Policiais civis são afastados acusados de sequestrar e extorquir traficantes

CORRUPÇÃO

Quatro policiais civis são afastados acusados de sequestrar e extorquir traficantes

Na casa de um dos acusados, foram apreendidos R$ 10 mil reais e relógios de marcas importadas. As armas e distintivos dos policiais também foram recolhidos

Por Lucas Barbosa em Segurança Pública

7 de novembro de 2017 às 17:10

Há 1 mês
ministério público estadual do ceará

Crime foi descoberto durante as investigações do “pacto de paz” firmado por traficantes no Vicente Pinzón (FOTO: Reprodução/Google Maps)

Quatro policiais civis são réus e foram afastados preventivamente acusados de sequestrar e extorquir um traficante de drogas. Na manhã desta terça-feira (7), operação cumpriu mandado de busca e apreensão em desfavor dos agentes.

A ação foi capitaneada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MPCE), com apoio da Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública (CGD).

Conforme o MPCE, os policiais, então lotados no 30º Distrito Policial (30º DP) abordaram, à paisana e em carros descaracterizados, um grupo de pessoas na Avenida Almirante Henrique Saboia (Via Expressa).

Uma das vítimas da ação ficou na posse dos policiais por várias horas, tendo sido liberado somente após pagamento, conforme a investigação. O traficante chegou a ser levado, algemado, a uma delegacia, mas sem a existência de ordem judicial ou flagrante de crime nem conhecimento dos delegados do distrito policial. Tribuna do Ceará apurou que o traficante em questão é Felipe Pereira da Silva e que ele teria pago R$ 15 mil, “para não ser incomodado”.

O caso ocorreu ainda em março de 2016 e foi descoberto durante as investigações da Operação Vera Pax, deflagrada em abril de 2016, que apurava um “pacto de paz” entre criminosos que atuavam na região do bairro Vicente Pinzón. Um desses criminosos seria a vítima da ação dos policiais civis. Esse traficante chegou a ser preso e condenado em decorrência da Vera Pax, conta o promotor Felipe Diogo Frota, que atuou em ambos os casos.

A suspeita de extorsão e sequestro foi repassada à CGD, que abriu o inquérito e concluiu as investigações que resultaram nos mandados cumpridos nesta manhã. Com anuência da 3ª Vara Criminal de Fortaleza, foram vasculhadas as casas dos policiais civis José Rodrigues Alves Neto, mais conhecido como “Miágui”; Marcelo Vieira Lima de Aguiar, Antônio Flaviano de Araújo e Paulo Sérgio Vieira Noronha.

Na casa de Miágui, foi apreendida quantia superior a R$ 10 mil em espécie e vários relógios de marcas importadas, segundo o MPCE. As armas e distintivos dos policiais também foram recolhidos. Eles estão proibidos de entrar em delegacias do Estado. No entanto, respondem o processo em liberdade.

Se considerados culpados, eles podem ser condenados até 15 anos de prisão. No âmbito administrativo, podem ainda ser demitidos da corporação.

Tribuna do Ceará tentou entrar em contato com um dos policiais acusados, mas as ligações não foram atendidas. Os demais não foram localizados pela reportagem.

Publicidade

Dê sua opinião

CORRUPÇÃO

Quatro policiais civis são afastados acusados de sequestrar e extorquir traficantes

Na casa de um dos acusados, foram apreendidos R$ 10 mil reais e relógios de marcas importadas. As armas e distintivos dos policiais também foram recolhidos

Por Lucas Barbosa em Segurança Pública

7 de novembro de 2017 às 17:10

Há 1 mês
ministério público estadual do ceará

Crime foi descoberto durante as investigações do “pacto de paz” firmado por traficantes no Vicente Pinzón (FOTO: Reprodução/Google Maps)

Quatro policiais civis são réus e foram afastados preventivamente acusados de sequestrar e extorquir um traficante de drogas. Na manhã desta terça-feira (7), operação cumpriu mandado de busca e apreensão em desfavor dos agentes.

A ação foi capitaneada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MPCE), com apoio da Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública (CGD).

Conforme o MPCE, os policiais, então lotados no 30º Distrito Policial (30º DP) abordaram, à paisana e em carros descaracterizados, um grupo de pessoas na Avenida Almirante Henrique Saboia (Via Expressa).

Uma das vítimas da ação ficou na posse dos policiais por várias horas, tendo sido liberado somente após pagamento, conforme a investigação. O traficante chegou a ser levado, algemado, a uma delegacia, mas sem a existência de ordem judicial ou flagrante de crime nem conhecimento dos delegados do distrito policial. Tribuna do Ceará apurou que o traficante em questão é Felipe Pereira da Silva e que ele teria pago R$ 15 mil, “para não ser incomodado”.

O caso ocorreu ainda em março de 2016 e foi descoberto durante as investigações da Operação Vera Pax, deflagrada em abril de 2016, que apurava um “pacto de paz” entre criminosos que atuavam na região do bairro Vicente Pinzón. Um desses criminosos seria a vítima da ação dos policiais civis. Esse traficante chegou a ser preso e condenado em decorrência da Vera Pax, conta o promotor Felipe Diogo Frota, que atuou em ambos os casos.

A suspeita de extorsão e sequestro foi repassada à CGD, que abriu o inquérito e concluiu as investigações que resultaram nos mandados cumpridos nesta manhã. Com anuência da 3ª Vara Criminal de Fortaleza, foram vasculhadas as casas dos policiais civis José Rodrigues Alves Neto, mais conhecido como “Miágui”; Marcelo Vieira Lima de Aguiar, Antônio Flaviano de Araújo e Paulo Sérgio Vieira Noronha.

Na casa de Miágui, foi apreendida quantia superior a R$ 10 mil em espécie e vários relógios de marcas importadas, segundo o MPCE. As armas e distintivos dos policiais também foram recolhidos. Eles estão proibidos de entrar em delegacias do Estado. No entanto, respondem o processo em liberdade.

Se considerados culpados, eles podem ser condenados até 15 anos de prisão. No âmbito administrativo, podem ainda ser demitidos da corporação.

Tribuna do Ceará tentou entrar em contato com um dos policiais acusados, mas as ligações não foram atendidas. Os demais não foram localizados pela reportagem.