexe não que a vida é boa!”

Quando você desacelerar um pouco mais, deixar a pressa de lado e aprender a degustar a vida e curtir cada momento sem lembrar do relógio, com certeza será mais feliz

Por Tribuna do Ceará em Rosier Alexandre

4 de dezembro de 2017 às 09:05

Há 2 semanas

Os jovens de hoje são experts em ter pressa. Por um lado isso é bom, representa a saída do comodismo. Eles são questionadores, querem viajar pelo mundo, construir patrimônio cada vez mais rápido e crescer profissionalmente. Eles são inovadores e lidam muito bem com alta tecnologia. Esta inquietação ajudou a construir mudanças e criar soluções.

Mas por outro lado, criou também alguns entraves. Cada dia, eles queimam mais etapas, estão deixando de viver a infância e a adolescência, estão acumulando uma carga de tensão muito grande, querem tudo pra ontem, o longo prazo deles é o fim do mês.

Uma criança não tem mais o direito de ser criança e brincar com o que quiser e na hora que quiser. Além da escola, ela tem que estudar idiomas, fazer natação, futebol, ballet e assumir vários outros compromissos, a agenda precisa estar sempre lotada.

A sociedade, aqui entendida como nós, pais e tios, estamos acelerando o ritmo dos jovens, cobrando como se eles tivessem que viver tudo hoje. A escola pressiona os alunos para cada dia entrarem mais jovens na faculdade e muitos deles, antes mesmo de concluírem uma graduação, já estão matriculados no MBA. Parece que o mundo vai acabar em poucos anos.

E onde essa corrida desenfreada vai levar estes jovens? Esta urgência traz um pacote de soluções com problemas agregados. Estudos científicos indicam que cada dia aumenta mais a inquietação, a ansiedade e a depressão, são os males da sociedade moderna.

O que nós esquecemos de ensinar para esta nova geração foi a enxergar a longo prazo, a vibrar e se emocionar por uma causa e dedicar o tempo que for necessário a ela. Eu dediquei integralmente 14 anos da minha vida para escalar a maior montanha de cada continente e achei um tempo relativamente curto. Se fosse necessário um prazo maior, eu continuaria com a mesma disposição.

E você, quanto tempo está disposto a dedicar para chegar ao cume do seu Everest? Quanto tempo você para por dia para pensar na própria vida? Quando você desacelerar um pouco mais, deixar a pressa de lado e aprender a degustar a vida e curtir cada momento sem lembrar do relógio, com certeza será mais feliz. Isso é a essência da felicidade. É a vida e vida em abundância!

Se avexe não que a vida é boa! E como diria Nando Reis: “o mundo é bão Sebastião”.

Tenha uma excelente semana com o meu abraço do tamanho do Everest.

*Rosier Alexandre é graduado em marketing, palestrante, consultor organizacional e alpinista profissional.

A coluna “Qual o seu Everest?” é publicada no Tribuna do Ceará todas as segundas-feiras e também vai ao ar na Tribuna BandNews (FM 101.7), às 9h10.

Publicidade

Dê sua opinião

QUAL O SEU EVEREST?

Rosier Alexandre: “Se avexe não que a vida é boa!”

Quando você desacelerar um pouco mais, deixar a pressa de lado e aprender a degustar a vida e curtir cada momento sem lembrar do relógio, com certeza será mais feliz

Por Tribuna do Ceará em Rosier Alexandre

4 de dezembro de 2017 às 09:05

Há 2 semanas

Os jovens de hoje são experts em ter pressa. Por um lado isso é bom, representa a saída do comodismo. Eles são questionadores, querem viajar pelo mundo, construir patrimônio cada vez mais rápido e crescer profissionalmente. Eles são inovadores e lidam muito bem com alta tecnologia. Esta inquietação ajudou a construir mudanças e criar soluções.

Mas por outro lado, criou também alguns entraves. Cada dia, eles queimam mais etapas, estão deixando de viver a infância e a adolescência, estão acumulando uma carga de tensão muito grande, querem tudo pra ontem, o longo prazo deles é o fim do mês.

Uma criança não tem mais o direito de ser criança e brincar com o que quiser e na hora que quiser. Além da escola, ela tem que estudar idiomas, fazer natação, futebol, ballet e assumir vários outros compromissos, a agenda precisa estar sempre lotada.

A sociedade, aqui entendida como nós, pais e tios, estamos acelerando o ritmo dos jovens, cobrando como se eles tivessem que viver tudo hoje. A escola pressiona os alunos para cada dia entrarem mais jovens na faculdade e muitos deles, antes mesmo de concluírem uma graduação, já estão matriculados no MBA. Parece que o mundo vai acabar em poucos anos.

E onde essa corrida desenfreada vai levar estes jovens? Esta urgência traz um pacote de soluções com problemas agregados. Estudos científicos indicam que cada dia aumenta mais a inquietação, a ansiedade e a depressão, são os males da sociedade moderna.

O que nós esquecemos de ensinar para esta nova geração foi a enxergar a longo prazo, a vibrar e se emocionar por uma causa e dedicar o tempo que for necessário a ela. Eu dediquei integralmente 14 anos da minha vida para escalar a maior montanha de cada continente e achei um tempo relativamente curto. Se fosse necessário um prazo maior, eu continuaria com a mesma disposição.

E você, quanto tempo está disposto a dedicar para chegar ao cume do seu Everest? Quanto tempo você para por dia para pensar na própria vida? Quando você desacelerar um pouco mais, deixar a pressa de lado e aprender a degustar a vida e curtir cada momento sem lembrar do relógio, com certeza será mais feliz. Isso é a essência da felicidade. É a vida e vida em abundância!

Se avexe não que a vida é boa! E como diria Nando Reis: “o mundo é bão Sebastião”.

Tenha uma excelente semana com o meu abraço do tamanho do Everest.

*Rosier Alexandre é graduado em marketing, palestrante, consultor organizacional e alpinista profissional.

A coluna “Qual o seu Everest?” é publicada no Tribuna do Ceará todas as segundas-feiras e também vai ao ar na Tribuna BandNews (FM 101.7), às 9h10.