Unidade de Segurança Integrada será implantada no campus do Pici

INSEGURANÇA

Unidade de Segurança Integrada será implantada no campus da UFC como resposta a chacina

A instalação está prevista para acontecer em maio. Além disso, será intensificado o patrulhamento no campus da UFC

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

13 de Março de 2018 às 10:48

Há 5 meses
Corpo sendo desenhado

Nesta segunda-feira (12), foi realizado uma manifestação de luto na praça da Gentilândia (Foto: Daniel Rocha)

Uma Unidade de Segurança Integrada (Uniseg) será implantada no campus do Pici da Universidade Federal do Ceará (UFC) em maio. O anúncio aconteceu nesta segunda-feira (12), durante uma reunião entre o reitor da universidade, Henry Campos, com o governador Camilo Santana (PT) e com o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), no Palácio da Abolição.

O encontro teve como objetivo discutir sobre a segurança no campi da instituição.

Além da implantação da Uniseg, outras medidas de segurança foram definidas. Haverá a intensificação de patrulhamento nos campus do Benfica e do Porangabuçu.

Também ficou acertado apoio por parte do Governo do Estado e da Prefeitura para ações de cultura e arte no Benfica, como o projeto Corredor Cultural Benfica, coordenado pela UFC.

O encontro foi motivado pela ocorrência da chacina no Benfica na última sexta-feira (9) que vitimou sete pessoas em três pontos próximos ao campus da UFC. Os locais do crime são bastante frequentados por estudantes, servidores e professores da instituição além de ser uma das regiões mais boêmias da cidade.

Na manhã desta segunda (12), foi realizado um manifesto de luto na Praça da Gentilândia, local onde algumas vítimas morreram ao serem alvejadas por tiros. Até o momento, uma pessoa foi presa por ser suspeito de ter participado do crime.

Chacina do Benfica

De acordo com a SSPDS, suspeitos em um carro, modelo Honda Civic, dispararam contra pessoas que estavam na Praça da Gentilândia, tradicional reduto cultural da Capital. Minutos depois, na Vila Demétrio, nas proximidades da sede da TUF, suspeitos em outro veículo atiraram em um grupo de jovens que bebia no local.

Na fuga, na Rua Joaquim Magalhães, os criminosos atiraram contra duas pessoas que usavam uniforme de torcida organizada e estavam retornando de um estabelecimento comercial onde teriam comprado bebida alcoólica.

Vítimas da chacina

As vítimas na Praça da Gentilândia foram identificadas como José Gilmar Furtado de Oliveira Júnior (33), com passagens na Polícia por roubo e posse de drogas; Antônio Igor Moreira e Silva (26), com passagem por posse de droga: e Joaquim Vieira de Lucena Neto (21), sem antecedentes.

Na Vila Demétrio, foi morto Carlos Victor Meneses Barros (23), sem antecedentes. Na Rua Joaquim Magalhães, a vítima foi Pedro Braga Barroso Neto (22), com duas passagens por roubo e uma por associação criminosa.

Quatro vítimas baleadas nas ocorrências foram levadas para o Instituto Doutor José Frota (IJF), em Fortaleza. Duas pessoas não resistiram aos ferimentos e morrerem na unidade hospitalar. As vítimas foram identificadas como Emilson Bandeira de Melo Júnior (27) e Adenilton da Silva Ferreira (24), ambos sem antecedentes criminais. Outras duas vítimas seguem em atendimento no hospital.

Outros casos

Nos três primeiros meses de 2018, no Ceará, 35 pessoas foram mortas em quatro chacinas. O segundo caso, com o maior número de vítimas, foi em Cajazeiras, em na capital cearense. Catorze pessoas foram mortas na casa de shows, conhecida como “Forró do Gago”, na Rua Madre Tereza de Calcutá, na Comunidade Barreirão.

O crime ganhou ampla repercussão e na época, o secretário da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, chegou a dizer que não havia motivo para pânico.

Ainda em janeiro, um conflito entre facções criminosas terminou em chacina na cadeia pública do município de Itapajé, a 130 km de Fortaleza. De acordo com a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado do Ceará (Sejus), foram 10 mortos e seis feridos.

Acompanhe o caso:

12/3/2018 – “Foram os 2 minutos mais demorados da minha vida”, diz jovem que presenciou chacina

12/3/2018 – 3 dos 4 integrantes da TUF mortos em chacina não tinham antecedentes criminais

12/3/2018 – Manifestação após chacina reúne centenas de estudantes e professores pelas ruas do Benfica

12/3/2018 – Pai de vítima da Chacina do Benfica defende que filho era usuário de drogas e não bandido

12/3/2018 – Após chacina do Benfica, população organiza “abraço de luto” na Praça da Gentilândia

11/3/2018 – Polícia prende suspeito da chacina no Benfica em área nobre de Fortaleza

11/3/2018 – TUF e Cearamor negam relação da chacina no Benfica com rivalidade entre torcidas

11/3/2018 – Após chacina no Benfica, Ministério Público do Ceará cobra extinção das torcidas organizadas

10/3/2018 – “Temos a real compreensão da gravidade da situação”, disse Camilo Santana sobre Chacina do Benfica

10/3/2018 – 35 mortos em chacinas nos três primeiros meses de 2018 no Ceará

10/3/2018 – Membros de torcida organizada descrevem os momentos após a chacina no Benfica

