Motoristas de app devem procurar o Estado para reduzir violência

MELHORIAS

Motoristas de app devem procurar o Estado para reduzir violência durante as corridas

Uma das alternativas para melhorar a segurança dos motoristas de aplicativo seria facilitar um contato mais rápido com a polícia

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

10 de Maio de 2018 às 07:00

Há 4 meses
segurança aplicativo

Na última terça-feira, o 9º motorista de app foi assassinado no Ceará (FOTO: Arquivo/Tribuna do Ceará)

Diante do aumento dos casos de motoristas de aplicativos assassinados em Fortaleza, a Associação de Motoristas Privados Individuais de Passageiros (Ampip-Ce) busca melhorar a segurança de seus colaboradores. Uma das alternativas seria um contato mais rápido com a polícia.

“Os motoristas serão convocados para uma reunião. Nós também vamos procurar conversar com o Estado. Atualmente, nós temos uma central de segurança que nos acompanha via rádio quando entramos em zonas de risco. Queremos ampliar esse serviço junto ao poder público“, revela Antônio Evangelista, presidente da Associação dos Motoristas Privados Individuais de Passageiros.

O Tribuna do Ceará já mostrou que, por segurança, alguns taxistas e motorista de aplicativo estão evitando trafegar em bairros de Fortaleza

No momento, a principal pauta da Ampip-CE é a busca pela regularização dos aplicativos, mas a segurança dos motoristas também é fundamental. “Estamos tratando da regulamentação e, assim que passar isso, a segurança é a nossa próxima agenda. Estamos tentando dialogar com eles o quanto antes”, explica Antônio.

Os motoristas desistiram de pleitear o uso de plaquinhas que identifiquem o carro, por entenderem a proibição pelas leis de trânsito. Uma das sugestões ao poder público será a realização de blitz feitas pela Polícia Militar.

9º assassinato de motoristas

Nesta terça-feira (8), o nono motorista foi assassinado no Ceará. Foram quatro mortes de motoristas de aplicativos e cinco de motoristas de Táxi Amigo.

O último caso havia sido de Francisco Fonseca Neto, de 52 anos, o humorista Fonsequinha, que prestava serviço para o Servus, plataforma de Táxi Amigo, assassinado no último dia 2, no Planalto Ayrton Senna.

Publicidade

Dê sua opinião

MELHORIAS

Motoristas de app devem procurar o Estado para reduzir violência durante as corridas

Uma das alternativas para melhorar a segurança dos motoristas de aplicativo seria facilitar um contato mais rápido com a polícia

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

10 de Maio de 2018 às 07:00

Há 4 meses
segurança aplicativo

Na última terça-feira, o 9º motorista de app foi assassinado no Ceará (FOTO: Arquivo/Tribuna do Ceará)

Diante do aumento dos casos de motoristas de aplicativos assassinados em Fortaleza, a Associação de Motoristas Privados Individuais de Passageiros (Ampip-Ce) busca melhorar a segurança de seus colaboradores. Uma das alternativas seria um contato mais rápido com a polícia.

“Os motoristas serão convocados para uma reunião. Nós também vamos procurar conversar com o Estado. Atualmente, nós temos uma central de segurança que nos acompanha via rádio quando entramos em zonas de risco. Queremos ampliar esse serviço junto ao poder público“, revela Antônio Evangelista, presidente da Associação dos Motoristas Privados Individuais de Passageiros.

O Tribuna do Ceará já mostrou que, por segurança, alguns taxistas e motorista de aplicativo estão evitando trafegar em bairros de Fortaleza

No momento, a principal pauta da Ampip-CE é a busca pela regularização dos aplicativos, mas a segurança dos motoristas também é fundamental. “Estamos tratando da regulamentação e, assim que passar isso, a segurança é a nossa próxima agenda. Estamos tentando dialogar com eles o quanto antes”, explica Antônio.

Os motoristas desistiram de pleitear o uso de plaquinhas que identifiquem o carro, por entenderem a proibição pelas leis de trânsito. Uma das sugestões ao poder público será a realização de blitz feitas pela Polícia Militar.

9º assassinato de motoristas

Nesta terça-feira (8), o nono motorista foi assassinado no Ceará. Foram quatro mortes de motoristas de aplicativos e cinco de motoristas de Táxi Amigo.

O último caso havia sido de Francisco Fonseca Neto, de 52 anos, o humorista Fonsequinha, que prestava serviço para o Servus, plataforma de Táxi Amigo, assassinado no último dia 2, no Planalto Ayrton Senna.