Polícia buscou por homens sem braços para prender acusado de matar Débora Lohany
INVESTIGAÇÃO

Polícia buscou por homens sem braços para prender acusado de matar Débora Lohany

O secretário de Segurança do Ceará, delegado André Costa, contou detalhes dos bastidores das investigações em sua página do Facebook

Por Deborah Tavares em Segurança Pública

18 de abril de 2017 às 17:57

Há 1 mês

Secretário fez desabafo sobre o caso de Débora Lohany. (FOTO: Reprodução/Facebook)

O secretário de Segurança do Ceará, delegado André Costa, que esteve envolvido nas investigações do crime de morte da menina Débora Lohany, fez um desabafo sobre o caso e contou detalhes dos bastidores em sua página no Facebook desta terça-feira (18).

O trabalho de inteligência realizado pela polícia foi ressaltado pelo secretário. A informação de que o suspeito era morador de rua foi a pista inicial que os levaria ao desfecho.

“Essa informação levou a PCCE, que trabalhou com equipes se revezando sem parar, a buscar moradores de rua com a deficiência apontada por testemunhas – homem sem um dos braços – até identificar um que havia desaparecido desde o dia do sumiço da criança”, contou. 

Com o trabalho de investigação, foi possível identificar o nome do suspeito e descobrir que a mãe dele mora em Parnaíba/PI, onde foi detido. “Ele confessou a prática do crime, mas as investigações ainda continuam”, completou o delegado. Em coletiva de imprensa na segunda-feira (17), a polícia informou que Waldemir Batista, de 39 anos, confessou ser o autor da morte da menina Débora Lohanny, 4 anos, raptada no dia 28 de março, no Bairro Aerolândia, em Fortaleza.

Ressaltando que não estava nada feliz com o ocorrido, Andre Costa afirmou que “todos nós somos responsáveis pelo que aconteceu”. Segundo ele, “se déssemos mais dignidade a estas pessoas, se elas tivessem sido alcançadas com a palavra de Deus, se todos colaborássemos com a segurança pública, essa tragédia teria sido evitada”. Ele finalizou agradecendo todos os profissionais envolvidos.

Confira o relato:

Relembre o caso:

Publicidade

Dê sua opinião

INVESTIGAÇÃO

Polícia buscou por homens sem braços para prender acusado de matar Débora Lohany

O secretário de Segurança do Ceará, delegado André Costa, contou detalhes dos bastidores das investigações em sua página do Facebook

Por Deborah Tavares em Segurança Pública

18 de abril de 2017 às 17:57

Há 1 mês

Secretário fez desabafo sobre o caso de Débora Lohany. (FOTO: Reprodução/Facebook)

O secretário de Segurança do Ceará, delegado André Costa, que esteve envolvido nas investigações do crime de morte da menina Débora Lohany, fez um desabafo sobre o caso e contou detalhes dos bastidores em sua página no Facebook desta terça-feira (18).

O trabalho de inteligência realizado pela polícia foi ressaltado pelo secretário. A informação de que o suspeito era morador de rua foi a pista inicial que os levaria ao desfecho.

“Essa informação levou a PCCE, que trabalhou com equipes se revezando sem parar, a buscar moradores de rua com a deficiência apontada por testemunhas – homem sem um dos braços – até identificar um que havia desaparecido desde o dia do sumiço da criança”, contou. 

Com o trabalho de investigação, foi possível identificar o nome do suspeito e descobrir que a mãe dele mora em Parnaíba/PI, onde foi detido. “Ele confessou a prática do crime, mas as investigações ainda continuam”, completou o delegado. Em coletiva de imprensa na segunda-feira (17), a polícia informou que Waldemir Batista, de 39 anos, confessou ser o autor da morte da menina Débora Lohanny, 4 anos, raptada no dia 28 de março, no Bairro Aerolândia, em Fortaleza.

Ressaltando que não estava nada feliz com o ocorrido, Andre Costa afirmou que “todos nós somos responsáveis pelo que aconteceu”. Segundo ele, “se déssemos mais dignidade a estas pessoas, se elas tivessem sido alcançadas com a palavra de Deus, se todos colaborássemos com a segurança pública, essa tragédia teria sido evitada”. Ele finalizou agradecendo todos os profissionais envolvidos.

Confira o relato:

Relembre o caso: