Perícia mostra que criança feita de escudo humano foi morta por arma policial

MENINO ISAAC

Perícia mostra que criança feita de escudo humano foi morta por arma policial

Isaac ia para a escola quando a Polícia invadiu a casa do menino e trocou tiros com a tia dele

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

20 de junho de 2018 às 11:18

Há 5 meses
laudo pericial

Laudo pericial revela que bala retirada do corpo de Isaque partiu da arma usada por policial. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Quase dois meses após a morte do menino José Isaac Santiago da Silva, de 6 anos, o resultado do exame de arma de fogo e comparação balística mostra que a criança foi atingida por arma utilizada pela Polícia Militar do Estado. As informações são do programa Barra Pesada / TV Jangadeiro.

Isaque foi morto em uma abordagem policial na comunidade Marrocos, no bairro Bom Jardim, em Fortaleza, no dia 25 de abril. Ele morreu dias antes de completar sete anos de idade. Na época, um policial ouvido pela TV Jangadeiro/SBT disse que a criança foi feita de “escudo humano” pela própria tia enquanto ela atirava, no momento da abordagem. A família nega.

A perícia realizada no projétil que foi retirado do corpo do menino Isaque comprovou que o tiro que atingiu a criança partiu de uma pistola calibre ponto 40, arma utilizada pela Polícia do Ceará. A família agora pede ajuda para acionar o Estado e levar o caso adiante.

“A gente quer Justiça. Tanto o secretário (da Segurança Pública, André Costa) quanto o governador (Camilo Santana) disseram que a morte do meu filho foi uma fatalidade e ninguém faz nada. Eles (a Polícia) estavam despreparados para fazer aquela abordagem dentro de casa”, disse Milena Santiago, mãe do garoto.

O exame de microcomparação balística foi feito tanto na pistola de calibre ponto 40, usada pelo policial, como no revólver calibre 38, usada pela tia da vítima. Na época, moradores do bairro chegaram a realizar protesto pela morte de Isaac. A mãe contesta o preparo da polícia e revela mágoa com a irmã.

Mãe do Isaque

Milena Santiago, mãe de Isaque, contesta ação da polícia. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

“O policial viu que tinham duas crianças entrando dentro de casa. Por que ele agrediu a Esmeralda? Porque ele não abordou e levou elas duas? Eles foram violentos dentro de casa. Por isso que a minha irmã fez aquilo. Ela tinha medo. Até fiquei com muita raiva. Ainda sinto um pouco”, desabafou Milena.

A mãe critica atitude “egoísta” do policial e da irmã. “Acho que se eles dois, tanto ela como o policial, não fossem tão egoístas, não teriam matado uma criança inocente. Só quem sofre sou eu e meu marido buscando por Justiça e conforto”, disse.

Além de Isaac, outros casos envolvendo ações desastrosas de policiais também ocorreram. Entre os mais recentes, o caso Gisele. A família pede orientação jurídica. Caso algum profissional tenha interesse em ajudar, basta entrar em contato com a produção do Barra Pesada através dos números 3466-2031 e 3268-2711.

Entenda o caso 

Isaac morreu após confronto entre policiais e criminosos no bairro Bom Jardim. O crime aconteceu depois de duas mulheres serem presas com uma arma. Após a prisão, houve confronto com a Polícia na comunidade do Marrocos. Segundo informações da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), policiais foram até o bairro em busca de criminosos que balearam um militar durante a madrugada no mesmo local.

Francisca Antônia Neto Santiago, de 39 anos, e sua companheira trocaram tiros com a Polícia na rua Nova Conquista. Para se proteger, Francisca usou seu sobrinho como escudo. O menino foi atingido e não resistiu ao ferimento. A outra mulher foi levada até o hospital. Durante o confronto, ainda foram baleados a avó da criança, de 55 anos, que foi encaminhada até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), do Bom Jardim, e um policial.

Confira a reportagem completa no Barra Pesada, a partir das 12h10, na TV Jangadeiro/SBT.

