Traficante preso pela Polícia mantinha "tribunal da morte" em favelas de Fortaleza

COMANDO VERMELHO

Traficante preso pela Polícia mantinha “tribunal da morte” em favelas de Fortaleza

O grupo Cultura da Paz matava pessoas da periferia que cometessem delito contra a própria comunidade

Por Matheus Ribeiro em Segurança Pública

18 de Maio de 2016 às 11:27

Há 3 anos
Francisco Manoel foi preso nesta terça-feira pela Polícia Civil (FOTO: Divulgação Polícia Civil)

Francisco Manoel foi preso nesta terça-feira pela Polícia Civil (FOTO: Divulgação Polícia Civil)

O traficante Francisco Manoel de Sousa Filho, 20 anos, que se diz membro de uma das maiores facções criminosas do país, o Comando Vermelho (CV), foi preso na tarde desta terça-feira (18) pela Polícia Civil em Fortaleza. Conhecido como ‘Noênio’, Francisco Manoel é um dos responsáveis por criar um “tribunal” formado por traficantes em periferias de Fortaleza.

De acordo com o delegado do 15º Distrito Policial, Hélio Marques, Noênio era o comandante dos “julgamentos”. “Segundo o traficante, ele criou um pseudo-tribunal formado por um grupo de traficantes em que eles denominaram de ‘Cultura da Paz’. Adotando essa medida na periferia, eles criaram uma lei em que se qualquer pessoa cometesse um delito contra a comunidade seria punida com a morte. Na verdade, eles montaram um tribunal na favela em que a sentença final era a morte”, disse Hélio Marques.

Ainda conforme a polícia, as ações criminosas da chamada “Cultura da Paz” acontecem nas favelas do Castelo Encantado e do Morro Santa Terezinha, áreas de extrema insegurança na capital cearense. 

Prisão

Francisco Manoel foi preso em flagrante na tarde desta terça-feira (17), suspeito de torturar e mutilar uma jovem de 16 anos. Segundo a polícia, a adolescente teria ido à casa do traficante realizar um programa e teria furtado uma pistola de calibre 380.

Além do criminoso, a sua companheira, de 17 anos, e outra adolescente também foram apreendidas suspeitas de participação na tortura e mutilação da jovem, conhecida como Clara.

A adolescente torturada deu entrada no Hospital Geral de Fortaleza (HGF) com uma mão amputada e diversas marcas de espancamento espalhadas pelo corpo. Até a manhã desta quarta-feira (18), não se sabe a situação de saúde.

Publicidade

Dê sua opinião

COMANDO VERMELHO

Traficante preso pela Polícia mantinha “tribunal da morte” em favelas de Fortaleza

O grupo Cultura da Paz matava pessoas da periferia que cometessem delito contra a própria comunidade

Por Matheus Ribeiro em Segurança Pública

18 de Maio de 2016 às 11:27

Há 3 anos
Francisco Manoel foi preso nesta terça-feira pela Polícia Civil (FOTO: Divulgação Polícia Civil)

Francisco Manoel foi preso nesta terça-feira pela Polícia Civil (FOTO: Divulgação Polícia Civil)

O traficante Francisco Manoel de Sousa Filho, 20 anos, que se diz membro de uma das maiores facções criminosas do país, o Comando Vermelho (CV), foi preso na tarde desta terça-feira (18) pela Polícia Civil em Fortaleza. Conhecido como ‘Noênio’, Francisco Manoel é um dos responsáveis por criar um “tribunal” formado por traficantes em periferias de Fortaleza.

De acordo com o delegado do 15º Distrito Policial, Hélio Marques, Noênio era o comandante dos “julgamentos”. “Segundo o traficante, ele criou um pseudo-tribunal formado por um grupo de traficantes em que eles denominaram de ‘Cultura da Paz’. Adotando essa medida na periferia, eles criaram uma lei em que se qualquer pessoa cometesse um delito contra a comunidade seria punida com a morte. Na verdade, eles montaram um tribunal na favela em que a sentença final era a morte”, disse Hélio Marques.

Ainda conforme a polícia, as ações criminosas da chamada “Cultura da Paz” acontecem nas favelas do Castelo Encantado e do Morro Santa Terezinha, áreas de extrema insegurança na capital cearense. 

Prisão

Francisco Manoel foi preso em flagrante na tarde desta terça-feira (17), suspeito de torturar e mutilar uma jovem de 16 anos. Segundo a polícia, a adolescente teria ido à casa do traficante realizar um programa e teria furtado uma pistola de calibre 380.

Além do criminoso, a sua companheira, de 17 anos, e outra adolescente também foram apreendidas suspeitas de participação na tortura e mutilação da jovem, conhecida como Clara.

A adolescente torturada deu entrada no Hospital Geral de Fortaleza (HGF) com uma mão amputada e diversas marcas de espancamento espalhadas pelo corpo. Até a manhã desta quarta-feira (18), não se sabe a situação de saúde.