Projeto de disponibilização de Wi-Fi em órgãos públicos é aprovado na Assembleia Legislativa

INTERNET SEM FIO

Projeto de disponibilização de Wi-Fi em órgãos públicos é aprovado na Assembleia Legislativa

De acordo com o autor do projeto, Sérgio Aguiar, a demanda por informação cresce cada vez mais e deve ser cumprida através de políticas públicas

Por Ana Clara Jovino em Tecnologia

27 de Janeiro de 2017 às 07:00

Há 10 meses

O parlamentar justifica o projeto dizendo que é fundamental ter conhecimento do que acontece já que se vive na “sociedade da informação” (FOTO: Reprodução)

O projeto de indicação nº 48/16, de autoria do deputado Sérgio Aguiar (PDT), que propõe a disponibilização de rede sem fio de internet (Wi-Fi) em órgãos da administração pública direta e indireta do Estado, foi aprovada na Assembleia Legislativa, no último semestre de 2016.

O parlamentar justifica o projeto dizendo que é fundamental ter conhecimento do que acontece já que se vive na “sociedade da informação”, então toda ação que promova o acesso a informação deve ser relevante para o crescimento individual e, consequentemente, para o desenvolvimento da sociedade como um todo.

O deputado ainda ressalta que é responsabilidade do Estado oferecer um suporte adequado à transmissão do sinal além de garantir o acesso á rede de internet. “A rede de internet sem fio ou Wi-Fi foi mais uma inovação que, associada aos avanços tecnológicos e de recursos, propiciou o acesso e a expansão do sinal de internet com liberdade para o cidadão”, informa.

Ainda de acordo com Sérgio Aguiar, a demanda por informação cresce cada vez mais e deve ser cumprida através de políticas públicas que definam a instalação de maneiras de acesso gratuito em diversos ambientes, principalmente os prédios públicos do Ceará, que têm a obrigação de oferecer esse acesso, como mais um serviço público, para que as pessoas possam exercer plenamente sua cidadania.

“A proposta está respaldada pela compreensão da necessidade de dotar nossa população das informações necessárias ao exercício pleno da cidadania”, enfatiza o parlamentar.

Publicidade

Dê sua opinião

INTERNET SEM FIO

Projeto de disponibilização de Wi-Fi em órgãos públicos é aprovado na Assembleia Legislativa

De acordo com o autor do projeto, Sérgio Aguiar, a demanda por informação cresce cada vez mais e deve ser cumprida através de políticas públicas

Por Ana Clara Jovino em Tecnologia

27 de Janeiro de 2017 às 07:00

Há 10 meses

O parlamentar justifica o projeto dizendo que é fundamental ter conhecimento do que acontece já que se vive na “sociedade da informação” (FOTO: Reprodução)

O projeto de indicação nº 48/16, de autoria do deputado Sérgio Aguiar (PDT), que propõe a disponibilização de rede sem fio de internet (Wi-Fi) em órgãos da administração pública direta e indireta do Estado, foi aprovada na Assembleia Legislativa, no último semestre de 2016.

O parlamentar justifica o projeto dizendo que é fundamental ter conhecimento do que acontece já que se vive na “sociedade da informação”, então toda ação que promova o acesso a informação deve ser relevante para o crescimento individual e, consequentemente, para o desenvolvimento da sociedade como um todo.

O deputado ainda ressalta que é responsabilidade do Estado oferecer um suporte adequado à transmissão do sinal além de garantir o acesso á rede de internet. “A rede de internet sem fio ou Wi-Fi foi mais uma inovação que, associada aos avanços tecnológicos e de recursos, propiciou o acesso e a expansão do sinal de internet com liberdade para o cidadão”, informa.

Ainda de acordo com Sérgio Aguiar, a demanda por informação cresce cada vez mais e deve ser cumprida através de políticas públicas que definam a instalação de maneiras de acesso gratuito em diversos ambientes, principalmente os prédios públicos do Ceará, que têm a obrigação de oferecer esse acesso, como mais um serviço público, para que as pessoas possam exercer plenamente sua cidadania.

“A proposta está respaldada pela compreensão da necessidade de dotar nossa população das informações necessárias ao exercício pleno da cidadania”, enfatiza o parlamentar.