Águeda Muniz: Falta pouco para alcançarmos a sustentabilidade ambiental em nossas cidades?
CIDADES EM TRANSFORMAÇÃO

Águeda Muniz: “Falta pouco para alcançarmos a sustentabilidade ambiental em nossas cidades?”

A NBR ISO 37120:2017, primeira norma técnica nacional relacionada às cidades sustentáveis

Por Tribuna do Ceará em Águeda Muniz

18 de abril de 2017 às 07:50

Há 1 mês

Por Águeda Muniz

Esperamos chegar à segunda década do século XXI, mas nunca é tarde para que possamos ter cidades mais sustentáveis. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) aprovou e publicou, recentemente, a NBR ISO 37120:2017, primeira norma técnica nacional relacionada às cidades sustentáveis.

A NBR ISO 37120:2017 contém 100 indicadores de sustentabilidade urbana e trata dos aspectos ambiental, econômico, social e tecnológico, entre outros e visa apoiar as cidades na mensuração do grau de sustentabilidade urbana. Esta norma poderá ser também utilizada por empresas privadas para que atestem o quão sustentável são seus empreendimentos.

Mais de 150 cidades mundo afora utilizam alguma metodologia para medir a sustentabilidade. Na prática, a norma define e estabelece metodologias para um conjunto de indicadores relacionados ao desenvolvimento sustentável, com o objetivo de orientar e medir o desempenho de serviços urbanos e qualidade de vida.

Na busca desta cidade sustentável, que para muitos parece tão distante, Fortaleza avança! A implantação de sua política ambiental segue cumprindo seu conceito que é a integração entre ambiente natural e ambiente construído da cidade.

Em meados de 2016, foi encaminhada a Câmara Municipal de Fortaleza a revisão do Código de Obras e Posturas do Município, que passará a ser o Código da Cidade, justamente porque o novo código irá também tratar do aspecto ambiental. Dividido em quatro livros – Do Ambiente Natural, Do Ambiente Construído, das Posturas e da Relação Sociedade e Poder Público, o Código da Cidade de Fortaleza trará critérios de sustentabilidade a serem adotados pelos cidadãos, tais como reuso de águas, reaproveitamento das águas pluviais, critérios para melhorar arborização em nossa cidade, permissão para utilização de novas técnicas construtivas sustentáveis, abordará o cuidado com nossas calçadas e, de forma inovadora, fala do compartilhamento de responsabilidades, onde todos, Poder Público e Sociedade, somos parte e fazemos a cidade com direitos e deveres.

Junto às novidades relacionadas à cidade sustentável no novo código, Fortaleza tem também sua norma de sustentabilidade. É o Selo Fator Verde, possibilitando que o Município seja certificador de construções sustentáveis com o objetivo de alcançar índices de sustentabilidade de construções e uma melhoria na qualidade de vida urbana.

O Fator Verde é concedido em quatro níveis: bronze, prata, ouro e diamante. A avaliação será realizada segundo 45 critérios, sendo 12 obrigatórios e 33 opcionais, distribuídos em seis fatores: Cidade Sustentável; Hídrico; Ambiente Saudável; Energético; Materiais e Resíduos; e Social. Entre os aspectos a serem analisados, estão o acesso ao transporte público, gentilezas urbanas; iluminação natural; e captação de águas pluviais.

Opcional e aplicável aos projetos de novas construções e grandes reformas, sejam de uso residencial, comercial, misto ou institucional, no setor público ou privado, a certificação servirá, primordialmente, à redução dos processos de degradação dos recursos naturais e representa um importante passo para que ações de sustentabilidade sejam ampliadas e concretizadas em Fortaleza.

* Águeda Muniz é Doutora em Arquitetura e Urbanismo e titular da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente de Fortaleza.

A coluna “Cidades em Transformação” é publicada no Tribuna do Ceará, às terça-feiras, e vai ao ar na Rádio Tribuna BandNews (FM 101.7) às 9h10 de terça-feira.

