Mulheres relatam detalhes de supostos abusos sexuais de prefeito de Uruburetama

CRUELDADE

Mulheres relatam detalhes de supostos abusos sexuais de prefeito de Uruburetama

Um mês depois das primeiras denúncias contra o prefeito e médico ginecologista, ele segue trabalhando normalmente na prefeitura

Por Crisneive Silveira em Segurança Pública

6 de Abril de 2018 às 07:15

Há 6 meses
Prefeito de Uruburetama, José Hilson

Prefeito de Uruburetama, José Hilson Paiva abusou sexualmente de diversas vítimas e gravou todos os atos. (FOTO: Reprodução/Portal Umirim Notícias)

Após o vazamento de vídeos nas redes sociais, em que José Hilson de Paiva (PCdoB), prefeito de Uruburetama, cidade a 110 km de Fortaleza, aparece em ato sexual com a amante em sua clínica de ginecologia, diversas denúncias de abuso praticado por ele, que é médico, vieram a tona. Algumas dessas vítimas, assediadas durante o atendimento, conversaram com o programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, e relataram, em detalhes, as atrocidades a que foram submetidas.

Edivânia Teixeira foi uma das vítimas do político. Por duas vezes, ela foi vítima de José Hilson. A cabeleireira conta que foi levada pela mãe ao médico, após sofrer um estupro. Chegando ao consultório, entrou sozinha para o exame.

“Fiquei na posição, hoje, que eu sei, de parto, né. Quando eu senti, ele já estava colocando o pênis na minha vagina. Aí, comecei a falar alto. Ele mandou me vestir, chamou minha mãe e disse que eu não estava bem. Não falei para minha mãe porque ela idolatrava ele, e a gente já tava vindo de um trauma”, contou a vítima, que sofreu os dois abusos aos 13 anos.

Anos depois, em 1994, Edivânia fez uma cirurgia no seio. Durante a noite, às 19 horas, precisou se consultar. Novamente, José Hilton teria se aproveitado da mulher.

“Ele foi me consultar, mandou ficar deitada na maca, virar o rosto um pouco pro lado. Aí ele disse que quando colocasse a luz vermelha em cima, eu ficasse abrindo e fechando a boca, que era pro nódulo aparecer, ele disse. Quando senti, ele tava ejaculando na minha boca. Dei um chute na luz e, imediatamente, a esposa dele e a minha mãe chegaram batendo na porta, e ele disse que não tinha sido nada”, relembrou a cabeleireira, que diz tê-lo visto nu, apenas usando uma blusa, correndo para o banheiro. Depois, José Hilton teria pedido para que a vítima não comentasse o caso.

No entanto, após o vídeo divulgado na internet, Edivânia, assim como outras mulheres, resolveram denunciar José Hilton e falar sobre o assunto.

“Fiquei revoltada. Não consigo mais dormir. É uma coisa em sequência, a gente sabia que as mulheres tinham denunciado, mas foi arquivado. Nunca deu em nada. Elas vivem doentes e ninguém toma providência”, revelou Edivânia.

Outra vítima

Uruburetama, abuso

Emocionada, Francisca das Chagas dá detalhes do abuso que sofreu. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Francisca das Chagas é mais uma das vítimas que decidiu não mais se calar. Ela também procurou o médico preocupada com um problema no seio.

“Ele colocou a luz vermelha e começou a massagear meu seio. Aí ele pediu pra eu ficar de lado na maca, fechar os olhos, e colocar a língua pra dentro e pra fora. Quando senti, tava colocando a minha língua no pênis dele. Recuei minha cabeça e ele saiu pro banheiro levantando a calça” revelou a vítima, bastante emocionada.

O consultório de José Hilson funciona na própria casa, em Uruburetama. Os crimes, segundo as vítimas, vêm ocorrendo desde os anos de 1980. E muitas delas ainda não têm coragem de fazer a denúncia.

Mas cerca de dez delas se uniram para gravar vídeos, cada uma falando do próprio drama. Muitas delas foram ameaçadas, quando os abusos começaram a ser denunciados.

“Ele não vai parar se a Justiça não tomar uma providência. Estou esperando que a Justiça resolva, se tiver justiça mesmo, né? Já faz tempo… Tá na hora de parar. Não tem justiça porque ele é prefeito? Se fosse um maníaco pobre já estava preso. Mas como é prefeito, fica aí. E ainda ameaça as vítimas, dizendo que vai processar. Eu posso morrer, mas vou morrer com a verdade”, desabafa Francisca.

O escândalo completou um mês. O prefeito de Uruburetama segue trabalhando normalmente na cidade e exercendo a Medicina. A população entrou com dois pedidos para afastar José Hilson do cargo ,mas, com maioria na Câmara de Vereadores, a apreciação do pedido foi barrada todas as vezes.

A reportagem do Barra Pesada procurou José Hilson na Prefeitura, mas seu advogado orientou que ele não comentasse o caso. As denúncias também estão no Ministério Público, após denúncia de um morador, que também procurou a Defensoria Pública e o Conselho Regional de Medicina.

