Vítimas da chacina em Palmácia foram encontradas amarradas em local onde foram caçar animais

INVESTIGAÇÕES

Vítimas da chacina em Palmácia foram encontradas amarradas em local onde foram caçar animais

Três pessoas foram presas suspeitas de envolvimento na chacina em Palmácia; uma quarta foi presa por estar ligada ao grupo, mas não ao crime

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

14 de julho de 2018 às 14:01

Há 11 meses
Cinco pessoas foram mortas na chacina em Palmácia. (Foto: Pexels)

Cinco pessoas foram mortas na chacina em Palmácia. (Foto: Pexels)

As cinco vítimas da chacina em Palmácia, a 72 km de Fortaleza, foram mortas com armas de fogo e golpes de objetos cortantes em um lugar isolado na área de serra, onde elas estariam caçando animais. Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), os corpos foram encontrados amarrados com cordas próximos a uma estrada.

Três pessoas foram presas suspeitas de envolvimento com a chacina. Uma quarta pessoa foi presa suspeita de integrar o grupo, mas sem participação direta nos homicídios.

Os acusados foram levados para a Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). São eles Antônio Evandilson Azevedo Fernandes, de 34 anos; Wagli Edmar da Silva Viana, de 30 anos; e Francisca Maria Pereira Sales, cuja idade não foi revelada. Eles foram presos em uma casa no bairro Bom Jardim, em Fortaleza.

Na local, a Polícia encontrou uma pistola ponto 40, um revólver calibre 38, facas e foices. Essas armas podem ter sido usadas na chacina.

Segundo reportagem do programa Barra Pesada/TV Jangadeiro, a Polícia Civil está a procura de mais dois homens que não tiveram os nomes revelados para não atrapalhar as investigações. A Polícia reforça que a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam ajudar na elucidação do caso.

As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) para o‪ (85) 3257-4807, do DHPP, ou ainda para o número ‪(85) 99111-7498, que é o WhatsApp do Departamento, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo é garantido

Chacina

Na manhã da sexta-feira (13), por volta de 4h30 da manhã, homens armados e encapuzados invadiram uma casa no alto de uma serra, localizada no município de Palmácia, na localidade de Cafundó.

Na residência, cinco pessoas foram abordadas pelos criminosos que buscavam por um homem que, supostamente, se encontra foragido da polícia acusado de estupro. Os assassinos deixaram um adolescente fugir e amarraram os outros homens que estavam na casa.

As vítimas foram arrastadas por 300 m até as margens de uma via, local em que foram torturadas e assassinadas com disparos de arma de fogo. O filho de uma das vítimas tentou impedir o crime, mas também foi assassinado.

Linhas de investigação

A polícia trabalha com três linhas de investigação. A primeira é suspeita de vingança. As outras duas seriam envolvimento com facções criminosas ou roubo de gado. A área é de difícil acesso e as equipes não conseguem chegar de carro ao local do crime.

As vítimas foram identificadas como Antônio Barbosa Sousa (56), que tinha um mandado de prisão em aberto por homicídio qualificado; Paulo Sérgio dos Santos da Silva (30) – filho de Antônio Barbosa Sousa –; Francisco Antônio Pereira de Abreu (43), José Roniely Costa Pereira (25) e José Edson Ferreira dos Santos.

Publicidade

Dê sua opinião

INVESTIGAÇÕES

Vítimas da chacina em Palmácia foram encontradas amarradas em local onde foram caçar animais

Três pessoas foram presas suspeitas de envolvimento na chacina em Palmácia; uma quarta foi presa por estar ligada ao grupo, mas não ao crime

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

14 de julho de 2018 às 14:01

Há 11 meses
Cinco pessoas foram mortas na chacina em Palmácia. (Foto: Pexels)

Cinco pessoas foram mortas na chacina em Palmácia. (Foto: Pexels)

As cinco vítimas da chacina em Palmácia, a 72 km de Fortaleza, foram mortas com armas de fogo e golpes de objetos cortantes em um lugar isolado na área de serra, onde elas estariam caçando animais. Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), os corpos foram encontrados amarrados com cordas próximos a uma estrada.

Três pessoas foram presas suspeitas de envolvimento com a chacina. Uma quarta pessoa foi presa suspeita de integrar o grupo, mas sem participação direta nos homicídios.

Os acusados foram levados para a Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). São eles Antônio Evandilson Azevedo Fernandes, de 34 anos; Wagli Edmar da Silva Viana, de 30 anos; e Francisca Maria Pereira Sales, cuja idade não foi revelada. Eles foram presos em uma casa no bairro Bom Jardim, em Fortaleza.

Na local, a Polícia encontrou uma pistola ponto 40, um revólver calibre 38, facas e foices. Essas armas podem ter sido usadas na chacina.

Segundo reportagem do programa Barra Pesada/TV Jangadeiro, a Polícia Civil está a procura de mais dois homens que não tiveram os nomes revelados para não atrapalhar as investigações. A Polícia reforça que a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam ajudar na elucidação do caso.

As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) para o‪ (85) 3257-4807, do DHPP, ou ainda para o número ‪(85) 99111-7498, que é o WhatsApp do Departamento, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo é garantido

Chacina

Na manhã da sexta-feira (13), por volta de 4h30 da manhã, homens armados e encapuzados invadiram uma casa no alto de uma serra, localizada no município de Palmácia, na localidade de Cafundó.

Na residência, cinco pessoas foram abordadas pelos criminosos que buscavam por um homem que, supostamente, se encontra foragido da polícia acusado de estupro. Os assassinos deixaram um adolescente fugir e amarraram os outros homens que estavam na casa.

As vítimas foram arrastadas por 300 m até as margens de uma via, local em que foram torturadas e assassinadas com disparos de arma de fogo. O filho de uma das vítimas tentou impedir o crime, mas também foi assassinado.

Linhas de investigação

A polícia trabalha com três linhas de investigação. A primeira é suspeita de vingança. As outras duas seriam envolvimento com facções criminosas ou roubo de gado. A área é de difícil acesso e as equipes não conseguem chegar de carro ao local do crime.

As vítimas foram identificadas como Antônio Barbosa Sousa (56), que tinha um mandado de prisão em aberto por homicídio qualificado; Paulo Sérgio dos Santos da Silva (30) – filho de Antônio Barbosa Sousa –; Francisco Antônio Pereira de Abreu (43), José Roniely Costa Pereira (25) e José Edson Ferreira dos Santos.