Polícia analisa GPS do carro onde universitária foi encontrada morta

NO PORTA-MALAS

Polícia analisa GPS do carro em que universitária foi encontrada morta

Conforme a polícia, a rota registrada pelo GPS do veículo coincide com o depoimento realizado por Gregório

Por Matheus Ribeiro em Segurança Pública

5 de Maio de 2016 às 16:12

Há 3 anos
Carro de Gregório Donizeti possui rastreador (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Carro de Gregório Donizeti possui rastreador (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

A Polícia Civil, por intermédio da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), deve analisar nos próximos dias a rota registrada pelo rastreador do carro do jornalista Gregório Donizeti, namorado da universitária morta Yrna Castro.

O corpo da jovem, de apenas 27 anos, foi encontrado no porta-malas do veículo no último domingo (1º). A suspeita é de que tenha sido vítima de overdose por causa de morfina, droga utilizada para conter dores intensas em pacientes de estado terminal.

De acordo com o GPS do carro, Gregório teria chegado em seu apartamento, no bairro Dionísio Torres, às 2h33. Depois de uma hora, Gregório saiu de sua residência e circulou por diversas ruas e avenidas próximas. Por volta das 3h45, o rastreador do carro registra que o jornalista ficou aproximadamente 1h45 parado na Avenida Pontes Vieira, próximo a um hospital particular.

Conforme o depoimento prestado a polícia, este período que o carro permaneceu parado seria o momento em que Gregório ficou dormindo no veículo. Após acordar, o jornalista ainda trafegou pelas avenidas Jovita Feitosa, Desembargador Moreira e Antônio Sales. Além disso, o aparelho apontou que Gregório também trafegou pelas ruas Francisco Holanda e Barbosa de Freitas antes de voltar para a Avenida Pontes Vieira.

Segundo a delegada da DHPP, Socorro Portela, a rota registrada pelo GPS do veículo coincide com o depoimento realizado por Gregório. “Está sendo
analisado este relatório (do GPS) e o depoimento dele pelos inspetores da Polícia Civil. Mas em alguns pontos, pelo o que deu para perceber, o que ele falou bate sim com o relatório do rastreamento. Há coincidência no que ele falou em seu depoimento”, contou a delegada ao programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.

Depoimentos

Ainda conforme Socorro Portela, dois porteiros, um zelador e o síndico do apartamento onde Gregório morava já foram ouvidos pela DHPP. Até a próxima terça-feira (10) funcionários da pousada onde o jornalista teria se hospedado tentado se matar, além de amigos do casal e da vítima, deverão ser ouvidos.

Entenda

A universitária foi encontrada morta dentro do carro do namorado, no Bairro Dionísio Torres, na madrugada de domingo. De acordo com a Polícia Civil, a jovem morreu na madrugada de sábado, no apartamento do namorado, com quem tinha um relacionamento desde 2015.

O homem foi indiciado por ocultação de cadáver por permanecer com o corpo de Yrna Castro por mais de 12 horas dentro do seu carro e não ter informado à polícia e aos familiares sobre a morte. Segundo a delegada Socorro Portela, o empresário Gregório Donizeti, namorado da vítima, informou em depoimento que os dois usaram morfina misturada a um comprimido e injetaram as substâncias na veia.

O efeito da morfina dura de 4 a 6 horas. Pode provocar alívio de alguma dor e da ansiedade, diminuindo o sentimento de desconfiança e proporcionando um misto de sensações, como bem-estar, tranquilidade, sonolência e até depressão.

Acompanhe o caso:

5 de maio – Para advogado, internação de namorado de universitária morta é para atrapalhar a polícia

4 de maio – Perito e delegada afirmam que não viram hematomas no corpo de universitária

4 de maio – Amigas de universitária achada morta em porta-malas cobram maior investigação

4 de maio – “Ela nunca falou sobre drogas”, diz amiga íntima de universitária achada morta em porta-malas

3 de maio – Namorado diz à Polícia que tentou se matar após ver universitária morta no carro

3 de maio – Familiares apontam hematomas no corpo de universitária encontrada morta em porta-malas

3 de maio – Universitária encontrada em porta-malas do carro do namorado teria injetado morfina

