Movimento Rapadura Valley quer reunir startups para movimentar economia cearense


Movimento Rapadura Valley quer reunir startups para fomentar economia cearense

O movimento criado no Ceará reúne mapa das startups, aceleradoras e investidores, com o objetivo simples de incentivar o diálogo

Por Juliana Teófilo em Tecnologia

12 de agosto de 2015 às 07:00

Há 3 anos
O "Rapadura Valley" reúne startups, aceleradoras e investidores com o objetivo simples de incentivar o diálogo e a relação entre os integrantes do movimento no Ceará. (FOTO: Divulgação)

O “Rapadura Valley” reúne startups, aceleradoras e investidores com o objetivo simples de incentivar o diálogo. (FOTO: Divulgação)

Você já ouviu falar das startups? Pois acredite, as empresas na área da inovação e tecnologia, que trabalham com margens de risco grandes, representam um dos ramos mais promissores da economia brasileira. Atualmente existem no país mais de 10 mil empresas que contam com projetos ligados a pesquisa e desenvolvimento de ideias.

E tem cearense mais do que atento a esse movimento promissor. O professor universitário Lucas Cavalcante, em parceria com Marcos Medeiros e Wilmerson da Silva, desenvolveu um mapa para reunir inciativas inovadoras do estado. Em funcionamento desde o começo do mês, o “Rapadura Valley” reúne startups, aceleradoras e investidores com o objetivo simples de incentivar o diálogo e a relação entre os integrantes do movimento no Ceará.

“Por enquanto estamos apenas com o mapa no ar, mas já estamos providenciando um site completo com artigos, calendário de eventos, informações relevantes sobre o movimento, entre outras coisas”, explica Lucas.

Mesmo contando uma equipe ainda pequena, de três pessoas, o mapa reúne atualmente 27 startups, quatro consultorias, dois hackerspaces, duas aceleradoras, duas incubadoras, dois coworkings e um investidor. “Sabemos que existem muito mais por aí, estamos caçando essas empresas para que sejam adicionadas no mapa”, indica Lucas, que também empreende em sua própria startup, Learn Hub.

Fazer parte do movimento Rapadura Valley também é simples. Basta se encaixar no perfil de inovação, entrar no site e se cadastrar. “Estamos colocando como requisitos para a aprovação, além de se encaixar em um dos perfis, ter um site funcionando explicando a empresa e estar fisicamente no estado. Estando de acordo com todos os requisitos, aprovamos e já aparece no site”, explica o idealizador.

Ampliar números e colaboradores ilustram bem os planos para o futuro do movimento que, por si só, já representa inovação. “Com números substanciais podemos conseguir, por exemplo, incentivo de grandes empresas e poder público. Investimentos, editais de fomento, isenção fiscal para startups, apoio a eventos, são alguns dos nossos objetivos. E se houver demanda para isso, virar uma associação”, enumera Lucas.

Publicidade

Dê sua opinião

Movimento Rapadura Valley quer reunir startups para fomentar economia cearense

O movimento criado no Ceará reúne mapa das startups, aceleradoras e investidores, com o objetivo simples de incentivar o diálogo

Por Juliana Teófilo em Tecnologia

12 de agosto de 2015 às 07:00

Há 3 anos
O "Rapadura Valley" reúne startups, aceleradoras e investidores com o objetivo simples de incentivar o diálogo e a relação entre os integrantes do movimento no Ceará. (FOTO: Divulgação)

O “Rapadura Valley” reúne startups, aceleradoras e investidores com o objetivo simples de incentivar o diálogo. (FOTO: Divulgação)

Você já ouviu falar das startups? Pois acredite, as empresas na área da inovação e tecnologia, que trabalham com margens de risco grandes, representam um dos ramos mais promissores da economia brasileira. Atualmente existem no país mais de 10 mil empresas que contam com projetos ligados a pesquisa e desenvolvimento de ideias.

E tem cearense mais do que atento a esse movimento promissor. O professor universitário Lucas Cavalcante, em parceria com Marcos Medeiros e Wilmerson da Silva, desenvolveu um mapa para reunir inciativas inovadoras do estado. Em funcionamento desde o começo do mês, o “Rapadura Valley” reúne startups, aceleradoras e investidores com o objetivo simples de incentivar o diálogo e a relação entre os integrantes do movimento no Ceará.

“Por enquanto estamos apenas com o mapa no ar, mas já estamos providenciando um site completo com artigos, calendário de eventos, informações relevantes sobre o movimento, entre outras coisas”, explica Lucas.

Mesmo contando uma equipe ainda pequena, de três pessoas, o mapa reúne atualmente 27 startups, quatro consultorias, dois hackerspaces, duas aceleradoras, duas incubadoras, dois coworkings e um investidor. “Sabemos que existem muito mais por aí, estamos caçando essas empresas para que sejam adicionadas no mapa”, indica Lucas, que também empreende em sua própria startup, Learn Hub.

Fazer parte do movimento Rapadura Valley também é simples. Basta se encaixar no perfil de inovação, entrar no site e se cadastrar. “Estamos colocando como requisitos para a aprovação, além de se encaixar em um dos perfis, ter um site funcionando explicando a empresa e estar fisicamente no estado. Estando de acordo com todos os requisitos, aprovamos e já aparece no site”, explica o idealizador.

Ampliar números e colaboradores ilustram bem os planos para o futuro do movimento que, por si só, já representa inovação. “Com números substanciais podemos conseguir, por exemplo, incentivo de grandes empresas e poder público. Investimentos, editais de fomento, isenção fiscal para startups, apoio a eventos, são alguns dos nossos objetivos. E se houver demanda para isso, virar uma associação”, enumera Lucas.