Presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários pediu impedimento da entrada de visitantes nos presídios

EM VÍDEO

Presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários pediu impedimento da entrada de visitantes nos presídios

Segundo Valdemiro Barbosa, o objetivo das paralisações é negociar com o Governo do Estado

Por Rosana Romão em Segurança Pública

25 de Maio de 2016 às 15:34

Há 2 anos
Agentes penitenciários paralisaram as atividades por 17 horas no último fim de semana. (FOTO: reprodução)

Agentes penitenciários paralisaram as atividades por 17 horas no último fim de semana. (FOTO: reprodução)

Circula nas redes sociais um vídeo em que o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Ceará (Sindasp – CE), Valdemiro Barbosa, comemora o resultado da paralisação de atividades da categoria. No último final de semana, os agentes penitenciários paralisaram o trabalho por 17 horas para reivindicar melhores condições. O fato ocasionou uma onda de rebeliões em presídios do Ceará, como as CPPLs 1, 2, 3 e 4, o Carrapicho e presídio feminino Auri Moura.

No vídeo, ele pede para que os agentes impeçam a entrada de visitantes nos presídios, principal queixa dos detentos. Valdemiro comemora os tumultos e paralisações nas cadeias do estado do Ceará e pede aos colegas para continuarem agindo dessa forma.

“Porque só assim o Governo do Estado atenderá nossas reivindicações”, diz no vídeo. O presidente do sindicato foi procurado pelo Tribuna do Ceará por telefone e através de sua assessoria de imprensa, mas as ligações não foram atendidas.

Confira a transcrição do áudio:

Companheiras e companheiros, agentes e servidores do sistema penitenciário do estado do Ceará, primeiramente, parabenizar nossa categoria pelo grande movimento que está fazendo, dezenas de cadeias públicas paralisadas no interior do estado, toda a Região Metropolitana de Fortaleza paralisada, tumulto em todas as cadeias de pequeno e grande porte do nosso estado, e dizer pra vocês que estamos aguardando uma resposta do Governo, uma proposta do Governo que realmente venha contemplar nossa categoria.

Queria pedir a vocês nesse momento que mantenham a pegada, vamos à luta, vamos continuar com as nossas atividades paralisadas, vamos impedir a entrada das visitantes porque só assim o governo do estado atenderá nossas reivindicações. Estamos no aguardo do contato do governo. Queria, mais uma vez, parabenizar todas as companheiras e companheiros, um abraço à todos e até a vitória, sempre.

Entenda o caso 

Uma série de rebeliões simultâneas ocorreu em pelo menos oito presídios do Ceará, na manhã e início da tarde de sábado (21). As rebeliões tiveram início após deflagração de greve por parte do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Ceará, na sexta-feira (20). Com a greve, foram suspensas as visitas do fim de semana, prejudicando a alimentação dos presídios, o que gerou a revolta.

Em decisão liminar proferida na sexta, a greve foi declarada ilegal por decisão da desembargadora Terese Neumann, apontando crime de desobediência por parte do sindicato dos agentes prisionais, fato que também será investigado pelo Ministério Público. No domingo (22), o governador Camilo Santana solicitou o apoio da Força Nacional de Segurança para conter a crise no sistema prisional.

Sistema Prisional

O Governo do Estado confirma que as CPPLs II, III e IV estão completamente destruídas em termos de infraestrutura prisional. A Unidade Prisional de Caucaia, conhecida popularmente como Carrapicho, foi parcialmente danificada, enquanto o Instituto Penal Feminino registrou somente um pequeno motim. Em nota, a Procuradoria Geral da Justiça informou que vai investigar os motins, as mortes, a paralisação dos agentes prisionais e os prejuízos.

Acompanhe o caso:

25 de maio – “Em momento de crise, pedir 40% de aumento é irracional”, critica Camilo sobre agentes penitenciários

24 de maio – Sindicato dos Agentes Penitenciários aponta que presos têm regalias e comandam assaltos a bancos

24 de maio – Sejus confirma transferência de presos e já contabiliza 18 mortos em rebeliões no Ceará

24 de maio – “Sistema prisional do Ceará é uma bomba relógio”, critica Conselho Penitenciário

24 de maio – “Estamos dormindo no cimento, sem comida nem água”, revela preso em ligação telefônica

23 de maio – Camilo Santana solicita apoio da Força Nacional para conter crise em presídios

23 de maio – Rebelião no “Carrapicho” marca 3º dia de crise do sistema penitenciário no Ceará

23 de maio – Prints de Whatsapp revelam conversa entre presos durante rebeliões no Ceará

23 de maio – Carta que seria do Comando Vermelho pede fim de matança em presídios do Ceará

22 de maio – Chega ao fim greve de agentes penitenciários após onda de rebeliões no Ceará

21 de maio – Presos compartilham vídeos de quebra-quebra em rebelião na CPPL 4

21 de maio – Ministério Público vai apurar se agentes penitenciários tiveram culpa por caos em presídios

