Águeda Muniz: "Cidades Inovadoras: exigência de novas políticas para um novo cidadão"
CIDADES EM TRANSFORMAÇÃO

Águeda Muniz: “Cidades Inovadoras: exigência de novas políticas para um novo cidadão”

A cidade atrativa e empreendedora está baseada em uma combinação de fatores que inclui a qualidade dos recursos humanos e a capacidade de inovação

Por Tribuna do Ceará em Águeda Muniz

31 de janeiro de 2017 às 11:02

Há 8 meses

Por Águeda Muniz

Olá!

A cidade é uma organização dinâmica, complexa, multidimensional e produto de uma ação coletiva; que busca na inovação a resposta para vencer desafios intrínsecos a sua época. Máquina de crescimento, lugar de inovação, lugar da cultura e da identidade de pessoas, a cidade é cheia de significados e determinantes, quais sejam: a urbanização em um primeiro momento, seguida pela revolução tecnológica que ensejou a globalização, a informacionalização e a reestruturação econômica; e as transformações políticas.

A importância do planejamento, a necessidade de promover a boa imagem da cidade, a emergência de novos desafios, como dinamizar a economia, priorizar a sustentabilidade ambiental e buscar financiamento do desenvolvimento urbano a partir de novas fontes são responsabilidades que se adicionam às atribuições tradicionais e que requerem inovações marcantes na atuação político-administrativa.

Políticas Públicas Inovadoras são imprescindíveis, já que governos locais hoje têm de ser muito mais empreendedores, com disposição de explorar todos os tipos de possibilidades e, assim, assegurar um futuro melhor para suas populações.

Ser inovador também é buscar parcerias. Muitas cidades têm se revelado inovadoras no estabelecimento de inúmeras formas de parceria, empenhando-se em elevar sua receita financeira, cumprir suas responsabilidades na prestação dos serviços e na implantação, operação e manutenção da infraestrutura, bem como na busca de reduzir a demanda social, via geração de empregos.

A cidade atrativa e empreendedora está baseada em uma combinação de fatores que inclui a qualidade dos recursos humanos e a capacidade de inovação: treinamento vocacional e modernização tecnológica e empresarial.

A inovação é a capacidade de tirar o máximo proveito das oportunidades e potencialidades e requer um conjunto específico de relações de produção e gerenciamento com base em uma organização social que, de um modo geral, compartilha uma cultura de trabalho e metas instrumentais, visando gerar novos conhecimentos, novos processos e novos produtos. Embora o conceito não inclua necessariamente uma dimensão espacial, pelo menos neste século, a proximidade espacial é uma condição necessária para a existência desse meio devido à natureza da interação no processo de inovação.

O norte-americano Richard Florida, em sua obra a Ascensão da Classe Criativa, publicada em 2011, afirmava que 30% dos indivíduos economicamente ativos nos Estados Unidos pertenciam a uma classe que ele chamava de “criativa”. Esta classe criativa, de acordo com Florida era formada “por indivíduos das ciências, das engenharias, da arquitetura e do design, da educação, das artes plásticas, da música e do entretenimento, cuja função econômica é criar novas ideias, novas tecnologias e/ou novos conteúdos criativos”. Ainda segundo Florida “os membros da classe criativa – sejam eles artistas ou engenheiros, músicos ou cientistas da computação valorizam a criatividade, a individualidade, as diferenças e o mérito, onde todas as manifestações tecnológicas, culturais e econômicas estão interligadas e são indissociáveis”.

Cidades se transformam, sim! Com políticas públicas inovadoras, cidades são remodeladas para atender ao desafio de ser o que seus cidadãos desejam. Até semana que vem com mais “Cidades em Transformação”!

* Águeda Muniz é Doutora em Arquitetura e Urbanismo e titular da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente de Fortaleza.

A coluna “Cidades em Transformação” é publicada no Tribuna do Ceará, às terça-feiras, e vai ao ar na Rádio Tribuna BandNews (FM 101.7) às 9h10 de terça-feira.

Publicidade

Dê sua opinião

CIDADES EM TRANSFORMAÇÃO

Águeda Muniz: “Cidades Inovadoras: exigência de novas políticas para um novo cidadão”

A cidade atrativa e empreendedora está baseada em uma combinação de fatores que inclui a qualidade dos recursos humanos e a capacidade de inovação

Por Tribuna do Ceará em Águeda Muniz

31 de janeiro de 2017 às 11:02

Há 8 meses

Por Águeda Muniz

Olá!

A cidade é uma organização dinâmica, complexa, multidimensional e produto de uma ação coletiva; que busca na inovação a resposta para vencer desafios intrínsecos a sua época. Máquina de crescimento, lugar de inovação, lugar da cultura e da identidade de pessoas, a cidade é cheia de significados e determinantes, quais sejam: a urbanização em um primeiro momento, seguida pela revolução tecnológica que ensejou a globalização, a informacionalização e a reestruturação econômica; e as transformações políticas.

A importância do planejamento, a necessidade de promover a boa imagem da cidade, a emergência de novos desafios, como dinamizar a economia, priorizar a sustentabilidade ambiental e buscar financiamento do desenvolvimento urbano a partir de novas fontes são responsabilidades que se adicionam às atribuições tradicionais e que requerem inovações marcantes na atuação político-administrativa.

Políticas Públicas Inovadoras são imprescindíveis, já que governos locais hoje têm de ser muito mais empreendedores, com disposição de explorar todos os tipos de possibilidades e, assim, assegurar um futuro melhor para suas populações.

Ser inovador também é buscar parcerias. Muitas cidades têm se revelado inovadoras no estabelecimento de inúmeras formas de parceria, empenhando-se em elevar sua receita financeira, cumprir suas responsabilidades na prestação dos serviços e na implantação, operação e manutenção da infraestrutura, bem como na busca de reduzir a demanda social, via geração de empregos.

A cidade atrativa e empreendedora está baseada em uma combinação de fatores que inclui a qualidade dos recursos humanos e a capacidade de inovação: treinamento vocacional e modernização tecnológica e empresarial.

A inovação é a capacidade de tirar o máximo proveito das oportunidades e potencialidades e requer um conjunto específico de relações de produção e gerenciamento com base em uma organização social que, de um modo geral, compartilha uma cultura de trabalho e metas instrumentais, visando gerar novos conhecimentos, novos processos e novos produtos. Embora o conceito não inclua necessariamente uma dimensão espacial, pelo menos neste século, a proximidade espacial é uma condição necessária para a existência desse meio devido à natureza da interação no processo de inovação.

O norte-americano Richard Florida, em sua obra a Ascensão da Classe Criativa, publicada em 2011, afirmava que 30% dos indivíduos economicamente ativos nos Estados Unidos pertenciam a uma classe que ele chamava de “criativa”. Esta classe criativa, de acordo com Florida era formada “por indivíduos das ciências, das engenharias, da arquitetura e do design, da educação, das artes plásticas, da música e do entretenimento, cuja função econômica é criar novas ideias, novas tecnologias e/ou novos conteúdos criativos”. Ainda segundo Florida “os membros da classe criativa – sejam eles artistas ou engenheiros, músicos ou cientistas da computação valorizam a criatividade, a individualidade, as diferenças e o mérito, onde todas as manifestações tecnológicas, culturais e econômicas estão interligadas e são indissociáveis”.

Cidades se transformam, sim! Com políticas públicas inovadoras, cidades são remodeladas para atender ao desafio de ser o que seus cidadãos desejam. Até semana que vem com mais “Cidades em Transformação”!

* Águeda Muniz é Doutora em Arquitetura e Urbanismo e titular da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente de Fortaleza.

A coluna “Cidades em Transformação” é publicada no Tribuna do Ceará, às terça-feiras, e vai ao ar na Rádio Tribuna BandNews (FM 101.7) às 9h10 de terça-feira.