2 de maio – Universitária é encontrada morta no porta-malas do carro do namorado

Publicidade

Dê sua opinião

NO PORTA-MALAS

Polícia analisa GPS do carro em que universitária foi encontrada morta

Conforme a polícia, a rota registrada pelo GPS do veículo coincide com o depoimento realizado por Gregório

Por Matheus Ribeiro em Segurança Pública

5 de Maio de 2016 às 16:12

Há 3 anos
Carro de Gregório Donizeti possui rastreador (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Carro de Gregório Donizeti possui rastreador (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

A Polícia Civil, por intermédio da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), deve analisar nos próximos dias a rota registrada pelo rastreador do carro do jornalista Gregório Donizeti, namorado da universitária morta Yrna Castro.

O corpo da jovem, de apenas 27 anos, foi encontrado no porta-malas do veículo no último domingo (1º). A suspeita é de que tenha sido vítima de overdose por causa de morfina, droga utilizada para conter dores intensas em pacientes de estado terminal.

De acordo com o GPS do carro, Gregório teria chegado em seu apartamento, no bairro Dionísio Torres, às 2h33. Depois de uma hora, Gregório saiu de sua residência e circulou por diversas ruas e avenidas próximas. Por volta das 3h45, o rastreador do carro registra que o jornalista ficou aproximadamente 1h45 parado na Avenida Pontes Vieira, próximo a um hospital particular.

Conforme o depoimento prestado a polícia, este período que o carro permaneceu parado seria o momento em que Gregório ficou dormindo no veículo. Após acordar, o jornalista ainda trafegou pelas avenidas Jovita Feitosa, Desembargador Moreira e Antônio Sales. Além disso, o aparelho apontou que Gregório também trafegou pelas ruas Francisco Holanda e Barbosa de Freitas antes de voltar para a Avenida Pontes Vieira.

Segundo a delegada da DHPP, Socorro Portela, a rota registrada pelo GPS do veículo coincide com o depoimento realizado por Gregório. “Está sendo
analisado este relatório (do GPS) e o depoimento dele pelos inspetores da Polícia Civil. Mas em alguns pontos, pelo o que deu para perceber, o que ele falou bate sim com o relatório do rastreamento. Há coincidência no que ele falou em seu depoimento”, contou a delegada ao programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.

Depoimentos

Ainda conforme Socorro Portela, dois porteiros, um zelador e o síndico do apartamento onde Gregório morava já foram ouvidos pela DHPP. Até a próxima terça-feira (10) funcionários da pousada onde o jornalista teria se hospedado tentado se matar, além de amigos do casal e da vítima, deverão ser ouvidos.

Entenda

A universitária foi encontrada morta dentro do carro do namorado, no Bairro Dionísio Torres, na madrugada de domingo. De acordo com a Polícia Civil, a jovem morreu na madrugada de sábado, no apartamento do namorado, com quem tinha um relacionamento desde 2015.

O homem foi indiciado por ocultação de cadáver por permanecer com o corpo de Yrna Castro por mais de 12 horas dentro do seu carro e não ter informado à polícia e aos familiares sobre a morte. Segundo a delegada Socorro Portela, o empresário Gregório Donizeti, namorado da vítima, informou em depoimento que os dois usaram morfina misturada a um comprimido e injetaram as substâncias na veia.

O efeito da morfina dura de 4 a 6 horas. Pode provocar alívio de alguma dor e da ansiedade, diminuindo o sentimento de desconfiança e proporcionando um misto de sensações, como bem-estar, tranquilidade, sonolência e até depressão.

Acompanhe o caso:

5 de maio – Para advogado, internação de namorado de universitária morta é para atrapalhar a polícia

4 de maio – Perito e delegada afirmam que não viram hematomas no corpo de universitária

4 de maio – Amigas de universitária achada morta em porta-malas cobram maior investigação

4 de maio – “Ela nunca falou sobre drogas”, diz amiga íntima de universitária achada morta em porta-malas

3 de maio – Namorado diz à Polícia que tentou se matar após ver universitária morta no carro

3 de maio – Familiares apontam hematomas no corpo de universitária encontrada morta em porta-malas

3 de maio – Universitária encontrada em porta-malas do carro do namorado teria injetado morfina

2 de maio – Universitária é encontrada morta no porta-malas do carro do namorado