Danielle Lodetti: "Se sua alimentação é pobre, não espere que o cérebro mantenha você bem"

COMER BEM, VIVER MELHOR

Danielle Lodetti: “Se sua alimentação é pobre, não espere que o cérebro mantenha você bem”

Nutricionista dá dicas que podem ajudar a nutrir melhor o cérebro e afastar doenças

Por Tribuna do Ceará em Danielle Lodetti

4 de novembro de 2016 às 06:05

Há 2 anos

Por Danielle Lodetti

Nosso organismo funciona influenciado por vários fatores, incluindo stress, sono, atividade física, uso de medicamentos, genética e alimentação.

Isso inclui nosso cérebro. Ele é responsável pela forma com que nos sentimos e também pela forma que agimos e nos comportamos.

E o que nós comemos influencia diretamente na forma com que nosso cérebro funciona e, consequentemente, em nosso bem-estar, humor, temperamento e emoções. Nosso cérebro precisa ser bem nutrido para que tenha o melhor funcionamento possível e nos mantenha longe de doenças da modernidade, como ansiedade, depressão, insônia, déficit de atenção.

Para que tenha equilíbrio, nosso cérebro precisa receber diariamente uma dose adequada de vários nutrientes, incluindo as vitaminas do complexo B, aminoácidos, vitamina D, ômega 3, zinco, magnésio e uma infinidade de vários outros nutrientes. Se sua alimentação é pobre, cheia de açúcar e alimentos industrializados e pobre em nutrientes, não espere que o cérebro mantenha você bem porque, com certeza, ele vai ter dificuldades.

Aumente o consumo de peixe e alimentos com ômega 3 (FOTO: Divulgação)

Aumente o consumo de peixe e alimentos com ômega 3 (FOTO: Divulgação)

O problema é que, a primeira coisa que fazemos ao sentir os primeiros sintomas dos problemas relacionados acima, nós pensamos logo em medicamentos. Achamos que as doenças do cérebro são “um azar” ou “fruto do destino ou da genética” e não há nada a se fazer além de ir ao médico e tomar logo um medicamento que pode trazer vários efeitos colaterais. Não estou aqui me posicionando contra medicamentos, porque muitas e muitas vezes ele são necessários.

O que quero dizer é que muitas vezes eles poderiam ser evitados, e o mais importante: nós poderíamos ser mais felizes e mais equilibrados se nos alimentássemos de forma adequada. Cada vez mais, associo depressão, angústia e ansiedade à má alimentação. Cada vez mais, nos alimentamos de forma inadequada, nos sentimos cada vez pior e usamos mais antidepressivos e ansiolíticos. Em grande parte das vezes, isto tudo poderia ter sido evitado com nutrientes.

Algumas dicas que podem ajudar a nutrir melhor seu cérebro e afastar estas doenças são:

1. Coma menos açúcar e menos farinha branca;

2. Aumente o consumo de peixe e alimentos com ômega 3 e gorduras do bem, como chia, linhaça, castanhas, abacate, óleo de coco, azeite de oliva cru;

3. Menos comida industrializada e mais comida de verdade;

4. Evite temperos prontos e caldos industrializados;

5. Deixe o refrigerante fora da sua vida;

6. Consuma pelo menos quatro frutas ao dia;

7. Varie muito bem as cores da sua salada: verde, amarela, vermelha, roxa laranja (cada cor indica uma riqueza em um nutriente específico);

8. Consuma fibras para manter o trânsito e a flora intestinal em dia;

9. Se tiver diarreia ou cólicas intestinais com frequência, descubra a causa e trate. O intestino influencia diretamente na forma com que o cérebro funciona;

10. Beba muita água e se mantenha bem hidratado;

11. Moderação nas bebidas alcoólicas;

12. Evite passar longos períodos (mais de quatro horas) em jejum;

13. Evite fazer dietas muito restritivas ou “da moda” porque, muitas vezes, elas têm um efeito negativo sobre o nosso comportamento e humor;

14. Pratique atividade física regular;

15. Tenha alguns minutos do dia para relaxar, meditar e nutrir os pensamentos positivo.

Publicidade

Dê sua opinião

COMER BEM, VIVER MELHOR

Danielle Lodetti: “Se sua alimentação é pobre, não espere que o cérebro mantenha você bem”

Nutricionista dá dicas que podem ajudar a nutrir melhor o cérebro e afastar doenças

Por Tribuna do Ceará em Danielle Lodetti

4 de novembro de 2016 às 06:05

Há 2 anos

Por Danielle Lodetti

Nosso organismo funciona influenciado por vários fatores, incluindo stress, sono, atividade física, uso de medicamentos, genética e alimentação.

