Aplicativo criado por cearenses traz uma versão virtual e mais prática do cartão fidelidade


Aplicativo criado por cearenses traz uma versão virtual e mais prática do cartão fidelidade

Para o consumidor final, o aplicativo Bome funciona como uma maneira de ganhar bônus nos seus locais favoritos. Para o lojista, a novidade fideliza mais o cliente

Por Thamiris Treigher em Tecnologia

9 de outubro de 2014 às 12:00

Há 5 anos
O Bome funciona como uma maneira do consumidor ganhar bônus nos seus locais favoritos (Foto:Thamiris Treigher/Tribuna do Ceará)

O Bome funciona como uma maneira do consumidor ganhar bônus nos seus locais favoritos (Foto:Thamiris Treigher/Tribuna do Ceará)

Você certamente já se deparou com diversos cartões fidelidade que muitas lojas oferecem para seus clientes em troca de benefícios, descontos nas compras e acúmulo de pontos. O aplicativo Bome, criado por dois cearenses, Lucas Almeida, de 22 anos, e André Ambrósio, de 24, traz uma versão virtual e mais prática do artigo. Bome é um aplicativo que substitui os cartões de fidelidade tradicionais dos estabelecimentos, servindo também como ponte de relacionamento entre lojista e cliente.

Para os lojistas, o app gera um valor muito relevante pois, além de ser possível fidelizar seu cliente, dá para se relacionar diretamente com eles, facilitando a divulgação de promoções e novidades. Já para o consumidor final, o app funciona como uma maneira de ganhar bônus nos seus locais favoritos.

Como surgiu

Lucas Almeida teve a ideia por acaso. “Em uma noite qualquer, fui a um trailer de açaí do lado da casa da minha namorada e observei que a funcionária oferecia aqueles tradicionais cartões de fidelidade impresso para os clientes. Comecei então a pensar a respeito da eficiência desse tipo de estratégia: ‘Será que realmente isso funciona?’ A maioria das pessoas esquecem, perdem ou até mesmo acham chato juntar esses cartões. E como conseguir mensurar os resultados obtidos com a fidelização? Será que é realmente eficiente?”

Lucas pesquisou se existia alguma solução para dispositivos móveis no Brasil e no mundo, e descobriu que não existia algo parecido até então no Nordeste. Ao compartilhar a ideia com seu amigo e atual sócio, André Ambrósio, eles decidiram começar a projetar e criar o aplicativo.

Processo de criação e dificuldades

No início, Lucas e André pensaram nas funcionalidades do aplicativo e depois no modelo de negócio. A primeira dificuldade foi definir um nome e uma logomarca. Afinal, por quê ‘Bome’? A ideia era de que deveria ser algo curto, foneticamente agradável e que lembrasse o que é a essência do aplicativo. Foram escolhidas as palavras ‘boon’ (benefício) e ‘me’ (mim, me) do inglês e outras palavras que começam com ‘bo’, trazendo um significado semelhante (‘bounty’, ‘bonus’, ‘bônus’, ‘bonificar’). Surgiu então o Bome, que traduzindo significa algo como ‘bonifique-me’, ‘recompense-me’.

Logo após decidir a logomarca e o nome, foram formulados a base do projeto e, nesse mesmo tempo, a aceleradora 85Labs, de Fortaleza, abriu a inscrição para a primeira turma de startups a serem aceleradas. Ao saber do edital, Lucas e André se inscreveram e foram uma das startups selecionadas para a aceleração, que dura 6 meses.

A partir daí começaram a ter um acompanhamento administrativo e estratégico, recebendo investimento e a infraestrutura necessária para trabalharem no projeto.

Aplicativo Bome
1/3

Aplicativo Bome

Bome na Feira Ceará Pão, realizada no Centro de Eventos (Foto:Divulgação)

bome-feira-do-empreendedor
2/3

bome-feira-do-empreendedor

Bome na Feira do Empreendedor 2014 (Foto:Divulgação)

Aplicativo Bome

Lançamento

O lançamento do Bome aconteceu  no dia 1º de agosto, em uma versão mais enxuta, com a intenção de validar as principais funcionalidades do sistema para que os criadores pudessem esculpir melhor o que poderia dar forma a uma versão mais completa e estável do aplicativo.

O principal canal de divulgação são os estabelecimentos dos clientes. “Além de ser onde existem mais potenciais usuários do app, um atendimento adequado irá estimular bem mais o uso do que qualquer outro tipo de mídia. Estamos planejando campanhas de marketing tanto na internet como no offline, ainda para o mês de setembro”, diz Lucas. O Bome está no período de colher feedback de todos os lados, mas, mesmo antes do seu lançamento,  a ideia central sempre foi bem vista e aceita.

Serviço

Quem é proprietário de algum negócio e quer usar o Bome em seu estabelecimento ou conhecer mais sobre o serviço, deve entrar em contato pelo site, pelos telefones (85) 8606-2828 e (85) 8529-2436 ou curtir a página no Facebook.

Publicidade

Dê sua opinião

Aplicativo criado por cearenses traz uma versão virtual e mais prática do cartão fidelidade

Para o consumidor final, o aplicativo Bome funciona como uma maneira de ganhar bônus nos seus locais favoritos. Para o lojista, a novidade fideliza mais o cliente

Por Thamiris Treigher em Tecnologia

9 de outubro de 2014 às 12:00

Há 5 anos
O Bome funciona como uma maneira do consumidor ganhar bônus nos seus locais favoritos (Foto:Thamiris Treigher/Tribuna do Ceará)

O Bome funciona como uma maneira do consumidor ganhar bônus nos seus locais favoritos (Foto:Thamiris Treigher/Tribuna do Ceará)

Você certamente já se deparou com diversos cartões fidelidade que muitas lojas oferecem para seus clientes em troca de benefícios, descontos nas compras e acúmulo de pontos. O aplicativo Bome, criado por dois cearenses, Lucas Almeida, de 22 anos, e André Ambrósio, de 24, traz uma versão virtual e mais prática do artigo. Bome é um aplicativo que substitui os cartões de fidelidade tradicionais dos estabelecimentos, servindo também como ponte de relacionamento entre lojista e cliente.

Para os lojistas, o app gera um valor muito relevante pois, além de ser possível fidelizar seu cliente, dá para se relacionar diretamente com eles, facilitando a divulgação de promoções e novidades. Já para o consumidor final, o app funciona como uma maneira de ganhar bônus nos seus locais favoritos.

Como surgiu

Lucas Almeida teve a ideia por acaso. “Em uma noite qualquer, fui a um trailer de açaí do lado da casa da minha namorada e observei que a funcionária oferecia aqueles tradicionais cartões de fidelidade impresso para os clientes. Comecei então a pensar a respeito da eficiência desse tipo de estratégia: ‘Será que realmente isso funciona?’ A maioria das pessoas esquecem, perdem ou até mesmo acham chato juntar esses cartões. E como conseguir mensurar os resultados obtidos com a fidelização? Será que é realmente eficiente?”

Lucas pesquisou se existia alguma solução para dispositivos móveis no Brasil e no mundo, e descobriu que não existia algo parecido até então no Nordeste. Ao compartilhar a ideia com seu amigo e atual sócio, André Ambrósio, eles decidiram começar a projetar e criar o aplicativo.

Processo de criação e dificuldades

No início, Lucas e André pensaram nas funcionalidades do aplicativo e depois no modelo de negócio. A primeira dificuldade foi definir um nome e uma logomarca. Afinal, por quê ‘Bome’? A ideia era de que deveria ser algo curto, foneticamente agradável e que lembrasse o que é a essência do aplicativo. Foram escolhidas as palavras ‘boon’ (benefício) e ‘me’ (mim, me) do inglês e outras palavras que começam com ‘bo’, trazendo um significado semelhante (‘bounty’, ‘bonus’, ‘bônus’, ‘bonificar’). Surgiu então o Bome, que traduzindo significa algo como ‘bonifique-me’, ‘recompense-me’.

Logo após decidir a logomarca e o nome, foram formulados a base do projeto e, nesse mesmo tempo, a aceleradora 85Labs, de Fortaleza, abriu a inscrição para a primeira turma de startups a serem aceleradas. Ao saber do edital, Lucas e André se inscreveram e foram uma das startups selecionadas para a aceleração, que dura 6 meses.

A partir daí começaram a ter um acompanhamento administrativo e estratégico, recebendo investimento e a infraestrutura necessária para trabalharem no projeto.

Aplicativo Bome
1/3

Aplicativo Bome

Bome na Feira Ceará Pão, realizada no Centro de Eventos (Foto:Divulgação)

bome-feira-do-empreendedor
2/3

bome-feira-do-empreendedor

Bome na Feira do Empreendedor 2014 (Foto:Divulgação)

Aplicativo Bome

Lançamento

O lançamento do Bome aconteceu  no dia 1º de agosto, em uma versão mais enxuta, com a intenção de validar as principais funcionalidades do sistema para que os criadores pudessem esculpir melhor o que poderia dar forma a uma versão mais completa e estável do aplicativo.

O principal canal de divulgação são os estabelecimentos dos clientes. “Além de ser onde existem mais potenciais usuários do app, um atendimento adequado irá estimular bem mais o uso do que qualquer outro tipo de mídia. Estamos planejando campanhas de marketing tanto na internet como no offline, ainda para o mês de setembro”, diz Lucas. O Bome está no período de colher feedback de todos os lados, mas, mesmo antes do seu lançamento,  a ideia central sempre foi bem vista e aceita.

Serviço

Quem é proprietário de algum negócio e quer usar o Bome em seu estabelecimento ou conhecer mais sobre o serviço, deve entrar em contato pelo site, pelos telefones (85) 8606-2828 e (85) 8529-2436 ou curtir a página no Facebook.