Presos três suspeitos de participar de tiroteio que deixou 4 mortos

ASSALTO A CARRO-FORTE

Presos três suspeitos de participar de tiroteio que deixou 4 mortos

A Polícia Civil ainda identificou o possível líder da quadrilha, responsável por pelo menos duas outras ações de ataques a agências lotéricas

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

13 de julho de 2017 às 20:03

Há 4 meses

Confronto foi registrado em vários vídeos; inúmeras pessoas passavam pelo local no momento (FOTO: Reprodução)

A Polícia Civil prendeu três suspeitos de participar da tentativa de assalto a um carro-forte que deixou quatro pessoas mortas na última terça-feira (11), no Parque São José.

São eles: Raimundo dos Santos Neto, de 49 anos; Eduardo Alves da Silva Júnior, de 29, mais conhecido como Sorriso; e Francisco Gledson Nogueira de Lucena, 38, conhecido por Gueguê. Uma pistola, calibre ponto 40, foi apreendida.

Raimundo e Francisco Gledson negam as acusações, mas a Polícia Civil afirma que imagens do circuito de segurança comprovam a participação deles em um apoio logístico. Já Eduardo, que seria um “olheiro” do bando, confessou o crime, informaram os policiais, em entrevista coletiva realizada na tarde dessa quinta-feira (13).

Além disso, a Polícia Civil identificou o homem que seria o líder da quadrilha. Trata-se de Rafael Epifânio da Silva, de 34 anos, que se encontra foragido. Conforme o delegado Eduardo Tomé, da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), a quadrilha é especializada nesse tipo de ação.

As investigações apontam que a quadrilha tem participação em pelo menos dois outros ataques: um em 30 de junho último, a uma casa lotérica de Maranguape, outro em 11 de abril passado, no bairro Bonsucesso. Nessa ação, os criminosos também abordaram um carro-forte e também houve tiroteio, em que um vigilante morreu.

A DRF estima que cerca de dez pessoas participaram da ação. Os integrantes do grupo seriam moradores da própria região do Parque São José.

Saiba mais

Nesta tarde, os policiais civis também apresentaram a versão oficial sobre o ocorrido. Segundo contaram, os agentes foram acionados após uma fonte anônima repassar a informação de que haveria um assalto na região. Dez agentes da DRF, então, se espalharam pelas proximidades da avenida Cônego de Castro.

Enquanto isso, na lotérica, os assaltantes aguardavam a chegada do carro-forte passando-se por clientes. No momento da chegada dos vigilantes, a quadrilha anunciou o assalto — foi quando começou o tiroteio.

A troca de tiros matou José Ribeiro Sousa, 54 anos, que esperava para pagar uma conta na casa lotérica Dois funcionários da empresa de transporte de valores ficaram feridos, mas sem risco de morte. Conforme a apuracão policial, Rafael Epifânio da Silva estava em um carro modelo Corolla que dava suporte ao crime. De lá, passou a atirar com um fuzil modelo AK-47.

Os policiais ouviram os disparos e só então entraram em ação, conta o delegado Eduardo Tomé, quando os criminosos fugiam, já em via pública, devido ao grande número de pessoas que estava no estabelecimento comercial. Nesse tiroteio, dois dos suspeitos da ação morreram: Cristian Oliveira Lopes, de 28 anos, e Samuel de Freitas Costa. Este último trajava um uniforme da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece). O delegado Raphael Villarinho também foi atingido, mas não corre risco de morte.

Apesar dos tiroteios, o restante da quadrilha conseguiu fugir em três carros. Um dos veículos foi encontrado nas proximidades da Lagoa do Mondubim, palco de novo confronto entre criminosos e Polícia. O resultado foi a morte de Gabriel Veloso Lima de Sousa, de 20 anos.

Publicidade

Dê sua opinião

ASSALTO A CARRO-FORTE

Presos três suspeitos de participar de tiroteio que deixou 4 mortos

A Polícia Civil ainda identificou o possível líder da quadrilha, responsável por pelo menos duas outras ações de ataques a agências lotéricas

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

13 de julho de 2017 às 20:03

Há 4 meses

Confronto foi registrado em vários vídeos; inúmeras pessoas passavam pelo local no momento (FOTO: Reprodução)

A Polícia Civil prendeu três suspeitos de participar da tentativa de assalto a um carro-forte que deixou quatro pessoas mortas na última terça-feira (11), no Parque São José.

São eles: Raimundo dos Santos Neto, de 49 anos; Eduardo Alves da Silva Júnior, de 29, mais conhecido como Sorriso; e Francisco Gledson Nogueira de Lucena, 38, conhecido por Gueguê. Uma pistola, calibre ponto 40, foi apreendida.

Raimundo e Francisco Gledson negam as acusações, mas a Polícia Civil afirma que imagens do circuito de segurança comprovam a participação deles em um apoio logístico. Já Eduardo, que seria um “olheiro” do bando, confessou o crime, informaram os policiais, em entrevista coletiva realizada na tarde dessa quinta-feira (13).

Além disso, a Polícia Civil identificou o homem que seria o líder da quadrilha. Trata-se de Rafael Epifânio da Silva, de 34 anos, que se encontra foragido. Conforme o delegado Eduardo Tomé, da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), a quadrilha é especializada nesse tipo de ação.

As investigações apontam que a quadrilha tem participação em pelo menos dois outros ataques: um em 30 de junho último, a uma casa lotérica de Maranguape, outro em 11 de abril passado, no bairro Bonsucesso. Nessa ação, os criminosos também abordaram um carro-forte e também houve tiroteio, em que um vigilante morreu.

A DRF estima que cerca de dez pessoas participaram da ação. Os integrantes do grupo seriam moradores da própria região do Parque São José.

Saiba mais

Nesta tarde, os policiais civis também apresentaram a versão oficial sobre o ocorrido. Segundo contaram, os agentes foram acionados após uma fonte anônima repassar a informação de que haveria um assalto na região. Dez agentes da DRF, então, se espalharam pelas proximidades da avenida Cônego de Castro.

Enquanto isso, na lotérica, os assaltantes aguardavam a chegada do carro-forte passando-se por clientes. No momento da chegada dos vigilantes, a quadrilha anunciou o assalto — foi quando começou o tiroteio.

A troca de tiros matou José Ribeiro Sousa, 54 anos, que esperava para pagar uma conta na casa lotérica Dois funcionários da empresa de transporte de valores ficaram feridos, mas sem risco de morte. Conforme a apuracão policial, Rafael Epifânio da Silva estava em um carro modelo Corolla que dava suporte ao crime. De lá, passou a atirar com um fuzil modelo AK-47.

Os policiais ouviram os disparos e só então entraram em ação, conta o delegado Eduardo Tomé, quando os criminosos fugiam, já em via pública, devido ao grande número de pessoas que estava no estabelecimento comercial. Nesse tiroteio, dois dos suspeitos da ação morreram: Cristian Oliveira Lopes, de 28 anos, e Samuel de Freitas Costa. Este último trajava um uniforme da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece). O delegado Raphael Villarinho também foi atingido, mas não corre risco de morte.

Apesar dos tiroteios, o restante da quadrilha conseguiu fugir em três carros. Um dos veículos foi encontrado nas proximidades da Lagoa do Mondubim, palco de novo confronto entre criminosos e Polícia. O resultado foi a morte de Gabriel Veloso Lima de Sousa, de 20 anos.