Polícia de Itapajé prende mais quatro suspeitos de abusar sexualmente de menores

CRIMES

Polícia de Itapajé prende mais quatro suspeitos de abusar sexualmente de menores

As prisões ocorreram no início de junho. Dois dos acusados já tinham passagem pela Polícia. Entre as vítimas, uma criança de seis anos e uma adolescente

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

19 de junho de 2018 às 13:02

Há 2 meses
Estupro de vulnerável pode render pena de até 15 anos (FOTO: Divulgação/Conselho Nacional de Justiça)

Estupro de vulnerável pode render pena de até 15 anos (FOTO: Divulgação/Conselho Nacional de Justiça)

A terceira fase da Operação Silêncio dos Inocentes foi deflagrada pela Polícia Civil de Itapajé, a 125km de Fortaleza, nesta terça-feira (19). Na ação, que investiga crimes de estupros cometidos na cidade, quatro homens foram presos nos últimos dias. Os acusados de abuso sexual estão reclusos na Delegacia Municipal de Itapajé.

Antônio Artur Martins Barroso, de 23 anos, foi preso no dia 4 de junho. Ele é suspeito de estuprar uma adolescente de 14 anos, na localidade de Riacho das Pedras, no distrito de Retiro, em Tejuçuoca, em dezembro de 2016.

No dia 5 de junho, foi a vez de José Gomes Ferreira e Leôncio Alves Sousa. Eles são os acusados do Caso Patronato, no qual uma criança de seis anos foi violentada no banheiro da escola. O abuso teria se repetido por pelo menos quatro vezes.

Só na última vez, a vítima relatou detalhes que foram primordiais para o início das investigações. Emocionada, a mãe relatou como descobriu a violência.

Os dois acusados tinham passagem pela Polícia. José Gomes, o “Tio Zé”, já respondia um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) por prática de ato obsceno cometido em 2017. Ele foi flagrado se masturbando em via pública. Já Leôncio, o “Tio Leôncio”, já foi preso duas vezes (em 1998 e 2013) por violência doméstica. Apenas o primeiro confessou o crime.

Na quinta-feira, dia 7 de junho, foi a vez de Paulo Ricardo Francelino de Sousa, conhecido por “Ricardo da Funerária”, que foi condenado a 9 anos de prisão por estupro de vulnerável, ocorrido em julho de 2014.

Operação Silêncio dos Inocentes
1/2

Operação Silêncio dos Inocentes

Quatro prisões foram realizadas em mais uma etapa da operação Silêncio dos Inocentes. (FOTO: Divulgação/Polícia Civil)

Operação Silêncio dos Inocentes
2/2

Operação Silêncio dos Inocentes

Quatro prisões foram realizadas em mais uma etapa da operação Silêncio dos Inocentes. (FOTO: Divulgação/Polícia Civil)

Publicidade

Dê sua opinião

CRIMES

Polícia de Itapajé prende mais quatro suspeitos de abusar sexualmente de menores

As prisões ocorreram no início de junho. Dois dos acusados já tinham passagem pela Polícia. Entre as vítimas, uma criança de seis anos e uma adolescente

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

19 de junho de 2018 às 13:02

Há 2 meses
Estupro de vulnerável pode render pena de até 15 anos (FOTO: Divulgação/Conselho Nacional de Justiça)

Estupro de vulnerável pode render pena de até 15 anos (FOTO: Divulgação/Conselho Nacional de Justiça)

A terceira fase da Operação Silêncio dos Inocentes foi deflagrada pela Polícia Civil de Itapajé, a 125km de Fortaleza, nesta terça-feira (19). Na ação, que investiga crimes de estupros cometidos na cidade, quatro homens foram presos nos últimos dias. Os acusados de abuso sexual estão reclusos na Delegacia Municipal de Itapajé.

Antônio Artur Martins Barroso, de 23 anos, foi preso no dia 4 de junho. Ele é suspeito de estuprar uma adolescente de 14 anos, na localidade de Riacho das Pedras, no distrito de Retiro, em Tejuçuoca, em dezembro de 2016.

No dia 5 de junho, foi a vez de José Gomes Ferreira e Leôncio Alves Sousa. Eles são os acusados do Caso Patronato, no qual uma criança de seis anos foi violentada no banheiro da escola. O abuso teria se repetido por pelo menos quatro vezes.

Só na última vez, a vítima relatou detalhes que foram primordiais para o início das investigações. Emocionada, a mãe relatou como descobriu a violência.

Os dois acusados tinham passagem pela Polícia. José Gomes, o “Tio Zé”, já respondia um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) por prática de ato obsceno cometido em 2017. Ele foi flagrado se masturbando em via pública. Já Leôncio, o “Tio Leôncio”, já foi preso duas vezes (em 1998 e 2013) por violência doméstica. Apenas o primeiro confessou o crime.

Na quinta-feira, dia 7 de junho, foi a vez de Paulo Ricardo Francelino de Sousa, conhecido por “Ricardo da Funerária”, que foi condenado a 9 anos de prisão por estupro de vulnerável, ocorrido em julho de 2014.

Operação Silêncio dos Inocentes
1/2

Operação Silêncio dos Inocentes

Quatro prisões foram realizadas em mais uma etapa da operação Silêncio dos Inocentes. (FOTO: Divulgação/Polícia Civil)

Operação Silêncio dos Inocentes
2/2

Operação Silêncio dos Inocentes

Quatro prisões foram realizadas em mais uma etapa da operação Silêncio dos Inocentes. (FOTO: Divulgação/Polícia Civil)