Policial militar é sequestrado, torturado e baleado durante a madrugada em Fortaleza

ATENTADO

Policial militar é sequestrado, torturado e baleado durante a madrugada em Fortaleza

O caso aconteceu dois dias depois de três policiais serem assassinados a tiros em um bar no bairro Vila Manoel Sátiro

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

25 de agosto de 2018 às 11:04

Há 5 meses
Movimentação de policiais no IJF na manhã deste sábado. (Foto: Rita Brito / Nordestv)

Movimentação de policiais no IJF na manhã deste sábado. (Foto: Rita Brito / Nordestv)

Atualizada às 14h

Um cabo do Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur) foi sequestrado e torturado por cerca de quatro horas na madrugada deste sábado (25), no bairro Henrique Jorge, em Fortaleza. O policial conseguiu fugir, mas foi atingindo por dois tiros, um no peito e outro em membro superior.

A informação foi confirmada pela Associação de Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros (Aspramece). A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) não confirma sequestro e tortura. Segundo nota da secretaria, o policial estava em sua moto, quando foi abordado pelos suspeitos e baleado.

O comandante geral da Polícia Militar, Coronel Viana, divulgou áudio nos grupos de Whatsapp, esclarecendo informações sobre o caso. Segundo ele, o PM Roberto César Pinto Barbosa não estava de serviço, nem usava farda.

O advogado da Associação dos Profissionais da Segurança (APS), Vitor Torres, disse que o PM teria sido abordado próximo a um semáforo, quando recebeu uma pancada nas costas e desmaiou. Quando acordou, ele percebeu que tinha sido levado para um matagal e teria ouvido os criminosos dizendo que ele era policial e articulando sua morte.

Após reagir e conseguir fugir, foram efetuados cinco disparos, dois o atingiram. Ele foi socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Conjunto Ceará e transferido para o Instituto Dr. José Frota (IJF), onde está internado e não corre risco de morte.

De acordo com a SSPDS, equipe do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa está a frente das investigações. Até o momento, ninguém foi preso.

Situação crítica

O caso aconteceu dois dias depois de três policiais serem assassinados a tiros em um bar no bairro Vila Manoel Sátiro, em Fortaleza. Um deles estava de folga e os outros dois eram aposentados.

Segundo a nota emitida pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), os criminosos chegaram ao local em um veículo, modelo Voyage, de cor preta, e efetuaram disparos na direção dos policiais, que foram atingidos e morreram.

As vítimas foram identificadas como sargento José Augusto de Lima (58 anos), tenente Antonio Cezar Oliveira Gomes (50) e o subtenente Sanderley Cavalcante Sampaio (46), sendo, somente, o subtenente do serviço ativo.

Seis suspeitos foram presos em menos de 24 horas. O secretário da Segurança, André Costa, disse que a ordem para execução do crime partiu de dentro do presídio. Para coibir a violência contra policiais, casos estão sendo investigados por uma mesma delegacia

Em 2018, oito policiais já foram executados no Ceará. Nos últimos três anos, o número chega a 59.

Denúncia

A Polícia Civil ressalta que a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam ajudar na elucidação do caso. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), para o (85) 3257-4807, do DHPP, ou ainda para o número (85) 99111-7498, que é o WhatsApp do Departamento, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo é garantido.

Com informações de Rita Brito, da Nordestv; e Liliana Benevides, da TV Jangadeiro

Publicidade

Dê sua opinião

ATENTADO

Policial militar é sequestrado, torturado e baleado durante a madrugada em Fortaleza

O caso aconteceu dois dias depois de três policiais serem assassinados a tiros em um bar no bairro Vila Manoel Sátiro

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

25 de agosto de 2018 às 11:04

Há 5 meses
Movimentação de policiais no IJF na manhã deste sábado. (Foto: Rita Brito / Nordestv)

Movimentação de policiais no IJF na manhã deste sábado. (Foto: Rita Brito / Nordestv)

Atualizada às 14h

Um cabo do Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur) foi sequestrado e torturado por cerca de quatro horas na madrugada deste sábado (25), no bairro Henrique Jorge, em Fortaleza. O policial conseguiu fugir, mas foi atingindo por dois tiros, um no peito e outro em membro superior.

A informação foi confirmada pela Associação de Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros (Aspramece). A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) não confirma sequestro e tortura. Segundo nota da secretaria, o policial estava em sua moto, quando foi abordado pelos suspeitos e baleado.

O comandante geral da Polícia Militar, Coronel Viana, divulgou áudio nos grupos de Whatsapp, esclarecendo informações sobre o caso. Segundo ele, o PM Roberto César Pinto Barbosa não estava de serviço, nem usava farda.

O advogado da Associação dos Profissionais da Segurança (APS), Vitor Torres, disse que o PM teria sido abordado próximo a um semáforo, quando recebeu uma pancada nas costas e desmaiou. Quando acordou, ele percebeu que tinha sido levado para um matagal e teria ouvido os criminosos dizendo que ele era policial e articulando sua morte.

Após reagir e conseguir fugir, foram efetuados cinco disparos, dois o atingiram. Ele foi socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Conjunto Ceará e transferido para o Instituto Dr. José Frota (IJF), onde está internado e não corre risco de morte.

De acordo com a SSPDS, equipe do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa está a frente das investigações. Até o momento, ninguém foi preso.

Situação crítica

O caso aconteceu dois dias depois de três policiais serem assassinados a tiros em um bar no bairro Vila Manoel Sátiro, em Fortaleza. Um deles estava de folga e os outros dois eram aposentados.

Segundo a nota emitida pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), os criminosos chegaram ao local em um veículo, modelo Voyage, de cor preta, e efetuaram disparos na direção dos policiais, que foram atingidos e morreram.

As vítimas foram identificadas como sargento José Augusto de Lima (58 anos), tenente Antonio Cezar Oliveira Gomes (50) e o subtenente Sanderley Cavalcante Sampaio (46), sendo, somente, o subtenente do serviço ativo.

Seis suspeitos foram presos em menos de 24 horas. O secretário da Segurança, André Costa, disse que a ordem para execução do crime partiu de dentro do presídio. Para coibir a violência contra policiais, casos estão sendo investigados por uma mesma delegacia

Em 2018, oito policiais já foram executados no Ceará. Nos últimos três anos, o número chega a 59.

Denúncia

A Polícia Civil ressalta que a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam ajudar na elucidação do caso. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), para o (85) 3257-4807, do DHPP, ou ainda para o número (85) 99111-7498, que é o WhatsApp do Departamento, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo é garantido.

Com informações de Rita Brito, da Nordestv; e Liliana Benevides, da TV Jangadeiro