Policial militar é finalista em concurso nacional sobre ações de defesa e proteção da população

PRÊMIO HERÓIS REAIS

Trabalho social de policial militar cearense é finalista de concurso nacional

O sargento Leonardo Márcio Santos de Mesquita desenvolve o projeto Guardião Juvenil no Bairro Panamericano

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

28 de setembro de 2017 às 06:45

Há 3 meses
herois-reais

Representante cearense foi selecionado com quase 30 mil votos (FOTO: Reprodução Heróis Reais)

O trabalho social desenvolvido por um sargento da Polícia Militar do Estado do Ceará (PMCE) com jovens cearenses ganhou destaque em um concurso nacional. O sargento da PM Leonardo Márcio Santos de Mesquita é um dos finalistas brasileiros do Prêmio Heróis Reais, destinado ao reconhecimento da atuação de agentes de segurança pública do Brasil no desempenho de suas funções em defesa e proteção da população.

Com o projeto Guardião Juvenil, fundado por ele, o policial é o representante da Região Nordeste na categoria Inovação. Leonardo foi selecionado como finalista do concurso com quase 30 mil votos. A eleição, de forma virtual, ocorreu entre os dias 18 de agosto e 6 de setembro.

Agora, os finalistas nordestinos, o cearense Leonardo – na categoria inovação – e o sargento alagoano Erivaldo Santos Sampaio, da PM de Alagoas – na categoria Bravura – farão uma gravação para a etapa final.

O concurso é feito por regiões e, agora, restam as seleções dos representantes do Sul e Sudeste. O vencedor do concurso vai ganhar uma viagem para Las Vegas.

“Minha expectativa é de que a população cearense, como um todo, continue apoiando e votando. Pois é uma motivação a mais para os profissionais de segurança que se dedicam à comunidade dentro e fora de serviço”, destaca o sargento Leonardo.

Projeto

Na etapa de Inovação, no Nordeste, o militar cearense concorreu com um policial civil de Alagoas, com o desenvolvimento do software policial “PolOffice”, com informações de infratores, registro de ocorrências e detalhamento de crimes, disponível de forma gratuita; e com um agente penitenciário do Maranhão, que é o responsável pela coordenação de segurança do projeto de fabricação de blocos, anilhas e meio fio por detentos, em uma penitenciária de São Luís.

O projeto Guardião Juvenil nasceu da ideia de dele de dedicar tempo e atenção à garotada de seu bairro, o Panamericano. “Final de semana era minha folga e, quando vi que poderia fazer algo por alguém, comecei com dois jovens, na praça do bairro”, conta o PM, sobre o ponto de partida de sua iniciativa.

Ao longo do tempo, mais crianças e adolescentes chegavam para participar das atividades, que envolviam práticas esportivas e ordem unida (comandos de voz). “Minha intenção era apenas desenvolver uma atividade com eles. Mas eu me envolvi muito e eles também”, completa, sobre o crescimento do grupo.

De dois, em 2012, a turma passou para aproximadamente 700 alunos, em 2017. Parte deles já terminou o curso e, agora, ajuda Leonardo a dar continuidade ao trabalho. A princípio, o projeto assistia crianças e adolescentes entre oito e 18 anos. Hoje, o público alvo são pessoas entre 13 e 21 anos, com aulas sobre noções de combate a incêndio, primeiros socorros e cidadania, entre outros conteúdos, além de visitas a prédios públicos e a unidades da Polícia Militar. A formação dura cinco meses e, ao término, os concludentes recebem certificado de Voluntariedade e Protagonismo Juvenil

Heróis reais

Quando não está nas atividades do Guardião Juvenil, Leonardo, que compõe os quadros da PM há 19 anos, atua nas ações da 4ª Companhia do 6º Batalhão (4ª Cia/6º BPM), onde é lotado.

Ele foi inscrito para concorrer ao prêmio Heróis Reais pelo pai de um de seus alunos. “Recebi uma ligação e a pessoa disse que eu tinha sido selecionado entre as histórias do Nordeste”, relembra. No dia 15 de agosto, ele foi para o estado da Paraíba, onde gravou um vídeo com o idealizador do concurso, o brasileiro Marcos Do Val, que atua na Swat dos Estados Unidos.

