Rosier Alexandre: Isso vai dar certo

QUAL O SEU EVEREST?

Rosier Alexandre: “Isso vai dar certo”

Sabemos que o nosso conjunto de crenças influenciam diretamente todos os resultados que teremos, bons ou ruins

Por Tribuna do Ceará em Rosier Alexandre

27 de novembro de 2017 às 08:58

Há 2 semanas

Sonhar e desejar é algo saudável, faz nosso olho brilhar, o coração bater mais forte e nos dá um sinal de que estamos vivos. São os sonhos que dão mais alegria a nossa vida e nos energizam para trabalhar com dedicação em busca daquilo que desejamos. Porém o sonho só faz sentido quando acreditamos profundamente nele e investimos para a sua concretização.

No entanto, vemos pessoas que trabalham muito e realizam pouco. Por que será que isso acontece? Sabemos que o nosso conjunto de crenças influenciam diretamente todos os resultados que teremos, bons ou ruins.

Shirzad Chamine, autor do livro INTELIGÊNCIA POSITIVA, afirma: “somente 20% dos indivíduos e das equipes atingem o seu verdadeiro potencial”, ele também traz um diagnóstico quando diz “sua mente é a sua melhor amiga, mas é também sua pior inimiga”.

Algumas vezes, nossa mente trabalha buscando novas ideias e alternativas e consegue produzir algo que acreditamos que é realmente novo e trará resultados extraordinários. Mas imediatamente, a mesma mente que apontou as soluções, inverte o papel e diz pra nós mesmos: “Isso não vai dar certo”. O pior é que acreditamos nisso e nem iniciamos o projeto ou desistimos nas primeiras dificuldades, jogando fora a boa ideia. Não precisamos grandes esforços para perceber que os nossos maiores inimigos estão dentro de nós mesmos.

Eu também já fiz parte do time dos que sofrem com a autosabotagem e perdia tempo e energia com pensamentos negativos, mas hoje sou mais vigilante. Se a mente me trouxer ideias negativas eu logo pergunto: “Por quê?” e “Como posso mudar isso?”. Este exercício me ajuda a bloquear pensamentos negativos e destrutivos e me livrar da autosabotagem.

Não tenha medo de assumir riscos, não subestime a sua capacidade e não deixe seus sonhos para amanhã. Se seus pensamentos são positivos, faça um plano de ação para realizá-los, se são negativos, exercite torná-los positivos. No começo é difícil, depois ficará quase automático.

Tenha uma excelente semana com o meu abraço do tamanho do Everest.

*Rosier Alexandre é graduado em marketing, palestrante, consultor organizacional e alpinista profissional.

A coluna “Qual o seu Everest?” é publicada no Tribuna do Ceará todas as segundas-feiras e também vai ao ar na Tribuna BandNews (FM 101.7), às 9h10.

Publicidade

Dê sua opinião

QUAL O SEU EVEREST?

Rosier Alexandre: “Isso vai dar certo”

Sabemos que o nosso conjunto de crenças influenciam diretamente todos os resultados que teremos, bons ou ruins

Por Tribuna do Ceará em Rosier Alexandre

27 de novembro de 2017 às 08:58

Há 2 semanas

Sonhar e desejar é algo saudável, faz nosso olho brilhar, o coração bater mais forte e nos dá um sinal de que estamos vivos. São os sonhos que dão mais alegria a nossa vida e nos energizam para trabalhar com dedicação em busca daquilo que desejamos. Porém o sonho só faz sentido quando acreditamos profundamente nele e investimos para a sua concretização.

No entanto, vemos pessoas que trabalham muito e realizam pouco. Por que será que isso acontece? Sabemos que o nosso conjunto de crenças influenciam diretamente todos os resultados que teremos, bons ou ruins.

Shirzad Chamine, autor do livro INTELIGÊNCIA POSITIVA, afirma: “somente 20% dos indivíduos e das equipes atingem o seu verdadeiro potencial”, ele também traz um diagnóstico quando diz “sua mente é a sua melhor amiga, mas é também sua pior inimiga”.

Algumas vezes, nossa mente trabalha buscando novas ideias e alternativas e consegue produzir algo que acreditamos que é realmente novo e trará resultados extraordinários. Mas imediatamente, a mesma mente que apontou as soluções, inverte o papel e diz pra nós mesmos: “Isso não vai dar certo”. O pior é que acreditamos nisso e nem iniciamos o projeto ou desistimos nas primeiras dificuldades, jogando fora a boa ideia. Não precisamos grandes esforços para perceber que os nossos maiores inimigos estão dentro de nós mesmos.

Eu também já fiz parte do time dos que sofrem com a autosabotagem e perdia tempo e energia com pensamentos negativos, mas hoje sou mais vigilante. Se a mente me trouxer ideias negativas eu logo pergunto: “Por quê?” e “Como posso mudar isso?”. Este exercício me ajuda a bloquear pensamentos negativos e destrutivos e me livrar da autosabotagem.

Não tenha medo de assumir riscos, não subestime a sua capacidade e não deixe seus sonhos para amanhã. Se seus pensamentos são positivos, faça um plano de ação para realizá-los, se são negativos, exercite torná-los positivos. No começo é difícil, depois ficará quase automático.

Tenha uma excelente semana com o meu abraço do tamanho do Everest.

*Rosier Alexandre é graduado em marketing, palestrante, consultor organizacional e alpinista profissional.

A coluna “Qual o seu Everest?” é publicada no Tribuna do Ceará todas as segundas-feiras e também vai ao ar na Tribuna BandNews (FM 101.7), às 9h10.