Motorista do Uber assassinado cursava Publicidade em faculdade de Fortaleza
VÍTIMA DA VIOLÊNCIA

Motorista do Uber assassinado cursava Publicidade em faculdade de Fortaleza

A Faculdade Cearense (FAC) emitiu uma nota de pesar pela morte do estudante, que trabalhava como motorista do Uber

Por Daniel Rocha em Segurança Pública

26 de julho de 2017 às 14:21

Há 3 meses

Guilherme foi morto no último domingo, 23, no bairro Ancuri, em Fortaleza (FOTO: Reprodução/Facebook)

A Faculdade Cearense (FAC) publicou nesta quarta-feira (28) uma nota de pesar sobre o falecimento do motorista do Uber Guilherme e Silva Maia, no último domingo (23), no Bairro Ancuri, em Fortaleza. O jovem cursava Publicidade e Propaganda na instituição.

Na nota, a FAC desejou condolências para a família neste momento de luto. “Solidarizamo-nos com a dor da família e desejamos que, nesse momento, o amor e a união daqueles que se amam possam juntar forças para enfrentar o luto”, publicou.

O Tribuna do Ceará procurou os familiares de Guilherme Maia para fazer um perfil do motorista, mas os familiares pediram reserva neste momento de dor. O jovem, de 22 anos, é filho do radialista Guido Maia, bastante conhecido em Fortaleza.

Na sua página no Facebook, muitos parentes e amigos deixaram mensagens em despedida ao jovem. “Eu não consigo entender como um menino tão bom, trabalhador e honesto se foi assim tão rápido”, escreveu uma amiga.

A morte do estudante está sendo investigada pela Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP). Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), uma equipe policial está à procura dos autores do crime.

A Polícia Civil informou que Guilherme foi assassinado próximo ao residencial Alameda das Palmeiras, no Ancuri, quando foi alvo de disparos de arma de fogo contra a vítima. Os documentos do rapaz não foram encontrados no veículo.

Para a associação dos motoristas de aplicativos, Guilherme teria sido assassinado por traficantes do Ancuri, que exigem que motoristas baixem os vidros do carro ao entrar na área. O colega de trabalho não saberia dessa ordem do crime da região.

Acompanhe a cobertura do caso

24 de julho – Motoristas do Uber fazem protesto para reivindicar mais segurança

24 de julho – Motorista do Uber é assassinado enquanto dirigia no bairro Ancuri

25 de julho – Motorista do Uber foi morto porque não baixou o vidro do carro ao entrar em zona do tráfico

25 de julho – Uber nega risco para motoristas, após morte de jovem de 22 anos em Fortaleza

26 de julho – Secretário de Segurança determina foco nas buscas ao assassino de motorista do Uber

Publicidade

Dê sua opinião

VÍTIMA DA VIOLÊNCIA

Motorista do Uber assassinado cursava Publicidade em faculdade de Fortaleza

A Faculdade Cearense (FAC) emitiu uma nota de pesar pela morte do estudante, que trabalhava como motorista do Uber

Por Daniel Rocha em Segurança Pública

26 de julho de 2017 às 14:21

Há 3 meses

Guilherme foi morto no último domingo, 23, no bairro Ancuri, em Fortaleza (FOTO: Reprodução/Facebook)

A Faculdade Cearense (FAC) publicou nesta quarta-feira (28) uma nota de pesar sobre o falecimento do motorista do Uber Guilherme e Silva Maia, no último domingo (23), no Bairro Ancuri, em Fortaleza. O jovem cursava Publicidade e Propaganda na instituição.

Na nota, a FAC desejou condolências para a família neste momento de luto. “Solidarizamo-nos com a dor da família e desejamos que, nesse momento, o amor e a união daqueles que se amam possam juntar forças para enfrentar o luto”, publicou.

O Tribuna do Ceará procurou os familiares de Guilherme Maia para fazer um perfil do motorista, mas os familiares pediram reserva neste momento de dor. O jovem, de 22 anos, é filho do radialista Guido Maia, bastante conhecido em Fortaleza.

Na sua página no Facebook, muitos parentes e amigos deixaram mensagens em despedida ao jovem. “Eu não consigo entender como um menino tão bom, trabalhador e honesto se foi assim tão rápido”, escreveu uma amiga.

A morte do estudante está sendo investigada pela Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP). Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), uma equipe policial está à procura dos autores do crime.

A Polícia Civil informou que Guilherme foi assassinado próximo ao residencial Alameda das Palmeiras, no Ancuri, quando foi alvo de disparos de arma de fogo contra a vítima. Os documentos do rapaz não foram encontrados no veículo.

Para a associação dos motoristas de aplicativos, Guilherme teria sido assassinado por traficantes do Ancuri, que exigem que motoristas baixem os vidros do carro ao entrar na área. O colega de trabalho não saberia dessa ordem do crime da região.

Acompanhe a cobertura do caso

24 de julho – Motoristas do Uber fazem protesto para reivindicar mais segurança

24 de julho – Motorista do Uber é assassinado enquanto dirigia no bairro Ancuri

25 de julho – Motorista do Uber foi morto porque não baixou o vidro do carro ao entrar em zona do tráfico

25 de julho – Uber nega risco para motoristas, após morte de jovem de 22 anos em Fortaleza

26 de julho – Secretário de Segurança determina foco nas buscas ao assassino de motorista do Uber