Publicidade

Dê sua opinião

PRÊMIO HERÓIS REAIS

Trabalho social de policial militar cearense é finalista de concurso nacional

O sargento Leonardo Márcio Santos de Mesquita desenvolve o projeto Guardião Juvenil no Bairro Panamericano

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

28 de setembro de 2017 às 06:45

Há 3 meses
herois-reais

Representante cearense foi selecionado com quase 30 mil votos (FOTO: Reprodução Heróis Reais)

O trabalho social desenvolvido por um sargento da Polícia Militar do Estado do Ceará (PMCE) com jovens cearenses ganhou destaque em um concurso nacional. O sargento da PM Leonardo Márcio Santos de Mesquita é um dos finalistas brasileiros do Prêmio Heróis Reais, destinado ao reconhecimento da atuação de agentes de segurança pública do Brasil no desempenho de suas funções em defesa e proteção da população.

Com o projeto Guardião Juvenil, fundado por ele, o policial é o representante da Região Nordeste na categoria Inovação. Leonardo foi selecionado como finalista do concurso com quase 30 mil votos. A eleição, de forma virtual, ocorreu entre os dias 18 de agosto e 6 de setembro.

Agora, os finalistas nordestinos, o cearense Leonardo – na categoria inovação – e o sargento alagoano Erivaldo Santos Sampaio, da PM de Alagoas – na categoria Bravura – farão uma gravação para a etapa final.

O concurso é feito por regiões e, agora, restam as seleções dos representantes do Sul e Sudeste. O vencedor do concurso vai ganhar uma viagem para Las Vegas.

“Minha expectativa é de que a população cearense, como um todo, continue apoiando e votando. Pois é uma motivação a mais para os profissionais de segurança que se dedicam à comunidade dentro e fora de serviço”, destaca o sargento Leonardo.

Projeto

Na etapa de Inovação, no Nordeste, o militar cearense concorreu com um policial civil de Alagoas, com o desenvolvimento do software policial “PolOffice”, com informações de infratores, registro de ocorrências e detalhamento de crimes, disponível de forma gratuita; e com um agente penitenciário do Maranhão, que é o responsável pela coordenação de segurança do projeto de fabricação de blocos, anilhas e meio fio por detentos, em uma penitenciária de São Luís.

O projeto Guardião Juvenil nasceu da ideia de dele de dedicar tempo e atenção à garotada de seu bairro, o Panamericano. “Final de semana era minha folga e, quando vi que poderia fazer algo por alguém, comecei com dois jovens, na praça do bairro”, conta o PM, sobre o ponto de partida de sua iniciativa.

Ao longo do tempo, mais crianças e adolescentes chegavam para participar das atividades, que envolviam práticas esportivas e ordem unida (comandos de voz). “Minha intenção era apenas desenvolver uma atividade com eles. Mas eu me envolvi muito e eles também”, completa, sobre o crescimento do grupo.

De dois, em 2012, a turma passou para aproximadamente 700 alunos, em 2017. Parte deles já terminou o curso e, agora, ajuda Leonardo a dar continuidade ao trabalho. A princípio, o projeto assistia crianças e adolescentes entre oito e 18 anos. Hoje, o público alvo são pessoas entre 13 e 21 anos, com aulas sobre noções de combate a incêndio, primeiros socorros e cidadania, entre outros conteúdos, além de visitas a prédios públicos e a unidades da Polícia Militar. A formação dura cinco meses e, ao término, os concludentes recebem certificado de Voluntariedade e Protagonismo Juvenil

Heróis reais

Quando não está nas atividades do Guardião Juvenil, Leonardo, que compõe os quadros da PM há 19 anos, atua nas ações da 4ª Companhia do 6º Batalhão (4ª Cia/6º BPM), onde é lotado.

Ele foi inscrito para concorrer ao prêmio Heróis Reais pelo pai de um de seus alunos. “Recebi uma ligação e a pessoa disse que eu tinha sido selecionado entre as histórias do Nordeste”, relembra. No dia 15 de agosto, ele foi para o estado da Paraíba, onde gravou um vídeo com o idealizador do concurso, o brasileiro Marcos Do Val, que atua na Swat dos Estados Unidos.