Policial diz que criança baleada teria sido usada como escudo humano; família nega

CONFRONTO DE VERSÕES

Policial diz que criança baleada no Bom Jardim foi usada como “escudo humano”; Família nega

José Isaac Santiago, de 6 anos, morreu durante confronto da polícia com familiares do garoto, nesta quinta-feira (25)

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

26 de Abril de 2018 às 12:10

Há 6 meses

Enterro de José Isaac será realizado na tarde desta quinta-feira (26). (Foto: Pexels)

O corpo do menino de seis anos baleado e morto dentro de casa, em Fortaleza, vai ser sepultado na tarde desta quinta-feira (26). Segundo um policial ouvido pela TV Jangadeiro/SBT, a criança foi feita de “escudo humano” pela própria tia enquanto ela atirava, no momento da abordagem. A família nega.

O crime aconteceu durante confronto da polícia contra familiares do menor, no Bairro Bom Jardim, em Fortaleza.

A casa onde tudo ocorreu, local onde a criança morava, ainda está completamente revirada após as buscas realizadas pela polícia. É possível encontrar cápsulas disparadas durante o confronto.

José Isaac Santiago da Silva tinha seis anos e faria aniversário no próximo dia 5 de maio. O pai da criança, Márcio Frank, mostra as roupas e as lembrancinhas que seriam usadas no dia da festa. Ele nega que o menino tenha sido feito de escudo humano e diz que a família atirou por pensar que bandidos estariam invadindo a residência.

Muitas pessoas compareceram ao velório na manhã desta quinta-feira. Quatro pessoas estavam na casa: Isaac, a tia dele, a companheira dela e a avó, que também foi atingida por disparos. Ela está detida e internada. As outras duas mulheres respondiam a vários crimes e usava tornozeleira eletrônica.

A morte da criança causou comoção nos moradores, que realizaram protesto durante a noite. Na escola onde o Isaac estudava, houve aula normalmente, mas o clima seguia de tristeza. No momento da ação, a criança estava fardada e ia para a escola quando foi atingida. O menino chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. Inconsolável, a mãe da criança diz que o tiro que matou o filho veio da polícia.

O confronto ocorreu no início da tarde desta quarta-feira (25), no Bairro Bom Jardim, na Rua Bom Jesus. De acordo com a SSPDS, policiais do Reservado investigavam suspeitos de terem atingido um PM em tiroteio próximo dali, durante a madrugada. Segundo a família, policiais entraram na casa à força, sem autorização da justiça.

Governador e secretário comentam

Durante cerimônia de entrega de novas motos para o Batalhão do Raio, nesta quinta-feira (25), o governador Camilo Santana (PT) foi perguntado sobre o caso que vitimou a criança. Camilo lamentou e chamou de infeliz acidente.

“Caso vai ser apurado. Secretário abriu procedimento. Foi um infeliz acidente, uma fatalidade, criminosos estão dispostos a tudo”, declarou o governador.

Já o secretário de Segurança do Ceará, André Costa, afirma que um inquérito foi instaurado na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), mas defende que a polícia foi alvejada. “Eram mulheres, uma delas já responde por homicídio. Elas dispararam contra a polícia. Depois da investigação, vai divulgar os resultados da bala”, disse o secretário.

Confira reportagem sobre o caso no programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h10 desta quinta-feira (26).

Publicidade

Dê sua opinião

CONFRONTO DE VERSÕES

Policial diz que criança baleada no Bom Jardim foi usada como “escudo humano”; Família nega

José Isaac Santiago, de 6 anos, morreu durante confronto da polícia com familiares do garoto, nesta quinta-feira (25)

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

26 de Abril de 2018 às 12:10

Há 6 meses

Enterro de José Isaac será realizado na tarde desta quinta-feira (26). (Foto: Pexels)

O corpo do menino de seis anos baleado e morto dentro de casa, em Fortaleza, vai ser sepultado na tarde desta quinta-feira (26). Segundo um policial ouvido pela TV Jangadeiro/SBT, a criança foi feita de “escudo humano” pela própria tia enquanto ela atirava, no momento da abordagem. A família nega.

O crime aconteceu durante confronto da polícia contra familiares do menor, no Bairro Bom Jardim, em Fortaleza.

A casa onde tudo ocorreu, local onde a criança morava, ainda está completamente revirada após as buscas realizadas pela polícia. É possível encontrar cápsulas disparadas durante o confronto.

José Isaac Santiago da Silva tinha seis anos e faria aniversário no próximo dia 5 de maio. O pai da criança, Márcio Frank, mostra as roupas e as lembrancinhas que seriam usadas no dia da festa. Ele nega que o menino tenha sido feito de escudo humano e diz que a família atirou por pensar que bandidos estariam invadindo a residência.

Muitas pessoas compareceram ao velório na manhã desta quinta-feira. Quatro pessoas estavam na casa: Isaac, a tia dele, a companheira dela e a avó, que também foi atingida por disparos. Ela está detida e internada. As outras duas mulheres respondiam a vários crimes e usava tornozeleira eletrônica.

A morte da criança causou comoção nos moradores, que realizaram protesto durante a noite. Na escola onde o Isaac estudava, houve aula normalmente, mas o clima seguia de tristeza. No momento da ação, a criança estava fardada e ia para a escola quando foi atingida. O menino chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. Inconsolável, a mãe da criança diz que o tiro que matou o filho veio da polícia.

O confronto ocorreu no início da tarde desta quarta-feira (25), no Bairro Bom Jardim, na Rua Bom Jesus. De acordo com a SSPDS, policiais do Reservado investigavam suspeitos de terem atingido um PM em tiroteio próximo dali, durante a madrugada. Segundo a família, policiais entraram na casa à força, sem autorização da justiça.

Governador e secretário comentam

Durante cerimônia de entrega de novas motos para o Batalhão do Raio, nesta quinta-feira (25), o governador Camilo Santana (PT) foi perguntado sobre o caso que vitimou a criança. Camilo lamentou e chamou de infeliz acidente.

“Caso vai ser apurado. Secretário abriu procedimento. Foi um infeliz acidente, uma fatalidade, criminosos estão dispostos a tudo”, declarou o governador.

Já o secretário de Segurança do Ceará, André Costa, afirma que um inquérito foi instaurado na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), mas defende que a polícia foi alvejada. “Eram mulheres, uma delas já responde por homicídio. Elas dispararam contra a polícia. Depois da investigação, vai divulgar os resultados da bala”, disse o secretário.

Confira reportagem sobre o caso no programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h10 desta quinta-feira (26).