Polícia está perto de identificar homens que mataram travesti brutalmente e filmaram crime
INVESTIGAÇÃO

Polícia está perto de identificar homens que mataram travesti brutalmente e filmaram crime

Dandara foi assassinada por pelo menos cinco homens no Bairro Bom Jardim, em Fortaleza

Por Lyvia Rocha em Segurança Pública

6 de março de 2017 às 11:07

Há 3 semanas
Dandara foi morta em fevereiro. (FOTO: Reprodução)

Dandara foi morta em fevereiro. (FOTO: Reprodução)

O caso de Dandara dos Santos, de 42 anos, travesti que foi brutalmente assassinada em Fortaleza, está sendo investigado pelo 32º Distrito Policial, responsável pela área onde o crime aconteceu. E a apuração do caso já está bem encaminhada.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública esclareceu sobre como está o andamento do caso. “A Polícia informa que as investigações estão bem adiantadas, porém não é possível repassar detalhes  para não comprometer o trabalho policial”, diz a nota.

Além da secretaria, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT) também se manifestou no último sábado (4), através das suas redes sociais sobre o crime, e classificou como “repugnante e inaceitável” o caso. “Todo e qualquer ato que atente contra a vida tem o meu mais profundo repúdio”.

“Não iremos tolerar esse tipo de violência. Também determinei uma reunião imediata, já marcada para terça-feira, entre a SSPDS e a Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para LGBT do Estado do Ceará, para que se faça um plano de proteção para as minorias, assim como tem sido desenvolvido em relação às mulheres. No ensejo, presto minha solidariedade à família e amigos de Dandara”, diz a publicação.

A Defensoria Pública do Ceará também se manifestou sobre a morte da travesti. “A Defensoria Pública do Estado do Ceará repudia as ações de transfobia que ocorrem em Fortaleza, incluindo a divulgação das imagens destes crimes pelas redes sociais, e informa que realizará, por seu Núcleo de Direitos Humanos, audiência pública sobre a  questão para propor ações preventivas e apuração rigorosa de qualquer atitude discriminatória e criminosa”.

O caso

Dandara foi morta no dia 15 de fevereiro, no Bairro Bom Jardim, por pelo menos cinco homens, mas o crime brutal só ganhou repercussão na sexta-feira (3), depois de as imagens da violência serem compartilhadas na internet. De acordo com a Polícia, os suspeitos já foram identificados, mas estão foragidos. A principal suspeita é de que o crime foi motivado por homofobia.

Segundo coordenador da Diversidade Sexual da Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos de Fortaleza, Paulo Diógenes, relatos da comunidade afirmam que Dandara teria ficado cerca de 20 minutos à espera de socorro, mas nada foi feito. “Uma fatalidade que autoridades precisam dar os devidos esclarecimentos!”, reforçou Diógenes, famoso pela personagem de humor Raimundinha, uma travesti.

Acompanhe o caso:

4 de março – Não iremos tolerar esse tipo de violência, diz governador do Ceará sobre morte de travesti
4 de março – Vídeo mostra travesti Dandara à espera de socorro antes de ser morta

Publicidade

Dê sua opinião

INVESTIGAÇÃO

Polícia está perto de identificar homens que mataram travesti brutalmente e filmaram crime

Dandara foi assassinada por pelo menos cinco homens no Bairro Bom Jardim, em Fortaleza

Por Lyvia Rocha em Segurança Pública

6 de março de 2017 às 11:07

Há 3 semanas
Dandara foi morta em fevereiro. (FOTO: Reprodução)

Dandara foi morta em fevereiro. (FOTO: Reprodução)

O caso de Dandara dos Santos, de 42 anos, travesti que foi brutalmente assassinada em Fortaleza, está sendo investigado pelo 32º Distrito Policial, responsável pela área onde o crime aconteceu. E a apuração do caso já está bem encaminhada.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública esclareceu sobre como está o andamento do caso. “A Polícia informa que as investigações estão bem adiantadas, porém não é possível repassar detalhes  para não comprometer o trabalho policial”, diz a nota.

Além da secretaria, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT) também se manifestou no último sábado (4), através das suas redes sociais sobre o crime, e classificou como “repugnante e inaceitável” o caso. “Todo e qualquer ato que atente contra a vida tem o meu mais profundo repúdio”.

“Não iremos tolerar esse tipo de violência. Também determinei uma reunião imediata, já marcada para terça-feira, entre a SSPDS e a Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para LGBT do Estado do Ceará, para que se faça um plano de proteção para as minorias, assim como tem sido desenvolvido em relação às mulheres. No ensejo, presto minha solidariedade à família e amigos de Dandara”, diz a publicação.

A Defensoria Pública do Ceará também se manifestou sobre a morte da travesti. “A Defensoria Pública do Estado do Ceará repudia as ações de transfobia que ocorrem em Fortaleza, incluindo a divulgação das imagens destes crimes pelas redes sociais, e informa que realizará, por seu Núcleo de Direitos Humanos, audiência pública sobre a  questão para propor ações preventivas e apuração rigorosa de qualquer atitude discriminatória e criminosa”.

O caso

Dandara foi morta no dia 15 de fevereiro, no Bairro Bom Jardim, por pelo menos cinco homens, mas o crime brutal só ganhou repercussão na sexta-feira (3), depois de as imagens da violência serem compartilhadas na internet. De acordo com a Polícia, os suspeitos já foram identificados, mas estão foragidos. A principal suspeita é de que o crime foi motivado por homofobia.

Segundo coordenador da Diversidade Sexual da Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos de Fortaleza, Paulo Diógenes, relatos da comunidade afirmam que Dandara teria ficado cerca de 20 minutos à espera de socorro, mas nada foi feito. “Uma fatalidade que autoridades precisam dar os devidos esclarecimentos!”, reforçou Diógenes, famoso pela personagem de humor Raimundinha, uma travesti.

Acompanhe o caso:

4 de março – Não iremos tolerar esse tipo de violência, diz governador do Ceará sobre morte de travesti
4 de março – Vídeo mostra travesti Dandara à espera de socorro antes de ser morta