Vício em internet no celular prejudica a concentração até mesmo em missas


Vício em internet no celular prejudica a concentração até mesmo em missas

A ansiedade por estar conectado à internet, verificando as novidades, contaminou diversos ambientes, inclusive o de tradições milenares, como a missa

Por Hayanne Narlla em Tecnologia

31 de outubro de 2014 às 08:00

Há 4 anos
Jovens não se concentram em missas por causa dos smartphones (FOTO: Tribuna do Ceará)

Jovens não se concentram em missas por causa dos smartphones (FOTO: Tribuna do Ceará)

Cabeças baixas e olhos atentos ao celular. Ao entrar em uma igreja, é fácil identificar as pessoas que não conseguiram se desconectar da internet. O problema é que, durante as missas, é necessário um “recolhimento” e dedicar o máximo de concentração ao ritual milenar. O que não ocorre de fato e acaba atrapalhando quem quer prestar atenção.

Na Igreja de Fátima, uma das mais frequentadas de Fortaleza, várias pessoas participam das celebrações aos domingos, inclusive as que possuem o tal vício de olhar a todo instante o smartphone. Na maioria das vezes, são jovens que verificam se há notificações em aplicativos como o Whatsapp. É o caso da estudante Dinah Martins, 18, e do administrador Ramiro Rodrigues, 27.

Dinah vai à missa todos os domingos, mas não desconecta do celular. “Na missa, eu olho às vezes”, admite. Além disso, assume que essa atitude tira a concentração, quando passa a ignorar a celebração.

Já Ramiro ressalta que há momentos específicos para a atenção ao celular. “Confiro em intervalos intercalados mediante o momento da celebração. Geralmente, em momentos de cânticos e homília”, confessa. Para ele, esses momentos não exigem concentração e, por isso, é possível dar uma olhada no Whatsapp.

Igreja de Fátima reúne muitos fiéis no dia 13 de cada mês (FOTO: Igreja de Fátima)

Igreja de Fátima reúne muitos fiéis no dia 13 de cada mês (FOTO: Igreja de Fátima)

Desligar celulares

A educadora física Camila Façanha, 26, integrante de um grupo de jovens da Igreja de Fátima, desaprova a atitude. “Acho errado porque não estão vivenciando o sacrifício que está acontecendo na missa. A pessoa não deveria nem estar com celular. Infelizmente, vejo muitas com celular, principalmente jovens”.

Padre Clairton, da Catedral de Fortaleza, ressalta que esse fenômeno acontece em todas as paróquias frenquentemente. “É uma lástima, é terrível. As pessoas nem sequer desligam o celular. Tem gente que até corre para atender fora da igreja em pleno sermão. E naquele momento elas precisam estar somente para Deus”.

Além disso, o sacerdote explica que a ação tira a concentração de outros fiéis e inclusive do próprio padre. “Eu explico no início que a missa é um momento de recolhimento para Deus, e que é necessário um desligamento das coisas do mundo”, finaliza.

Publicidade

Dê sua opinião

Vício em internet no celular prejudica a concentração até mesmo em missas

A ansiedade por estar conectado à internet, verificando as novidades, contaminou diversos ambientes, inclusive o de tradições milenares, como a missa

Por Hayanne Narlla em Tecnologia

31 de outubro de 2014 às 08:00

Há 4 anos
Jovens não se concentram em missas por causa dos smartphones (FOTO: Tribuna do Ceará)

Jovens não se concentram em missas por causa dos smartphones (FOTO: Tribuna do Ceará)

Cabeças baixas e olhos atentos ao celular. Ao entrar em uma igreja, é fácil identificar as pessoas que não conseguiram se desconectar da internet. O problema é que, durante as missas, é necessário um “recolhimento” e dedicar o máximo de concentração ao ritual milenar. O que não ocorre de fato e acaba atrapalhando quem quer prestar atenção.

Na Igreja de Fátima, uma das mais frequentadas de Fortaleza, várias pessoas participam das celebrações aos domingos, inclusive as que possuem o tal vício de olhar a todo instante o smartphone. Na maioria das vezes, são jovens que verificam se há notificações em aplicativos como o Whatsapp. É o caso da estudante Dinah Martins, 18, e do administrador Ramiro Rodrigues, 27.

Dinah vai à missa todos os domingos, mas não desconecta do celular. “Na missa, eu olho às vezes”, admite. Além disso, assume que essa atitude tira a concentração, quando passa a ignorar a celebração.

Já Ramiro ressalta que há momentos específicos para a atenção ao celular. “Confiro em intervalos intercalados mediante o momento da celebração. Geralmente, em momentos de cânticos e homília”, confessa. Para ele, esses momentos não exigem concentração e, por isso, é possível dar uma olhada no Whatsapp.

Igreja de Fátima reúne muitos fiéis no dia 13 de cada mês (FOTO: Igreja de Fátima)

Igreja de Fátima reúne muitos fiéis no dia 13 de cada mês (FOTO: Igreja de Fátima)

Desligar celulares

A educadora física Camila Façanha, 26, integrante de um grupo de jovens da Igreja de Fátima, desaprova a atitude. “Acho errado porque não estão vivenciando o sacrifício que está acontecendo na missa. A pessoa não deveria nem estar com celular. Infelizmente, vejo muitas com celular, principalmente jovens”.

Padre Clairton, da Catedral de Fortaleza, ressalta que esse fenômeno acontece em todas as paróquias frenquentemente. “É uma lástima, é terrível. As pessoas nem sequer desligam o celular. Tem gente que até corre para atender fora da igreja em pleno sermão. E naquele momento elas precisam estar somente para Deus”.

Além disso, o sacerdote explica que a ação tira a concentração de outros fiéis e inclusive do próprio padre. “Eu explico no início que a missa é um momento de recolhimento para Deus, e que é necessário um desligamento das coisas do mundo”, finaliza.