Isso inclui nosso cérebro. Ele é responsável pela forma com que nos sentimos e também pela forma que agimos e nos comportamos.

E o que nós comemos influencia diretamente na forma com que nosso cérebro funciona e, consequentemente, em nosso bem-estar, humor, temperamento e emoções. Nosso cérebro precisa ser bem nutrido para que tenha o melhor funcionamento possível e nos mantenha longe de doenças da modernidade, como ansiedade, depressão, insônia, déficit de atenção.

Para que tenha equilíbrio, nosso cérebro precisa receber diariamente uma dose adequada de vários nutrientes, incluindo as vitaminas do complexo B, aminoácidos, vitamina D, ômega 3, zinco, magnésio e uma infinidade de vários outros nutrientes. Se sua alimentação é pobre, cheia de açúcar e alimentos industrializados e pobre em nutrientes, não espere que o cérebro mantenha você bem porque, com certeza, ele vai ter dificuldades.

Aumente o consumo de peixe e alimentos com ômega 3 (FOTO: Divulgação)

Aumente o consumo de peixe e alimentos com ômega 3 (FOTO: Divulgação)

O problema é que, a primeira coisa que fazemos ao sentir os primeiros sintomas dos problemas relacionados acima, nós pensamos logo em medicamentos. Achamos que as doenças do cérebro são “um azar” ou “fruto do destino ou da genética” e não há nada a se fazer além de ir ao médico e tomar logo um medicamento que pode trazer vários efeitos colaterais. Não estou aqui me posicionando contra medicamentos, porque muitas e muitas vezes ele são necessários.

O que quero dizer é que muitas vezes eles poderiam ser evitados, e o mais importante: nós poderíamos ser mais felizes e mais equilibrados se nos alimentássemos de forma adequada. Cada vez mais, associo depressão, angústia e ansiedade à má alimentação. Cada vez mais, nos alimentamos de forma inadequada, nos sentimos cada vez pior e usamos mais antidepressivos e ansiolíticos. Em grande parte das vezes, isto tudo poderia ter sido evitado com nutrientes.

Algumas dicas que podem ajudar a nutrir melhor seu cérebro e afastar estas doenças são:

1. Coma menos açúcar e menos farinha branca;

2. Aumente o consumo de peixe e alimentos com ômega 3 e gorduras do bem, como chia, linhaça, castanhas, abacate, óleo de coco, azeite de oliva cru;

3. Menos comida industrializada e mais comida de verdade;

4. Evite temperos prontos e caldos industrializados;

5. Deixe o refrigerante fora da sua vida;

6. Consuma pelo menos quatro frutas ao dia;

7. Varie muito bem as cores da sua salada: verde, amarela, vermelha, roxa laranja (cada cor indica uma riqueza em um nutriente específico);

8. Consuma fibras para manter o trânsito e a flora intestinal em dia;

9. Se tiver diarreia ou cólicas intestinais com frequência, descubra a causa e trate. O intestino influencia diretamente na forma com que o cérebro funciona;

10. Beba muita água e se mantenha bem hidratado;

11. Moderação nas bebidas alcoólicas;

12. Evite passar longos períodos (mais de quatro horas) em jejum;

13. Evite fazer dietas muito restritivas ou “da moda” porque, muitas vezes, elas têm um efeito negativo sobre o nosso comportamento e humor;

14. Pratique atividade física regular;

15. Tenha alguns minutos do dia para relaxar, meditar e nutrir os pensamentos positivo.