Projeto "Além do Papelão" mapeia e mostra histórias de pessoas em situação de rua

HISTÓRIAS E DADOS

Projeto “Além do Papelão” mapeia e mostra histórias de pessoas em situação de rua

O site feito por estudantes de Jornalismo da UFC conta com diversos dados, índices e histórias, principalmente da Praça do Ferreira, no Centro

Por Tribuna do Ceará em Tecnologia

19 de Maio de 2018 às 07:15

Há 1 mês
Pessoas em situação de rua em referência ao projeto Além do Papelão

O projeto conta com dados, análises e histórias (FOTO: Marcelo Monteiro/Além do Papelão/Divulgação)

O projeto colaborativo “Além do Papelão” foi desenvolvido por cinco estudantes de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará (UFC), para a disciplina de Jornalismo na Internet, com intuito de mostrar de forma mais humana histórias que envolvem pessoas em situação de rua.

Caleb Rodrigues, Carolina Rocha, João Duarte, Pedro Silva e Wanderson Trindade tiveram como pontapé inicial contrapor dados disponíveis sobre situações de rua em Fortaleza. “O censo que tinha indicava que 1.700 pessoas viviam em situações de rua em Fortaleza, mas era claro que a realidade não era essa”.

Capa do aplicativo "Além do Papelão"

O aplicativo está disponível para download (FOTO: Reprodução/Além do Papelão)

O site conta com diversos dados, índices e histórias, principalmente da Praça do Ferreira, no Centro. “Muitas coisas estavam acontecendo por lá, e a solução que as pessoas estavam encontrando era somente despeja-lós”, comenta Caleb.

Mostrando que Fortaleza é a quinta maior cidade com números de pessoas em situação de rua e que os maiores preconceitos sofridos por elas acontecem em transporte coletivos e no serviço de saúde, o site conta com diversos dados e índices.

“Mãe Ferreira” como é chamada a praça que abriga, em meio a lençóis, colchão e papelões, diversas histórias como a de Tácito de Oliveira, morador da Praça do Ferreira há oito anos, a do casal Maya e Fernando, a de Amora e a de Marcílio, o irmãozinho. Para conferir todo o projeto, basta acessar o site do projeto. Ou acessar o aplicativo disponível.

Publicidade

Dê sua opinião

HISTÓRIAS E DADOS

Projeto “Além do Papelão” mapeia e mostra histórias de pessoas em situação de rua

O site feito por estudantes de Jornalismo da UFC conta com diversos dados, índices e histórias, principalmente da Praça do Ferreira, no Centro

Por Tribuna do Ceará em Tecnologia

19 de Maio de 2018 às 07:15

Há 1 mês
Pessoas em situação de rua em referência ao projeto Além do Papelão

O projeto conta com dados, análises e histórias (FOTO: Marcelo Monteiro/Além do Papelão/Divulgação)

O projeto colaborativo “Além do Papelão” foi desenvolvido por cinco estudantes de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará (UFC), para a disciplina de Jornalismo na Internet, com intuito de mostrar de forma mais humana histórias que envolvem pessoas em situação de rua.

Caleb Rodrigues, Carolina Rocha, João Duarte, Pedro Silva e Wanderson Trindade tiveram como pontapé inicial contrapor dados disponíveis sobre situações de rua em Fortaleza. “O censo que tinha indicava que 1.700 pessoas viviam em situações de rua em Fortaleza, mas era claro que a realidade não era essa”.

Capa do aplicativo "Além do Papelão"

O aplicativo está disponível para download (FOTO: Reprodução/Além do Papelão)

O site conta com diversos dados, índices e histórias, principalmente da Praça do Ferreira, no Centro. “Muitas coisas estavam acontecendo por lá, e a solução que as pessoas estavam encontrando era somente despeja-lós”, comenta Caleb.

Mostrando que Fortaleza é a quinta maior cidade com números de pessoas em situação de rua e que os maiores preconceitos sofridos por elas acontecem em transporte coletivos e no serviço de saúde, o site conta com diversos dados e índices.

“Mãe Ferreira” como é chamada a praça que abriga, em meio a lençóis, colchão e papelões, diversas histórias como a de Tácito de Oliveira, morador da Praça do Ferreira há oito anos, a do casal Maya e Fernando, a de Amora e a de Marcílio, o irmãozinho. Para conferir todo o projeto, basta acessar o site do projeto. Ou acessar o aplicativo disponível.