Veja a matéria do Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT:

Publicidade

Dê sua opinião

CRUELDADE

Mulheres relatam detalhes de supostos abusos sexuais de prefeito de Uruburetama

Um mês depois das primeiras denúncias contra o prefeito e médico ginecologista, ele segue trabalhando normalmente na prefeitura

Por Crisneive Silveira em Segurança Pública

6 de Abril de 2018 às 07:15

Há 6 meses
Prefeito de Uruburetama, José Hilson

Prefeito de Uruburetama, José Hilson Paiva abusou sexualmente de diversas vítimas e gravou todos os atos. (FOTO: Reprodução/Portal Umirim Notícias)

Após o vazamento de vídeos nas redes sociais, em que José Hilson de Paiva (PCdoB), prefeito de Uruburetama, cidade a 110 km de Fortaleza, aparece em ato sexual com a amante em sua clínica de ginecologia, diversas denúncias de abuso praticado por ele, que é médico, vieram a tona. Algumas dessas vítimas, assediadas durante o atendimento, conversaram com o programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, e relataram, em detalhes, as atrocidades a que foram submetidas.

Edivânia Teixeira foi uma das vítimas do político. Por duas vezes, ela foi vítima de José Hilson. A cabeleireira conta que foi levada pela mãe ao médico, após sofrer um estupro. Chegando ao consultório, entrou sozinha para o exame.

“Fiquei na posição, hoje, que eu sei, de parto, né. Quando eu senti, ele já estava colocando o pênis na minha vagina. Aí, comecei a falar alto. Ele mandou me vestir, chamou minha mãe e disse que eu não estava bem. Não falei para minha mãe porque ela idolatrava ele, e a gente já tava vindo de um trauma”, contou a vítima, que sofreu os dois abusos aos 13 anos.

Anos depois, em 1994, Edivânia fez uma cirurgia no seio. Durante a noite, às 19 horas, precisou se consultar. Novamente, José Hilton teria se aproveitado da mulher.

“Ele foi me consultar, mandou ficar deitada na maca, virar o rosto um pouco pro lado. Aí ele disse que quando colocasse a luz vermelha em cima, eu ficasse abrindo e fechando a boca, que era pro nódulo aparecer, ele disse. Quando senti, ele tava ejaculando na minha boca. Dei um chute na luz e, imediatamente, a esposa dele e a minha mãe chegaram batendo na porta, e ele disse que não tinha sido nada”, relembrou a cabeleireira, que diz tê-lo visto nu, apenas usando uma blusa, correndo para o banheiro. Depois, José Hilton teria pedido para que a vítima não comentasse o caso.

No entanto, após o vídeo divulgado na internet, Edivânia, assim como outras mulheres, resolveram denunciar José Hilton e falar sobre o assunto.

“Fiquei revoltada. Não consigo mais dormir. É uma coisa em sequência, a gente sabia que as mulheres tinham denunciado, mas foi arquivado. Nunca deu em nada. Elas vivem doentes e ninguém toma providência”, revelou Edivânia.

Outra vítima

Uruburetama, abuso

Emocionada, Francisca das Chagas dá detalhes do abuso que sofreu. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Francisca das Chagas é mais uma das vítimas que decidiu não mais se calar. Ela também procurou o médico preocupada com um problema no seio.

“Ele colocou a luz vermelha e começou a massagear meu seio. Aí ele pediu pra eu ficar de lado na maca, fechar os olhos, e colocar a língua pra dentro e pra fora. Quando senti, tava colocando a minha língua no pênis dele. Recuei minha cabeça e ele saiu pro banheiro levantando a calça” revelou a vítima, bastante emocionada.

O consultório de José Hilson funciona na própria casa, em Uruburetama. Os crimes, segundo as vítimas, vêm ocorrendo desde os anos de 1980. E muitas delas ainda não têm coragem de fazer a denúncia.

Mas cerca de dez delas se uniram para gravar vídeos, cada uma falando do próprio drama. Muitas delas foram ameaçadas, quando os abusos começaram a ser denunciados.

“Ele não vai parar se a Justiça não tomar uma providência. Estou esperando que a Justiça resolva, se tiver justiça mesmo, né? Já faz tempo… Tá na hora de parar. Não tem justiça porque ele é prefeito? Se fosse um maníaco pobre já estava preso. Mas como é prefeito, fica aí. E ainda ameaça as vítimas, dizendo que vai processar. Eu posso morrer, mas vou morrer com a verdade”, desabafa Francisca.

O escândalo completou um mês. O prefeito de Uruburetama segue trabalhando normalmente na cidade e exercendo a Medicina. A população entrou com dois pedidos para afastar José Hilson do cargo ,mas, com maioria na Câmara de Vereadores, a apreciação do pedido foi barrada todas as vezes.

A reportagem do Barra Pesada procurou José Hilson na Prefeitura, mas seu advogado orientou que ele não comentasse o caso. As denúncias também estão no Ministério Público, após denúncia de um morador, que também procurou a Defensoria Pública e o Conselho Regional de Medicina.

Veja a matéria do Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT: