Rosier Alexandre: "Precisamos falar sobre espiritualidade nas organizações"
QUAL O SEU EVEREST?

Rosier Alexandre: “Precisamos falar sobre espiritualidade nas organizações”

E quem disse que as empresas não devem falar de espiritualidade? Devem sim tratar deste assunto

Por Tribuna do Ceará em Rosier Alexandre

20 de março de 2017 às 15:10

Há 8 meses

Por Rosier Alexandre

Existe um tema polêmico que as empresas evitam falar e é essencial pra todos nós, estou falando de ESPIRITUALIDADE. E quem disse que as empresas não devem falar de espiritualidade? Devem sim tratar deste assunto. Não podemos continuar tratando colaboradores como meras engrenagens de produzir resultados, isso é coisa da Idade Média. Precisamos tratar cada colaborador como um ser humano, quem tem emoções e sentimentos, que pode sim contribuir com o crescimento e a evolução das organizações.

Quando falamos de espiritualidade, falamos de valores morais e comportamentos que de forma alguma contradiz a nenhuma religião. Trazemos valores universais que influenciam o modo de pensar e agir das pessoas. Eu estive três vezes no Nepal e lá convivi estreitamente com os sherpas, uma etnia que vive na encosta das montanhas e nos dão suporte nas escaladas.

Do convívio com aquele povo, eu tive vários aprendizados e aqui vou trazer dois: o primeiro é que eles cultivam religiões diferentes, uma parte deles são budistas e outros hinduístas. Eles acreditam em caminhos diferentes para se ligarem a divindade de acordo com a sua crença, no entanto isso não os impede de terem respeito um pelo outro e nem mesmo de compartilharem os mesmos templos para fazerem suas orações.

O que aprendi com os sherpas? (FOTO: Divulgação)

O segundo aspecto é que os sherpas, assim como todos os nepaleses, estão entre os povos mais pobres da terra. No entanto qualquer turista pode circular livremente pelas vielas empoeiradas de Kathmandu com sua máquina fotográfica no pescoço e seu smartphone na mão e certamente não será roubado. E isso se deve em grande parte pela sua espiritualidade, eles são coerentes, fazem aquilo que pregam.

Uma pessoa espiritualizada é confiável, mais centrada e coerente, consequentemente, mais preparada para contribuir com o crescimento e manutenção da organização. Leve este tema para sua empresa, debata com seus colegas, amigos e colaboradores e verá seu time crescer, inclusive em produtividade. Tenha uma sagrada semana. Namastê!

*Rosier Alexandre é graduado em marketing, palestrante, consultor organizacional e alpinista profissional.

A coluna “Qual o seu Everest?” é publicada no Tribuna do Ceará todas as segundas-feiras e também vai ao ar na Tribuna BandNews (FM 101.7), às 9h10.

Publicidade

Dê sua opinião

QUAL O SEU EVEREST?

Rosier Alexandre: “Precisamos falar sobre espiritualidade nas organizações”

E quem disse que as empresas não devem falar de espiritualidade? Devem sim tratar deste assunto

Por Tribuna do Ceará em Rosier Alexandre

20 de março de 2017 às 15:10

Há 8 meses

Por Rosier Alexandre

Existe um tema polêmico que as empresas evitam falar e é essencial pra todos nós, estou falando de ESPIRITUALIDADE. E quem disse que as empresas não devem falar de espiritualidade? Devem sim tratar deste assunto. Não podemos continuar tratando colaboradores como meras engrenagens de produzir resultados, isso é coisa da Idade Média. Precisamos tratar cada colaborador como um ser humano, quem tem emoções e sentimentos, que pode sim contribuir com o crescimento e a evolução das organizações.

Quando falamos de espiritualidade, falamos de valores morais e comportamentos que de forma alguma contradiz a nenhuma religião. Trazemos valores universais que influenciam o modo de pensar e agir das pessoas. Eu estive três vezes no Nepal e lá convivi estreitamente com os sherpas, uma etnia que vive na encosta das montanhas e nos dão suporte nas escaladas.

Do convívio com aquele povo, eu tive vários aprendizados e aqui vou trazer dois: o primeiro é que eles cultivam religiões diferentes, uma parte deles são budistas e outros hinduístas. Eles acreditam em caminhos diferentes para se ligarem a divindade de acordo com a sua crença, no entanto isso não os impede de terem respeito um pelo outro e nem mesmo de compartilharem os mesmos templos para fazerem suas orações.

O que aprendi com os sherpas? (FOTO: Divulgação)

O segundo aspecto é que os sherpas, assim como todos os nepaleses, estão entre os povos mais pobres da terra. No entanto qualquer turista pode circular livremente pelas vielas empoeiradas de Kathmandu com sua máquina fotográfica no pescoço e seu smartphone na mão e certamente não será roubado. E isso se deve em grande parte pela sua espiritualidade, eles são coerentes, fazem aquilo que pregam.

Uma pessoa espiritualizada é confiável, mais centrada e coerente, consequentemente, mais preparada para contribuir com o crescimento e manutenção da organização. Leve este tema para sua empresa, debata com seus colegas, amigos e colaboradores e verá seu time crescer, inclusive em produtividade. Tenha uma sagrada semana. Namastê!

*Rosier Alexandre é graduado em marketing, palestrante, consultor organizacional e alpinista profissional.

A coluna “Qual o seu Everest?” é publicada no Tribuna do Ceará todas as segundas-feiras e também vai ao ar na Tribuna BandNews (FM 101.7), às 9h10.