Ônibus passam a circular em comboios e com escolta da polícia em Fortaleza
OPERAÇÃO ESPECIAL

Ônibus passam a circular em comboios e com escolta da polícia em Fortaleza

A decisão foi tomada pela cúpula da Segurança Pública do Estado e a direção do Sindiônibus, em reunião na tarde desta quinta-feira (20)

Por Ana Clara Jovino em Segurança Pública

20 de abril de 2017 às 17:41

Há 5 meses

Os ataques a ônibus resultaram em prejuízo de, pelo menos, R$ 1,5 milhão (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Devido à série de ataques em Fortaleza e na Região Metropolitana, os ônibus circularão em comboios e com escolta da Polícia Militar. A operação, que foi divulgada pela Sindiônibus, iniciou às 17h desta quinta-feira (20) e não tem previsão para término.

A decisão foi tomada pelo Sindiônibus, em parceria com a Secretaria de Segurança Pública do Estado e a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Etufor e da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos.

O secretário de Segurança Pública e Defesa Social, André Costa, em entrevista à Tribuna Band News FM, informa que a Polícia Militar está realizando ações para que a situação se normalize. “Ontem, alguns ônibus saíram em comboio. Nós colocamos viaturas da Polícia Militar junto à Guarda Municipal fazendo esse acompanhamento. Na madrugada, cada ônibus da Linha Corujão foi acompanhado por uma viatura da Polícia Militar”, explicou o titular da SSPDS.

André Costa descartou momentaneamente o reforço de tropas federais para conter a série de ataques a ônibus. Ele disse que policiais lotados no serviço administrativo da Polícia Militar foram convocados para reforçar o patrulhamento nas ruas.

Policias de folga também se voluntariaram para o reforço, revelou André Costa. Além disso, ele garantiu haver reforço no serviço de inteligência da pasta e na Polícia Civil. Também há duas aeronaves da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) destacadas para o monitoramento de ações criminosas, afirmou o secretário.

Os ataques a ônibus resultaram em prejuízo de, pelo menos, R$ 1,5 milhão, de acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Ceará. O número é referente apenas ao primeiro dia de incêndios aos coletivos. Nesta quinta-feira (20), outros cinco veículos foram alvos dos bandidos, totalizando 22 ônibus nos dois dias.

O presidente do Conselho Penitenciário do Estado do Ceará (Copen-CE), Cláudio Justa, em entrevista à Tribuna BandNews FM, explicou que os ônibus incendiados nesta quarta-feira (19) na capital cearense podem ser um suposto anúncio de declaração de guerra entre as facções criminosas.

Cláudio relata que houve alguns confrontos na CPPL II e na CPPL IV, porque estão expulsando, na linguagem dos presídios estão “espirrando”, os detentos da facção do Comando Vermelho, o que segundo ele significa uma aparente ligação entre as facções PCC (Primeiro Comando da Capital) e GDE (Guardiões do Estado).

Acompanhe a cobertura dos ataques:

20/4 – Hilux é metralhada na Praia do Futuro; Vítima seria líder de facção criminosa

20/4 – Sindionibus calcula prejuízo de mais de R$ 1,5 milhão só no 1º dia de ataques

20/4 – É BOATO! Nota que seria assinada por Moroni é falsa, alerta a Prefeitura

20/4 – Uber justifica que subida de preços no caos em Fortaleza atendeu “aumento da demanda”

20/4 – Cobrador deficiente não consegue sair de ônibus em chamas e tem corpo queimado

20/4 – Oscilações de energia não têm relação com ataques em Fortaleza, tranquiliza Enel

20/4 – Polícia investiga se depósitos clandestinos venderam combustíveis usados em ataques

20/4 – Policiais de funções burocráticas vão às ruas para tentar conter caos na segurança

20/4 – Motorista atingido por chamas em ataque ficou preso ao cinto de segurança

20/4 – Fortaleza tem novos ataques a ônibus nesta quinta; Já são 19 em menos de 24h