Publicidade

Dê sua opinião

CIDADES EM TRANSFORMAÇÃO

Águeda Muniz: “Falta pouco para alcançarmos a sustentabilidade ambiental em nossas cidades?”

A NBR ISO 37120:2017, primeira norma técnica nacional relacionada às cidades sustentáveis

Por Tribuna do Ceará em Águeda Muniz

18 de abril de 2017 às 07:50

Há 1 mês

Por Águeda Muniz

Esperamos chegar à segunda década do século XXI, mas nunca é tarde para que possamos ter cidades mais sustentáveis. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) aprovou e publicou, recentemente, a NBR ISO 37120:2017, primeira norma técnica nacional relacionada às cidades sustentáveis.

A NBR ISO 37120:2017 contém 100 indicadores de sustentabilidade urbana e trata dos aspectos ambiental, econômico, social e tecnológico, entre outros e visa apoiar as cidades na mensuração do grau de sustentabilidade urbana. Esta norma poderá ser também utilizada por empresas privadas para que atestem o quão sustentável são seus empreendimentos.

Mais de 150 cidades mundo afora utilizam alguma metodologia para medir a sustentabilidade. Na prática, a norma define e estabelece metodologias para um conjunto de indicadores relacionados ao desenvolvimento sustentável, com o objetivo de orientar e medir o desempenho de serviços urbanos e qualidade de vida.

Na busca desta cidade sustentável, que para muitos parece tão distante, Fortaleza avança! A implantação de sua política ambiental segue cumprindo seu conceito que é a integração entre ambiente natural e ambiente construído da cidade.

Em meados de 2016, foi encaminhada a Câmara Municipal de Fortaleza a revisão do Código de Obras e Posturas do Município, que passará a ser o Código da Cidade, justamente porque o novo código irá também tratar do aspecto ambiental. Dividido em quatro livros – Do Ambiente Natural, Do Ambiente Construído, das Posturas e da Relação Sociedade e Poder Público, o Código da Cidade de Fortaleza trará critérios de sustentabilidade a serem adotados pelos cidadãos, tais como reuso de águas, reaproveitamento das águas pluviais, critérios para melhorar arborização em nossa cidade, permissão para utilização de novas técnicas construtivas sustentáveis, abordará o cuidado com nossas calçadas e, de forma inovadora, fala do compartilhamento de responsabilidades, onde todos, Poder Público e Sociedade, somos parte e fazemos a cidade com direitos e deveres.

Junto às novidades relacionadas à cidade sustentável no novo código, Fortaleza tem também sua norma de sustentabilidade. É o Selo Fator Verde, possibilitando que o Município seja certificador de construções sustentáveis com o objetivo de alcançar índices de sustentabilidade de construções e uma melhoria na qualidade de vida urbana.

O Fator Verde é concedido em quatro níveis: bronze, prata, ouro e diamante. A avaliação será realizada segundo 45 critérios, sendo 12 obrigatórios e 33 opcionais, distribuídos em seis fatores: Cidade Sustentável; Hídrico; Ambiente Saudável; Energético; Materiais e Resíduos; e Social. Entre os aspectos a serem analisados, estão o acesso ao transporte público, gentilezas urbanas; iluminação natural; e captação de águas pluviais.

Opcional e aplicável aos projetos de novas construções e grandes reformas, sejam de uso residencial, comercial, misto ou institucional, no setor público ou privado, a certificação servirá, primordialmente, à redução dos processos de degradação dos recursos naturais e representa um importante passo para que ações de sustentabilidade sejam ampliadas e concretizadas em Fortaleza.

* Águeda Muniz é Doutora em Arquitetura e Urbanismo e titular da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente de Fortaleza.

A coluna “Cidades em Transformação” é publicada no Tribuna do Ceará, às terça-feiras, e vai ao ar na Rádio Tribuna BandNews (FM 101.7) às 9h10 de terça-feira.