10/3/2018 – Sete mortos em nova chacina no Benfica

Publicidade

Dê sua opinião

INSEGURANÇA

Unidade de Segurança Integrada será implantada no campus da UFC como resposta a chacina

A instalação está prevista para acontecer em maio. Além disso, será intensificado o patrulhamento no campus da UFC

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

13 de Março de 2018 às 10:48

Há 5 meses
Corpo sendo desenhado

Nesta segunda-feira (12), foi realizado uma manifestação de luto na praça da Gentilândia (Foto: Daniel Rocha)

Uma Unidade de Segurança Integrada (Uniseg) será implantada no campus do Pici da Universidade Federal do Ceará (UFC) em maio. O anúncio aconteceu nesta segunda-feira (12), durante uma reunião entre o reitor da universidade, Henry Campos, com o governador Camilo Santana (PT) e com o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), no Palácio da Abolição.

O encontro teve como objetivo discutir sobre a segurança no campi da instituição.

Além da implantação da Uniseg, outras medidas de segurança foram definidas. Haverá a intensificação de patrulhamento nos campus do Benfica e do Porangabuçu.

Também ficou acertado apoio por parte do Governo do Estado e da Prefeitura para ações de cultura e arte no Benfica, como o projeto Corredor Cultural Benfica, coordenado pela UFC.

O encontro foi motivado pela ocorrência da chacina no Benfica na última sexta-feira (9) que vitimou sete pessoas em três pontos próximos ao campus da UFC. Os locais do crime são bastante frequentados por estudantes, servidores e professores da instituição além de ser uma das regiões mais boêmias da cidade.

Na manhã desta segunda (12), foi realizado um manifesto de luto na Praça da Gentilândia, local onde algumas vítimas morreram ao serem alvejadas por tiros. Até o momento, uma pessoa foi presa por ser suspeito de ter participado do crime.

Chacina do Benfica

De acordo com a SSPDS, suspeitos em um carro, modelo Honda Civic, dispararam contra pessoas que estavam na Praça da Gentilândia, tradicional reduto cultural da Capital. Minutos depois, na Vila Demétrio, nas proximidades da sede da TUF, suspeitos em outro veículo atiraram em um grupo de jovens que bebia no local.

Na fuga, na Rua Joaquim Magalhães, os criminosos atiraram contra duas pessoas que usavam uniforme de torcida organizada e estavam retornando de um estabelecimento comercial onde teriam comprado bebida alcoólica.

Vítimas da chacina

As vítimas na Praça da Gentilândia foram identificadas como José Gilmar Furtado de Oliveira Júnior (33), com passagens na Polícia por roubo e posse de drogas; Antônio Igor Moreira e Silva (26), com passagem por posse de droga: e Joaquim Vieira de Lucena Neto (21), sem antecedentes.

Na Vila Demétrio, foi morto Carlos Victor Meneses Barros (23), sem antecedentes. Na Rua Joaquim Magalhães, a vítima foi Pedro Braga Barroso Neto (22), com duas passagens por roubo e uma por associação criminosa.

Quatro vítimas baleadas nas ocorrências foram levadas para o Instituto Doutor José Frota (IJF), em Fortaleza. Duas pessoas não resistiram aos ferimentos e morrerem na unidade hospitalar. As vítimas foram identificadas como Emilson Bandeira de Melo Júnior (27) e Adenilton da Silva Ferreira (24), ambos sem antecedentes criminais. Outras duas vítimas seguem em atendimento no hospital.

Outros casos

Nos três primeiros meses de 2018, no Ceará, 35 pessoas foram mortas em quatro chacinas. O segundo caso, com o maior número de vítimas, foi em Cajazeiras, em na capital cearense. Catorze pessoas foram mortas na casa de shows, conhecida como “Forró do Gago”, na Rua Madre Tereza de Calcutá, na Comunidade Barreirão.

O crime ganhou ampla repercussão e na época, o secretário da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, chegou a dizer que não havia motivo para pânico.

Ainda em janeiro, um conflito entre facções criminosas terminou em chacina na cadeia pública do município de Itapajé, a 130 km de Fortaleza. De acordo com a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado do Ceará (Sejus), foram 10 mortos e seis feridos.

Acompanhe o caso:

12/3/2018 – “Foram os 2 minutos mais demorados da minha vida”, diz jovem que presenciou chacina

12/3/2018 – 3 dos 4 integrantes da TUF mortos em chacina não tinham antecedentes criminais

12/3/2018 – Manifestação após chacina reúne centenas de estudantes e professores pelas ruas do Benfica

12/3/2018 – Pai de vítima da Chacina do Benfica defende que filho era usuário de drogas e não bandido

12/3/2018 – Após chacina do Benfica, população organiza “abraço de luto” na Praça da Gentilândia

11/3/2018 – Polícia prende suspeito da chacina no Benfica em área nobre de Fortaleza

11/3/2018 – TUF e Cearamor negam relação da chacina no Benfica com rivalidade entre torcidas

11/3/2018 – Após chacina no Benfica, Ministério Público do Ceará cobra extinção das torcidas organizadas

10/3/2018 – “Temos a real compreensão da gravidade da situação”, disse Camilo Santana sobre Chacina do Benfica

10/3/2018 – 35 mortos em chacinas nos três primeiros meses de 2018 no Ceará

10/3/2018 – Membros de torcida organizada descrevem os momentos após a chacina no Benfica

10/3/2018 – Sete mortos em nova chacina no Benfica