Publicidade

Dê sua opinião

OPERAÇÃO ESPECIAL

Ônibus passam a circular em comboios e com escolta da polícia em Fortaleza

A decisão foi tomada pela cúpula da Segurança Pública do Estado e a direção do Sindiônibus, em reunião na tarde desta quinta-feira (20)

Por Ana Clara Jovino em Segurança Pública

20 de abril de 2017 às 17:41

Há 5 meses

Os ataques a ônibus resultaram em prejuízo de, pelo menos, R$ 1,5 milhão (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Devido à série de ataques em Fortaleza e na Região Metropolitana, os ônibus circularão em comboios e com escolta da Polícia Militar. A operação, que foi divulgada pela Sindiônibus, iniciou às 17h desta quinta-feira (20) e não tem previsão para término.

A decisão foi tomada pelo Sindiônibus, em parceria com a Secretaria de Segurança Pública do Estado e a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Etufor e da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos.

O secretário de Segurança Pública e Defesa Social, André Costa, em entrevista à Tribuna Band News FM, informa que a Polícia Militar está realizando ações para que a situação se normalize. “Ontem, alguns ônibus saíram em comboio. Nós colocamos viaturas da Polícia Militar junto à Guarda Municipal fazendo esse acompanhamento. Na madrugada, cada ônibus da Linha Corujão foi acompanhado por uma viatura da Polícia Militar”, explicou o titular da SSPDS.

André Costa descartou momentaneamente o reforço de tropas federais para conter a série de ataques a ônibus. Ele disse que policiais lotados no serviço administrativo da Polícia Militar foram convocados para reforçar o patrulhamento nas ruas.

Policias de folga também se voluntariaram para o reforço, revelou André Costa. Além disso, ele garantiu haver reforço no serviço de inteligência da pasta e na Polícia Civil. Também há duas aeronaves da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) destacadas para o monitoramento de ações criminosas, afirmou o secretário.

Os ataques a ônibus resultaram em prejuízo de, pelo menos, R$ 1,5 milhão, de acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Ceará. O número é referente apenas ao primeiro dia de incêndios aos coletivos. Nesta quinta-feira (20), outros cinco veículos foram alvos dos bandidos, totalizando 22 ônibus nos dois dias.

O presidente do Conselho Penitenciário do Estado do Ceará (Copen-CE), Cláudio Justa, em entrevista à Tribuna BandNews FM, explicou que os ônibus incendiados nesta quarta-feira (19) na capital cearense podem ser um suposto anúncio de declaração de guerra entre as facções criminosas.

Cláudio relata que houve alguns confrontos na CPPL II e na CPPL IV, porque estão expulsando, na linguagem dos presídios estão “espirrando”, os detentos da facção do Comando Vermelho, o que segundo ele significa uma aparente ligação entre as facções PCC (Primeiro Comando da Capital) e GDE (Guardiões do Estado).

Acompanhe a cobertura dos ataques:

20/4 – Hilux é metralhada na Praia do Futuro; Vítima seria líder de facção criminosa

20/4 – Sindionibus calcula prejuízo de mais de R$ 1,5 milhão só no 1º dia de ataques

20/4 – É BOATO! Nota que seria assinada por Moroni é falsa, alerta a Prefeitura

20/4 – Uber justifica que subida de preços no caos em Fortaleza atendeu “aumento da demanda”

20/4 – Cobrador deficiente não consegue sair de ônibus em chamas e tem corpo queimado

20/4 – Oscilações de energia não têm relação com ataques em Fortaleza, tranquiliza Enel

20/4 – Polícia investiga se depósitos clandestinos venderam combustíveis usados em ataques

20/4 – Policiais de funções burocráticas vão às ruas para tentar conter caos na segurança

20/4 – Motorista atingido por chamas em ataque ficou preso ao cinto de segurança

20/4 – Fortaleza tem novos ataques a ônibus nesta quinta; Já são 19 em menos de 24h