Policial reage a assalto e é morto por PMs que passavam pelo local em Fortaleza

ABORDAGEM POLICIAL

Policial reage a assalto e é morto por PMs que passavam pelo local em Fortaleza

Os PMs se apresentaram espontaneamente à 11ª Divisão de Homicídios, que investiga casos de morte de agentes de segurança

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

29 de agosto de 2018 às 11:28

Há 3 meses
policial

Policial foi morto em tentativa de assalto nesta terça-feira. (FOTO: Fernanda Moura/Tribuna do Ceará)

Na noite desta terça-feira (28), mais um policial foi morto em Fortaleza. O PM Paulo Alberto Marques Albuquerque foi baleado em uma tentativa de assalto no bairro Parangaba. O cabo, que trabalhava no Batalhão de Policiamento Turístico, teria reagido e disparado contra os suspeitos. Ao ser visto com arma em punho, ele foi atingido por policiais que acreditaram se tratar de um bandido, informou nota da Secretaria de Segurança Pública.

Paulo estava numa moto e teria reagido a um assalto. Próximo dali, uma composição do Policiamento Ostensivo Geral (POG) ouviu os tiros e foi até onde a vítima se encontrava.

“Chegando ao local, os militares visualizaram o cabo Albuquerque com arma em punho, correndo em direção da viatura, momento em que a composição efetuou disparos”, informou a nota.

Ao se aproximarem do policial, os militares identificaram o colega e o socorreram de imediato, levando-o para o Instituto Dr. José Frota (IJF), no Centro da cidade, mas ele acabou não resistindo aos ferimentos. Os PMs se apresentaram espontaneamente à 11ª Divisão de Homicídios (DHPP), que investiga casos de morte envolvendo agentes de segurança.

O Ceará é o estado com maior número de policiais mortos por bandidos no Nordeste. Desde 2016, foram mortos 60 agentes de segurança no Ceará, sendo 9 neste ano, de acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Confira a nota da Secretaria de Segurança Pública:

“A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que uma equipe da 11ª delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foi acionada para realizar as investigações sobre a morte que vitimou o cabo PM Paulo Alberto Marques Albuquerque. O fato ocorreu na noite dessa terça-feira (28), na rua Joaquim Moreira, bairro Parangaba, Área Integrada de Segurança 5 (AIS 5), em Fortaleza. De acordo com informações colhidas no local, o cabo, que estava em uma moto, teria reagido a um assalto, efetuando disparos contra os suspeitos. Uma composição do Policiamento Ostensivo Geral (POG), que estava passando pelo local, ouviu os tiros e se dirigiu até a rua onde a vítima estava. Chegando no local, os militares visualizaram o cabo Albuquerque com arma em punho, correndo em direção da viatura, momento em que a composição efetuou disparos. Ao se aproximar, os policiais identificaram o PM e o socorreram para o Instituto Doutor José Frota (IJF), onde o militar veio a óbito. A composição se apresentou espontaneamente na 11ª Delegacia da DHPP, que investiga casos de morte envolvendo agentes de segurança. A especializada é responsável pelas apurações sobre o caso.”

Publicidade

Dê sua opinião

ABORDAGEM POLICIAL

Policial reage a assalto e é morto por PMs que passavam pelo local em Fortaleza

Os PMs se apresentaram espontaneamente à 11ª Divisão de Homicídios, que investiga casos de morte de agentes de segurança

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

29 de agosto de 2018 às 11:28

Há 3 meses
policial

Policial foi morto em tentativa de assalto nesta terça-feira. (FOTO: Fernanda Moura/Tribuna do Ceará)

Na noite desta terça-feira (28), mais um policial foi morto em Fortaleza. O PM Paulo Alberto Marques Albuquerque foi baleado em uma tentativa de assalto no bairro Parangaba. O cabo, que trabalhava no Batalhão de Policiamento Turístico, teria reagido e disparado contra os suspeitos. Ao ser visto com arma em punho, ele foi atingido por policiais que acreditaram se tratar de um bandido, informou nota da Secretaria de Segurança Pública.

Paulo estava numa moto e teria reagido a um assalto. Próximo dali, uma composição do Policiamento Ostensivo Geral (POG) ouviu os tiros e foi até onde a vítima se encontrava.

“Chegando ao local, os militares visualizaram o cabo Albuquerque com arma em punho, correndo em direção da viatura, momento em que a composição efetuou disparos”, informou a nota.

Ao se aproximarem do policial, os militares identificaram o colega e o socorreram de imediato, levando-o para o Instituto Dr. José Frota (IJF), no Centro da cidade, mas ele acabou não resistindo aos ferimentos. Os PMs se apresentaram espontaneamente à 11ª Divisão de Homicídios (DHPP), que investiga casos de morte envolvendo agentes de segurança.

O Ceará é o estado com maior número de policiais mortos por bandidos no Nordeste. Desde 2016, foram mortos 60 agentes de segurança no Ceará, sendo 9 neste ano, de acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Confira a nota da Secretaria de Segurança Pública:

“A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que uma equipe da 11ª delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foi acionada para realizar as investigações sobre a morte que vitimou o cabo PM Paulo Alberto Marques Albuquerque. O fato ocorreu na noite dessa terça-feira (28), na rua Joaquim Moreira, bairro Parangaba, Área Integrada de Segurança 5 (AIS 5), em Fortaleza. De acordo com informações colhidas no local, o cabo, que estava em uma moto, teria reagido a um assalto, efetuando disparos contra os suspeitos. Uma composição do Policiamento Ostensivo Geral (POG), que estava passando pelo local, ouviu os tiros e se dirigiu até a rua onde a vítima estava. Chegando no local, os militares visualizaram o cabo Albuquerque com arma em punho, correndo em direção da viatura, momento em que a composição efetuou disparos. Ao se aproximar, os policiais identificaram o PM e o socorreram para o Instituto Doutor José Frota (IJF), onde o militar veio a óbito. A composição se apresentou espontaneamente na 11ª Delegacia da DHPP, que investiga casos de morte envolvendo agentes de segurança. A especializada é responsável pelas apurações sobre o caso.”