21 de maio – Série de rebeliões simultâneas ocorre em 8 presídios do Ceará

Publicidade

Dê sua opinião

EM VÍDEO

Presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários pediu impedimento da entrada de visitantes nos presídios

Segundo Valdemiro Barbosa, o objetivo das paralisações é negociar com o Governo do Estado

Por Rosana Romão em Segurança Pública

25 de Maio de 2016 às 15:34

Há 2 anos
Agentes penitenciários paralisaram as atividades por 17 horas no último fim de semana. (FOTO: reprodução)

Agentes penitenciários paralisaram as atividades por 17 horas no último fim de semana. (FOTO: reprodução)

Circula nas redes sociais um vídeo em que o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Ceará (Sindasp – CE), Valdemiro Barbosa, comemora o resultado da paralisação de atividades da categoria. No último final de semana, os agentes penitenciários paralisaram o trabalho por 17 horas para reivindicar melhores condições. O fato ocasionou uma onda de rebeliões em presídios do Ceará, como as CPPLs 1, 2, 3 e 4, o Carrapicho e presídio feminino Auri Moura.

No vídeo, ele pede para que os agentes impeçam a entrada de visitantes nos presídios, principal queixa dos detentos. Valdemiro comemora os tumultos e paralisações nas cadeias do estado do Ceará e pede aos colegas para continuarem agindo dessa forma.

“Porque só assim o Governo do Estado atenderá nossas reivindicações”, diz no vídeo. O presidente do sindicato foi procurado pelo Tribuna do Ceará por telefone e através de sua assessoria de imprensa, mas as ligações não foram atendidas.

Confira a transcrição do áudio:

Companheiras e companheiros, agentes e servidores do sistema penitenciário do estado do Ceará, primeiramente, parabenizar nossa categoria pelo grande movimento que está fazendo, dezenas de cadeias públicas paralisadas no interior do estado, toda a Região Metropolitana de Fortaleza paralisada, tumulto em todas as cadeias de pequeno e grande porte do nosso estado, e dizer pra vocês que estamos aguardando uma resposta do Governo, uma proposta do Governo que realmente venha contemplar nossa categoria.

Queria pedir a vocês nesse momento que mantenham a pegada, vamos à luta, vamos continuar com as nossas atividades paralisadas, vamos impedir a entrada das visitantes porque só assim o governo do estado atenderá nossas reivindicações. Estamos no aguardo do contato do governo. Queria, mais uma vez, parabenizar todas as companheiras e companheiros, um abraço à todos e até a vitória, sempre.

Entenda o caso 

Uma série de rebeliões simultâneas ocorreu em pelo menos oito presídios do Ceará, na manhã e início da tarde de sábado (21). As rebeliões tiveram início após deflagração de greve por parte do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Ceará, na sexta-feira (20). Com a greve, foram suspensas as visitas do fim de semana, prejudicando a alimentação dos presídios, o que gerou a revolta.

Em decisão liminar proferida na sexta, a greve foi declarada ilegal por decisão da desembargadora Terese Neumann, apontando crime de desobediência por parte do sindicato dos agentes prisionais, fato que também será investigado pelo Ministério Público. No domingo (22), o governador Camilo Santana solicitou o apoio da Força Nacional de Segurança para conter a crise no sistema prisional.

Sistema Prisional

O Governo do Estado confirma que as CPPLs II, III e IV estão completamente destruídas em termos de infraestrutura prisional. A Unidade Prisional de Caucaia, conhecida popularmente como Carrapicho, foi parcialmente danificada, enquanto o Instituto Penal Feminino registrou somente um pequeno motim. Em nota, a Procuradoria Geral da Justiça informou que vai investigar os motins, as mortes, a paralisação dos agentes prisionais e os prejuízos.

Acompanhe o caso:

25 de maio – “Em momento de crise, pedir 40% de aumento é irracional”, critica Camilo sobre agentes penitenciários

24 de maio – Sindicato dos Agentes Penitenciários aponta que presos têm regalias e comandam assaltos a bancos

24 de maio – Sejus confirma transferência de presos e já contabiliza 18 mortos em rebeliões no Ceará

24 de maio – “Sistema prisional do Ceará é uma bomba relógio”, critica Conselho Penitenciário

24 de maio – “Estamos dormindo no cimento, sem comida nem água”, revela preso em ligação telefônica

23 de maio – Camilo Santana solicita apoio da Força Nacional para conter crise em presídios

23 de maio – Rebelião no “Carrapicho” marca 3º dia de crise do sistema penitenciário no Ceará

23 de maio – Prints de Whatsapp revelam conversa entre presos durante rebeliões no Ceará

23 de maio – Carta que seria do Comando Vermelho pede fim de matança em presídios do Ceará

22 de maio – Chega ao fim greve de agentes penitenciários após onda de rebeliões no Ceará

21 de maio – Presos compartilham vídeos de quebra-quebra em rebelião na CPPL 4

21 de maio – Ministério Público vai apurar se agentes penitenciários tiveram culpa por caos em presídios

21 de maio – Série de rebeliões simultâneas ocorre em 8 presídios do Ceará