Namorado diz à Polícia que tentou se matar após ver universitária morta no carro

CASO DO PORTA-MALAS

Namorado diz à Polícia que tentou se matar após ver universitária morta no carro

O empresário Gregório Donizete declarou que tentou socorrer a universitária, encontrada em porta-malas

Por Roberta Tavares em Segurança Pública

3 de Maio de 2016 às 14:30

Há 2 anos
Universitária morreu no domingo por suspeita de overdose (FOTO: Reprodução/Facebook)

Universitária morreu no domingo por suspeita de overdose (FOTO: Reprodução/Facebook)

O empresário Gregório Donizete declarou, em depoimento à Polícia Civil, que procurou prestar socorro à namorada, mas, ao vê-la sem vida, tentou se matar. Yrna de Souza Castro, de 27 anos, era formada em Design de Moda e estudava Administração em uma faculdade particular no Ceará. Ela foi encontrada dentro do porta-malas do carro do namorado na noite de domingo (1º), no Bairro Meireles, em Fortaleza.

O casal teria injetado morfina misturada a outra substância. Ao perceber que a namorada estava passando mal, Gregório contou à Polícia que a levou até o carro, colocou no banco de trás do automóvel e buscou atendimento médico. No entanto, antes de chegar à unidade de saúde, ele teria “apagado” durante cerca de uma hora e, quando acordou, a jovem já estava sem sinais vitais.

“Em depoimento, ele disse que ficou rodando com ela no carro por várias ruas pela região do Bairro Cocó, sem saber o que fazer. Até que a retirou do banco de trás do carro e colocou no porta-malas. A intenção dele, segundo conta em depoimento, era se matar. Ele tentou isso durante o dia todo e só procurou o advogado e a família à noite”, relata a delegada.

A morte teria acontecido por volta das 3h30 de domingo. O namorado, em depoimento, contou que voltou ao apartamento, localizado na Rua Professor Francisco Gonçalves, com a jovem no porta-malas. “Depois teria saído e tentado se matar, cortando os pulsos e de outras formas também. Deu para ver algumas lesões no braço dele”, explica. O rapaz compareceu à DHPP às 22h, na companhia dos advogados.

Gregório Donizete deve responder por crime de ocultação de cadáver e pode pegar pena que varia de 1 a 3 anos de prisão. Ele foi liberado após prestar depoimento. A Polícia Civil aguarda os resultados do laudo cadavérico (10 dias) e do exame toxicológico (30 dias) feitos na jovem e no namorado, para afirmar se a causa da morte foi por ingestão das substâncias.

A investigação conta ainda com imagens do circuito interno do prédio, que mostram o namorado levando a jovem ao carro nos braços. “Nas imagens, ele aparece a levando desacordada nos braços. Elas comprovam que ele saiu do apartamento com ela. Mas dependemos dos exames para saber se a versão dele é verdadeira”, conclui Socorro Portela.

O advogado do empresário informou que a família do cliente opta por não comentar sobre o ocorrido.

Com informações da repórter Emanuella Braga, do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.

Acompanhe o caso:

3 de maio – Universitária encontrada em porta-malas do carro do namorado teria injetado morfina

2 de maio – Universitária é encontrada morta no porta-malas do carro do namorado

Publicidade

Dê sua opinião

CASO DO PORTA-MALAS

Namorado diz à Polícia que tentou se matar após ver universitária morta no carro

O empresário Gregório Donizete declarou que tentou socorrer a universitária, encontrada em porta-malas

Por Roberta Tavares em Segurança Pública

3 de Maio de 2016 às 14:30

Há 2 anos
Universitária morreu no domingo por suspeita de overdose (FOTO: Reprodução/Facebook)

Universitária morreu no domingo por suspeita de overdose (FOTO: Reprodução/Facebook)

O empresário Gregório Donizete declarou, em depoimento à Polícia Civil, que procurou prestar socorro à namorada, mas, ao vê-la sem vida, tentou se matar. Yrna de Souza Castro, de 27 anos, era formada em Design de Moda e estudava Administração em uma faculdade particular no Ceará. Ela foi encontrada dentro do porta-malas do carro do namorado na noite de domingo (1º), no Bairro Meireles, em Fortaleza.

O casal teria injetado morfina misturada a outra substância. Ao perceber que a namorada estava passando mal, Gregório contou à Polícia que a levou até o carro, colocou no banco de trás do automóvel e buscou atendimento médico. No entanto, antes de chegar à unidade de saúde, ele teria “apagado” durante cerca de uma hora e, quando acordou, a jovem já estava sem sinais vitais.

“Em depoimento, ele disse que ficou rodando com ela no carro por várias ruas pela região do Bairro Cocó, sem saber o que fazer. Até que a retirou do banco de trás do carro e colocou no porta-malas. A intenção dele, segundo conta em depoimento, era se matar. Ele tentou isso durante o dia todo e só procurou o advogado e a família à noite”, relata a delegada.

A morte teria acontecido por volta das 3h30 de domingo. O namorado, em depoimento, contou que voltou ao apartamento, localizado na Rua Professor Francisco Gonçalves, com a jovem no porta-malas. “Depois teria saído e tentado se matar, cortando os pulsos e de outras formas também. Deu para ver algumas lesões no braço dele”, explica. O rapaz compareceu à DHPP às 22h, na companhia dos advogados.

Gregório Donizete deve responder por crime de ocultação de cadáver e pode pegar pena que varia de 1 a 3 anos de prisão. Ele foi liberado após prestar depoimento. A Polícia Civil aguarda os resultados do laudo cadavérico (10 dias) e do exame toxicológico (30 dias) feitos na jovem e no namorado, para afirmar se a causa da morte foi por ingestão das substâncias.

A investigação conta ainda com imagens do circuito interno do prédio, que mostram o namorado levando a jovem ao carro nos braços. “Nas imagens, ele aparece a levando desacordada nos braços. Elas comprovam que ele saiu do apartamento com ela. Mas dependemos dos exames para saber se a versão dele é verdadeira”, conclui Socorro Portela.

O advogado do empresário informou que a família do cliente opta por não comentar sobre o ocorrido.

Com informações da repórter Emanuella Braga, do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.

Acompanhe o caso:

3 de maio – Universitária encontrada em porta-malas do carro do namorado teria injetado morfina

2 de maio – Universitária é encontrada morta no porta-malas do carro do namorado