Rosier Alexandre: “O que é muito?"

QUAL O SEU EVEREST?

Rosier Alexandre: “O que é muito?”

Já vi relatos de um alpinista amputado de ambas as pernas que escalou o Everest, um deficiente visual que perdeu 100% da visão e também escalou a maior montanha de cada continente, um homem de 100 anos correndo e concluindo maratonas

Por jangadeiro em Rosier Alexandre

18 de junho de 2018 às 11:31

Há 5 meses

Todos os dias agradeço a Deus por tudo que me acontece na vida e sempre me admiro quando vejo o tamanho do voo que realizei ao sair da caatinga sertaneja e conquistar uma vida digna e cheia de conquistas. Realizei o meu grande sonho de escalar a maior montanha de cada um dos sete continentes.

O que fiz é quase assustador, mas quando amplio a minha visão, vejo que muitas outras pessoas comuns, como eu, fizeram infinitamente mais do que eu fiz até então. Nas expedições que realizei, já encontrei alpinista de uma perna só, pendurado em cordas escalando montanhas, encontrei também homens de 80 anos escalando paredes de gelo em grandes altitudes.

Já vi relatos de um alpinista amputado de ambas as pernas que escalou o Everest, um deficiente visual que perdeu 100% da visão e também escalou a maior montanha de cada continente, um homem de 100 anos correndo e concluindo maratonas e por aí vão os feitos extraordinários de pessoas que tinham tudo para serem comuns mas foram além.

Esses feitos surpreendentes são a prova de que o ser humano é fruto de uma criação divina e dotado de uma magnífica capacidade de aprendizado, adaptação e superação. Nem todos sabem tirar proveito disso, mas é uma possibilidade disponível para aqueles que se aventuram a viver intensamente.

Todos nós, eu e você que está lendo este texto, estamos longe de realizar tudo que somos capazes. Por mais que neste momento você esteja fazendo algo espetacular, é capaz de fazer muito mais.

Mahatma Gandhi dizia: “a diferença entre o que fazemos e o que somos capazes de fazer, resolveria a maior parte dos problemas do mundo”. Apesar de ser um admirador e seguidor de Gandhi, acho que esta diferença seria capaz de resolver não apenas a maior parte, mas todos os problemas da humanidade.

Nós podemos revolucionar o mundo, então vamos pra frente e pra cima porque o topo e uma vida plena é o que nos aguarda. As montanhas me deixaram muitos aprendizados, um deles é que muito é o que eu ainda não fiz, mas estou no caminho.

Te desejo uma excelente semana com o meu abraço do tamanho do Everest.

*Rosier Alexandre é graduado em marketing, palestrante, consultor organizacional e alpinista profissional.

A coluna “Qual o seu Everest?” é publicada no Tribuna do Ceará todas as segundas-feiras e também vai ao ar na Tribuna BandNews (FM 101.7), às 9h10.

Publicidade

Dê sua opinião

QUAL O SEU EVEREST?

Rosier Alexandre: “O que é muito?”

Já vi relatos de um alpinista amputado de ambas as pernas que escalou o Everest, um deficiente visual que perdeu 100% da visão e também escalou a maior montanha de cada continente, um homem de 100 anos correndo e concluindo maratonas

Por jangadeiro em Rosier Alexandre

18 de junho de 2018 às 11:31

Há 5 meses

Todos os dias agradeço a Deus por tudo que me acontece na vida e sempre me admiro quando vejo o tamanho do voo que realizei ao sair da caatinga sertaneja e conquistar uma vida digna e cheia de conquistas. Realizei o meu grande sonho de escalar a maior montanha de cada um dos sete continentes.

O que fiz é quase assustador, mas quando amplio a minha visão, vejo que muitas outras pessoas comuns, como eu, fizeram infinitamente mais do que eu fiz até então. Nas expedições que realizei, já encontrei alpinista de uma perna só, pendurado em cordas escalando montanhas, encontrei também homens de 80 anos escalando paredes de gelo em grandes altitudes.

Já vi relatos de um alpinista amputado de ambas as pernas que escalou o Everest, um deficiente visual que perdeu 100% da visão e também escalou a maior montanha de cada continente, um homem de 100 anos correndo e concluindo maratonas e por aí vão os feitos extraordinários de pessoas que tinham tudo para serem comuns mas foram além.

Esses feitos surpreendentes são a prova de que o ser humano é fruto de uma criação divina e dotado de uma magnífica capacidade de aprendizado, adaptação e superação. Nem todos sabem tirar proveito disso, mas é uma possibilidade disponível para aqueles que se aventuram a viver intensamente.

Todos nós, eu e você que está lendo este texto, estamos longe de realizar tudo que somos capazes. Por mais que neste momento você esteja fazendo algo espetacular, é capaz de fazer muito mais.

Mahatma Gandhi dizia: “a diferença entre o que fazemos e o que somos capazes de fazer, resolveria a maior parte dos problemas do mundo”. Apesar de ser um admirador e seguidor de Gandhi, acho que esta diferença seria capaz de resolver não apenas a maior parte, mas todos os problemas da humanidade.

Nós podemos revolucionar o mundo, então vamos pra frente e pra cima porque o topo e uma vida plena é o que nos aguarda. As montanhas me deixaram muitos aprendizados, um deles é que muito é o que eu ainda não fiz, mas estou no caminho.

Te desejo uma excelente semana com o meu abraço do tamanho do Everest.

*Rosier Alexandre é graduado em marketing, palestrante, consultor organizacional e alpinista profissional.

A coluna “Qual o seu Everest?” é publicada no Tribuna do Ceará todas as segundas-feiras e também vai ao ar na Tribuna BandNews (FM 101.7), às 9h10.