Suspeita de participar de latrocínio de comerciante português é presa após 4 meses

OPERAÇÃO

Suspeita de participar de latrocínio de comerciante português é presa após 4 meses

Nuno Antônio Portugal Torres, de 39 anos, foi assassinado dentro do seu estabelecimento comercial, no Bairro Montese

Por Matheus Ribeiro em Segurança Pública

15 de Fevereiro de 2017 às 10:28

Há 1 ano

Wegila foi fugiu para Natal após o crime e tinha retornado recentemente (FOTO: Divulgação SSPDS)

Quase quatro meses depois de o português Nuno Antônio Portugal Torres, de 39 anos, ser morto após reagir a uma tentativa de assalto dentro de uma loja de informática em Fortaleza, na qual era proprietário, um dos suspeitos de envolvimento no caso foi preso. Na tarde desta segunda-feira (13), a Polícia Civil prendeu Wegila da Silva Felix, de 27 anos.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a mulher foi presa após uma ação realizada por agentes da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Wegila, que não possuía antecedentes criminais, foi capturada no Bairro Boa Vista.

Segundo a Polícia, ainda na tarde de terça, Wegila foi interrogada e confessou a participação no crime. Ela é a mulher que aparece entrando na loja da vítima junto com um comparsa.

De acordo com o delegado Fábio Torres, responsável pelas investigações, Wegila confessou que um dia após o crime e diante da repercussão do caso, fugiu para a cidade de Mossoró (RN). Em seguida, ela retornou para Fortaleza, onde tentava levar uma vida normal, sem chamar a atenção da Polícia. “Ela confessou que sabia que era procurada e mesmo assim preferiu fugir”, disse Fábio.

A Polícia segue investigando o caso para capturar Jackson Henrique Lopes de Sousa, de 23 anos, apontado como autor dos disparos que tiraram a vida da vítima, e outros três envolvidos.

Português morava há cinco anos no Brasil (FOTO: Reprodução)

Relembre o caso 

Os cinco suspeitos são investigados pela polícia de participação no latrocínio do comerciante português Antônio Portugal Torres, no último dia 17 de outubro do ano passado.

A vítima foi morta dentro do seu estabelecimento comercial, na Rua Eusébio de Queiroz, após reagir a uma tentativa de assalto. Um dos suspeitos entrou em contato com a vítima, demonstrando interesse nos relógios que eram comercializados no local, e havia marcado de ir verificar os acessórios.

O homem foi acompanhado de Wegila e após anunciar o assalto, que vitimou fatalmente Nuno Antônio, os suspeitos empreenderam fuga com apoio de mais dois veículos.

Conforme a polícia, os criminosos entraram em contato com os donos do estabelecimento através das redes sociais marcando o encontro. O português Nuno Antônio morava no Ceará há cinco anos.

Um vídeo do sistema interno de segurança do estabelecimento registrou toda a ação dos bandidos. Nas imagens, é possível visualizar que o português e os dois suspeitos entram em luta corporal e, em seguida, o comerciante é atingido.

Confira as imagens:

Publicidade

Dê sua opinião

OPERAÇÃO

Suspeita de participar de latrocínio de comerciante português é presa após 4 meses

Nuno Antônio Portugal Torres, de 39 anos, foi assassinado dentro do seu estabelecimento comercial, no Bairro Montese

Por Matheus Ribeiro em Segurança Pública

15 de Fevereiro de 2017 às 10:28

Há 1 ano

Wegila foi fugiu para Natal após o crime e tinha retornado recentemente (FOTO: Divulgação SSPDS)

Quase quatro meses depois de o português Nuno Antônio Portugal Torres, de 39 anos, ser morto após reagir a uma tentativa de assalto dentro de uma loja de informática em Fortaleza, na qual era proprietário, um dos suspeitos de envolvimento no caso foi preso. Na tarde desta segunda-feira (13), a Polícia Civil prendeu Wegila da Silva Felix, de 27 anos.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a mulher foi presa após uma ação realizada por agentes da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Wegila, que não possuía antecedentes criminais, foi capturada no Bairro Boa Vista.

Segundo a Polícia, ainda na tarde de terça, Wegila foi interrogada e confessou a participação no crime. Ela é a mulher que aparece entrando na loja da vítima junto com um comparsa.

De acordo com o delegado Fábio Torres, responsável pelas investigações, Wegila confessou que um dia após o crime e diante da repercussão do caso, fugiu para a cidade de Mossoró (RN). Em seguida, ela retornou para Fortaleza, onde tentava levar uma vida normal, sem chamar a atenção da Polícia. “Ela confessou que sabia que era procurada e mesmo assim preferiu fugir”, disse Fábio.

A Polícia segue investigando o caso para capturar Jackson Henrique Lopes de Sousa, de 23 anos, apontado como autor dos disparos que tiraram a vida da vítima, e outros três envolvidos.

Português morava há cinco anos no Brasil (FOTO: Reprodução)

Relembre o caso 

Os cinco suspeitos são investigados pela polícia de participação no latrocínio do comerciante português Antônio Portugal Torres, no último dia 17 de outubro do ano passado.

A vítima foi morta dentro do seu estabelecimento comercial, na Rua Eusébio de Queiroz, após reagir a uma tentativa de assalto. Um dos suspeitos entrou em contato com a vítima, demonstrando interesse nos relógios que eram comercializados no local, e havia marcado de ir verificar os acessórios.

O homem foi acompanhado de Wegila e após anunciar o assalto, que vitimou fatalmente Nuno Antônio, os suspeitos empreenderam fuga com apoio de mais dois veículos.

Conforme a polícia, os criminosos entraram em contato com os donos do estabelecimento através das redes sociais marcando o encontro. O português Nuno Antônio morava no Ceará há cinco anos.

Um vídeo do sistema interno de segurança do estabelecimento registrou toda a ação dos bandidos. Nas imagens, é possível visualizar que o português e os dois suspeitos entram em luta corporal e, em seguida, o comerciante é atingido.

Confira as imagens: