Secretário de Segurança garante que não há lugar onde a polícia seja impedida de entrar
PICHAÇÕES

Secretário de Segurança garante que não há lugar onde a polícia seja impedida de entrar

André Costa reconhece existência de ordens de criminosos em pichações. “Claro que há, eu estou nas ruas e eu mesmo já as li”, disse em publicação no Facebook

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

27 de julho de 2017 às 20:15

Há 4 meses
O anúncio foi feito em coletiva (FOTO: Reprodução/Facebook)

André Costa ressaltou já ter entrado em locais antes considerados inacessíveis (FOTO: Reprodução/Facebook)

O titular da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) garantiu inexistirem locais no Ceará onde a polícia seja impedida de atuar.

Em sua página no Facebook, o delegado André Costa reconhece haver pichações com ordens de criminosos em determinadas comunidades. “Claro que há, eu estou nas ruas e eu mesmo já as li”.

No entanto, afirmou que as facções criminosas não controlam esses territórios. “Isso é mito! Eu mesmo já fui a locais onde a polícia supostamente não entraria, como Morro do Santiago, Gueto, Parque Leblon, dentre outros”, escreveu.

“Nos lugares em que há essas pichações, são exatamente locais onde nossa Inteligência identifica, mapeia e então enviamos equipes policiais para que realizem ainda mais abordagens visando apreender armas de fogo e drogas. O acocho tem que ser maior nesses locais. Mas, infelizmente, não conseguimos estar em todos os lugares 24 horas por dia.

Polícia no Estado do Ceará não tem medo de criminoso! Estamos nas ruas diariamente, agindo em qualquer local e em qualquer hora. Por favor, não difundam esse mito de que há territórios controlados por facções. É isso o que eles querem, criar esse temor nas pessoas. A cidade está do jeito que queremos? Não, por isso os muitos investimentos e por isso toda a atuação com apreensões recordes de armas e de drogas, além das prisões mais frequentes de criminosos violentos”.

ERRAMOS:

O Tribuna do Ceará reconhece que interpretou equivocadamente resposta da assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). A reportagem afirmava que a Secretaria não identificava a existência de locais em que facções determinam que as pessoas baixem os vidros para entrar.

A nota enviada pela assessoria, no entanto, não tratava especificamente sobre essa questão. Posteriormente, o próprio secretário – como já mostrou o texto acima – reconhece que já viu pichações do tipo, mas que a polícia desconsidera que facções criminosas tenham domínio sobre essas áreas.

Confira nota na íntegra enviada pela assessoria da SSPDS ao Tribuna do Ceará:

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que não há lugar no Estado onde a Polícia não entre e orienta à população que ocorrências desse tipo devem ser comunicadas, por boletim de ocorrência ou por meio de denúncia anônima, via disque denúncia (181) da SSPDS, cujo sigilo é garantido.

A SSPDS afirma ainda que não tolera qualquer tipo de conduta que faça exigências ao cidadão que não sigam às leis em vigor do Estado. Esclarece ainda que quando as denúncias são feitas, a Polícia ocupa as áreas com tropas especiais e com investigação criminal dos setores de inteligência do Sistema de Segurança. A Polícia conta com a participação social por meio do disque denúncia da SSPDS, no número 181.

Veja post do secretário no Facebook:

Publicidade

Dê sua opinião

PICHAÇÕES

Secretário de Segurança garante que não há lugar onde a polícia seja impedida de entrar

André Costa reconhece existência de ordens de criminosos em pichações. “Claro que há, eu estou nas ruas e eu mesmo já as li”, disse em publicação no Facebook

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

27 de julho de 2017 às 20:15

Há 4 meses
O anúncio foi feito em coletiva (FOTO: Reprodução/Facebook)

André Costa ressaltou já ter entrado em locais antes considerados inacessíveis (FOTO: Reprodução/Facebook)

O titular da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) garantiu inexistirem locais no Ceará onde a polícia seja impedida de atuar.

Em sua página no Facebook, o delegado André Costa reconhece haver pichações com ordens de criminosos em determinadas comunidades. “Claro que há, eu estou nas ruas e eu mesmo já as li”.

No entanto, afirmou que as facções criminosas não controlam esses territórios. “Isso é mito! Eu mesmo já fui a locais onde a polícia supostamente não entraria, como Morro do Santiago, Gueto, Parque Leblon, dentre outros”, escreveu.

“Nos lugares em que há essas pichações, são exatamente locais onde nossa Inteligência identifica, mapeia e então enviamos equipes policiais para que realizem ainda mais abordagens visando apreender armas de fogo e drogas. O acocho tem que ser maior nesses locais. Mas, infelizmente, não conseguimos estar em todos os lugares 24 horas por dia.

Polícia no Estado do Ceará não tem medo de criminoso! Estamos nas ruas diariamente, agindo em qualquer local e em qualquer hora. Por favor, não difundam esse mito de que há territórios controlados por facções. É isso o que eles querem, criar esse temor nas pessoas. A cidade está do jeito que queremos? Não, por isso os muitos investimentos e por isso toda a atuação com apreensões recordes de armas e de drogas, além das prisões mais frequentes de criminosos violentos”.

ERRAMOS:

O Tribuna do Ceará reconhece que interpretou equivocadamente resposta da assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). A reportagem afirmava que a Secretaria não identificava a existência de locais em que facções determinam que as pessoas baixem os vidros para entrar.

A nota enviada pela assessoria, no entanto, não tratava especificamente sobre essa questão. Posteriormente, o próprio secretário – como já mostrou o texto acima – reconhece que já viu pichações do tipo, mas que a polícia desconsidera que facções criminosas tenham domínio sobre essas áreas.

Confira nota na íntegra enviada pela assessoria da SSPDS ao Tribuna do Ceará:

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que não há lugar no Estado onde a Polícia não entre e orienta à população que ocorrências desse tipo devem ser comunicadas, por boletim de ocorrência ou por meio de denúncia anônima, via disque denúncia (181) da SSPDS, cujo sigilo é garantido.

A SSPDS afirma ainda que não tolera qualquer tipo de conduta que faça exigências ao cidadão que não sigam às leis em vigor do Estado. Esclarece ainda que quando as denúncias são feitas, a Polícia ocupa as áreas com tropas especiais e com investigação criminal dos setores de inteligência do Sistema de Segurança. A Polícia conta com a participação social por meio do disque denúncia da SSPDS, no número 181.

Veja post do secretário no Facebook: