Posts com a tag: impacto ambiental

 

Mobilidade: vereador afirma que obras atuais são as mais baratas e ecológicas dos últimos 10 anos

Evaldo Lima mostrou diversas concepções das obras e mostrou que as duas ideias anteriores de mobilidade urbana, eram mais invasivas no Parque do Cocó e mais caras também

Vereador do PCdoB é o líder do governo na CMFor (FOTO: Genilson de Lima)

Vereador do PCdoB é o líder do governo na CMFor (FOTO: Genilson de Lima)

O vereador Evaldo Lima (PCdoB) fez o uso da palavra no grande expediente desta terça-feira (5), na Câmara Municipal de Fortaleza, para mostrar que as obras de mobilidade urbana que ligam a avenida Antônio Bezerra à avenida Engenheiro Santana Júnior são as mais baratas e mais ecológicas, quando comparadas às realizadas pelas gestões municipais anteriores.

O parlamentar explicou que desde a primeira concepção da obra, em 2003, na época do governo Juraci Magalhães, o projeto sofreu diversas alterações e intervenções e atualmente está mais econômico e mais ecológico. “Estou absolutamente convencido que o melhor projeto é o que a gente apresenta agora, tanto do ponto de vista econômico e ecológico”.

Mais invasivas

Evaldo mostrou diversas concepções das obras e mostrou que as duas ideias anteriores de mobilidade urbana, eram mais invasivas no Parque do Cocó e mais caras também, e explicou que fazer os túneis custariam mais e seriam obras mais demoradas. “Em 2003, existia uma grande rotatória com dois viadutos muito mais impactantes do que agora. No segundo projeto, do arquiteto Fausto Nilo, o impacto e as rotatórias se tornaram muito mais significativas ao Parque do Cocó″, explicou.

Viadutos no Cocó

O parlamentar explicou também que para diminuir o impacto ambiental no local, ao cortar uma árvore, mais três estão sendo plantadas no Parque do Cocó, e assegurou que as árvores derrubadas não fazem parte do ecossistema do local. “São árvores do tipo algodão do Ceará, castanhola e cajueiros, e nenhuma das três árvores fazem parte do ecossistema do Cocó. Não há obra sem impacto ambiental, mas essa é a melhor alternativa, porque as demais versões adentravam na área verde”, afirmou.

Evaldo concluiu seu uso na tribuna indagando sobre os campos de futebol que existem dentro do Parque do Cocó que não chamaram atenção dos ativistas que se opõem às obras de mobilidade urbana. “A gente tem lá dois campos de futebol, mas a gente não vê os supostos ambientalistas fazendo esse questionamento”.

Com informações da CMFor

MP solicita paralisação imediata do desmatamento no Cocó

Na ação, o promotor de Justiça pediu a suspensão do processo licitatório de obras, bens e serviços relativos às obras de construção do viaduto, até a conclusão do licenciamento ambiental

Desmatamento do Cocó  (FOTO: Lucas Moreira)

Desmatamento do Cocó (FOTO: Lucas Moreira)

O Ministério Público do Ceará propôs uma ação civil pública ambiental e um pedido de liminar solicitando a paralisação imediata do desmatamento de centenas de árvores do Parque do Cocó para a construção de dois viadutos sobre as avenidas Engenheiro Santana Júnior e Antônio Sales, em Fortaleza. E também a paralisação do próprio empreendimento até que sejam apresentados o Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto no Meio Ambiente (EIA/RIMA). O Ministério Público Federal também já havia realizado recomendação semelhante.

De acordo com o representante do Ministério Público do Estado do Ceará, a ação está com o juiz de Direito da 2ª Vara da Fazenda Pública do Estado do Ceará. Considerando a urgência que o caso requer, por conta da possibilidade de danos ambientais irreparáveis à coletividade, deverá ser determinada a apresentação formal do projeto e a formalização do processo de licenciamento ambiental com realização de Estudo de Impacto Ambiental junto ao órgão ambiental estadual.

Na ação, o promotor de Justiça pediu a suspensão do processo licitatório de obras, bens e serviços relativos às obras de construção do viaduto, até a conclusão do licenciamento ambiental, observando que o licenciamento deverá exigir estudo prévio de impacto ambiental.

Com informações do Ministério Público Estadual

MPF recomenda relatório de impacto ambiental para viadutos do Cocó

De acordo com o Procurador Oscar Costa Filho. No caso da intervenção no Cocó, a competência para conceder a licença para execução da obra era da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Semace), e não da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Seuma)

Maquete dos viadutos sobre o cocó (foto: reprodução)

Maquete dos viadutos sobre o cocó (foto: Reprodução)

O Ministério Público Federal do Ceará (MPF-CE), por meio do procurador da República Oscar Costa Filho, enviou recomendação à Secretaria do Patrimônio da União no Ceará (SPU), na manhã desta segunda (22), para que, se as obras dos viadutos nas esquinas da Antônio Sales, com Engenheiro Santana Júnior seja submetido a apresentação do Estudo de Impacto Ambiental, acompanhado do respectivo Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima).

As intervenções para construção de viadutos nos cruzamentos das avenidas Antônio Sales e Engenheiro Santana Júnior foram iniciadas pela Prefeitura de Fortaleza sem que houvesse sido apresentados estudo e relatório de impacto ambiental.

De acordo com o Procurador Oscar Costa Filho. No caso da intervenção no Cocó, a competência para conceder a licença para execução da obra era da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Semace), e não da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Seuma), como ocorreu.

O procurador se baseia no artigo 8º da lei complementar 140/2011 indica que é ação administrativa do Estado, e não do Município, promover o licenciamento ambiental de atividades ou empreendimentos localizados em unidades de conservação instituídas pelo Estado. E também em uma resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), que exige a elaboração do EIA/Rima para fins de concessão de licenciamento de atividades modificadoras do meio ambiente. E também

Na recomendação enviada à SPU, o procurador dá um prazo de 72 horas para que o superintendente do órgão no Ceará, Jorge Luiz Oliveira de Queiroz, forneça ao MPF informações acerca das providências adotadas pela Secretaria do Patrimônio da União sobre o caso.

Audiência pública discute impacto ambiental do Aquário do Ceará

Enquanto as negociações entre professores e governo do estado esbarravam em questões orçamentárias, sobra dinheiro para investimentos em obras grandiosas como o Aquário do Ceará. Na manhã desta sexta-feira (25), uma audiência pública discutiu o impacto ambiental do projeto. A expectativa é que a construção comece no primeiro semestre do ano de 2012.

Imagem de Amostra do You Tube

Arquitetos elaboram estudo sobre construção de estaleiro no Titanzinho

Segundo o presidente do IAB, Odilo Almeira, a entidade fará um estudo dos documentos que embasaram a escolha do governador pelo Titanzinho

Em meio a polêmica sobre a construção de um estaleiro na Praia do Titanzinho, em Fortaleza, o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) no Ceará irá elaborar um documento público se posicionando sobre a instalação do empreendimento no local.

A decisão da elaboração do estudo veio após reunião ocorrida entre diretores e conselheiros da entidade com o governador Cid Gomes (PSB) no Palácio Iracema.

Segundo o presidente do IAB, Odilo Almeira, a entidade fará um estudo dos documentos que embasaram a escolha do governador pelo Titanzinho. Serão pensados os impactos ambientais e urbanos do estaleiro. Ainda conforme Odilo, ele irá se reunir com a Prefeitura de Fortaleza antes de expor sua posição sobre o caso.

Redação Jangadeiro Online, com informações do O Povo

Página 1 de 11