Publicidade

Dê sua opinião

MENINO ISAAC

Perícia mostra que criança feita de escudo humano foi morta por arma policial

Isaac ia para a escola quando a Polícia invadiu a casa do menino e trocou tiros com a tia dele

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

20 de junho de 2018 às 11:18

Há 5 meses
laudo pericial

Laudo pericial revela que bala retirada do corpo de Isaque partiu da arma usada por policial. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Quase dois meses após a morte do menino José Isaac Santiago da Silva, de 6 anos, o resultado do exame de arma de fogo e comparação balística mostra que a criança foi atingida por arma utilizada pela Polícia Militar do Estado. As informações são do programa Barra Pesada / TV Jangadeiro.

Isaque foi morto em uma abordagem policial na comunidade Marrocos, no bairro Bom Jardim, em Fortaleza, no dia 25 de abril. Ele morreu dias antes de completar sete anos de idade. Na época, um policial ouvido pela TV Jangadeiro/SBT disse que a criança foi feita de “escudo humano” pela própria tia enquanto ela atirava, no momento da abordagem. A família nega.

A perícia realizada no projétil que foi retirado do corpo do menino Isaque comprovou que o tiro que atingiu a criança partiu de uma pistola calibre ponto 40, arma utilizada pela Polícia do Ceará. A família agora pede ajuda para acionar o Estado e levar o caso adiante.

“A gente quer Justiça. Tanto o secretário (da Segurança Pública, André Costa) quanto o governador (Camilo Santana) disseram que a morte do meu filho foi uma fatalidade e ninguém faz nada. Eles (a Polícia) estavam despreparados para fazer aquela abordagem dentro de casa”, disse Milena Santiago, mãe do garoto.

O exame de microcomparação balística foi feito tanto na pistola de calibre ponto 40, usada pelo policial, como no revólver calibre 38, usada pela tia da vítima. Na época, moradores do bairro chegaram a realizar protesto pela morte de Isaac. A mãe contesta o preparo da polícia e revela mágoa com a irmã.

Mãe do Isaque

Milena Santiago, mãe de Isaque, contesta ação da polícia. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

“O policial viu que tinham duas crianças entrando dentro de casa. Por que ele agrediu a Esmeralda? Porque ele não abordou e levou elas duas? Eles foram violentos dentro de casa. Por isso que a minha irmã fez aquilo. Ela tinha medo. Até fiquei com muita raiva. Ainda sinto um pouco”, desabafou Milena.

A mãe critica atitude “egoísta” do policial e da irmã. “Acho que se eles dois, tanto ela como o policial, não fossem tão egoístas, não teriam matado uma criança inocente. Só quem sofre sou eu e meu marido buscando por Justiça e conforto”, disse.

Além de Isaac, outros casos envolvendo ações desastrosas de policiais também ocorreram. Entre os mais recentes, o caso Gisele. A família pede orientação jurídica. Caso algum profissional tenha interesse em ajudar, basta entrar em contato com a produção do Barra Pesada através dos números 3466-2031 e 3268-2711.

Entenda o caso 

Isaac morreu após confronto entre policiais e criminosos no bairro Bom Jardim. O crime aconteceu depois de duas mulheres serem presas com uma arma. Após a prisão, houve confronto com a Polícia na comunidade do Marrocos. Segundo informações da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), policiais foram até o bairro em busca de criminosos que balearam um militar durante a madrugada no mesmo local.

Francisca Antônia Neto Santiago, de 39 anos, e sua companheira trocaram tiros com a Polícia na rua Nova Conquista. Para se proteger, Francisca usou seu sobrinho como escudo. O menino foi atingido e não resistiu ao ferimento. A outra mulher foi levada até o hospital. Durante o confronto, ainda foram baleados a avó da criança, de 55 anos, que foi encaminhada até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), do Bom Jardim, e um policial.

Confira a reportagem completa no Barra Pesada, a partir das 12h10, na TV Jangadeiro/SBT.