Motorista acusado de estuprar criança havia lanchado na casa da família da vítima no dia anterior

VIOLÊNCIA

Motorista acusado de estuprar criança havia lanchado na casa da família da vítima no dia anterior

A criança deu detalhes de como ocorreu a ação do suspeito de estupro e disse que ele ofereceu pirulito. Agora, a menina teme pelas colegas e pediu que a mãe avisasse a todas sobre o crime.

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

30 de novembro de 2018 às 12:11

Há 2 semanas

Irlando Andrade da Silva, de 30 anos, foi preso por estupro de vulnerável. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

O motorista de transporte escolar preso em flagrante  suspeito de estupro de vulnerável, em Maracanaú, tinha convivência com a família da vítima. No dia anterior, o suspeito havia tomado café na casa da vítima. Em entrevista ao programa Barra Pesada, a mãe da criança de apenas cinco anos, contou como Irlando Andrade da Silva, de 30 anos, agiu.

A mãe, que prefere não se identificar, contou que no dia anterior, o motorista esteve na casa da família da vítima. Ele era tido como alguém próximo. Os pais ficaram sabendo do crime através da Polícia. Estranhando a demora, a mãe ficou preocupada com a filha, ligou para o telefone do motorista, e um dos policiais atendeu.

Irlando transportava a criança desde quando ela tinha 1 ano e 8 meses. A família nunca havia desconfiado de nenhum comportamento estranho. De acordo com vítima, após deixar a monitora em um local para tirar xerox, disse que deixaria a menina logo em casa. No entanto, ele mudou a rota e foi questionado por ela.

O homem disse que aquele caminho era mais rápido. Ao chegar ao local, ele pulou para o banco de trás e perguntou se poderia pegar nas partes íntimas dela. A menina respondeu: “não pode! Minha mãe disse que não pode deixar ninguém pegar porque pode machucar e sair sangue.” Ele chegou a mostrar o pênis para a criança e a encostar nela.

Foi então que os policiais que faziam ronda na área se depararam com a van escolar, um carro de grande porte parado em um local ermo, e foram averiguar. Flagraram Irlando em ação suspeita e encontraram a vítima no local.

A menina ainda mostrou preocupação com as coleguinhas e pediu para que a mãe avisasse a todas elas do perigo. “Acontece onde a gente menos espera. Que os pais fiquem em alerta, que orientem seus filhos. Se ele tiver feito alguma coisa com ela, ele vai ter que pagar.”, disse a mãe da criança, emocionada.

Em nota, a Polícia diz que aprofunda as investigações para descobrir se o homem teria cometido o mesmo crime com outras vítimas. O caso será investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher de Maracanaú.

 

Publicidade

Dê sua opinião

VIOLÊNCIA

Motorista acusado de estuprar criança havia lanchado na casa da família da vítima no dia anterior

A criança deu detalhes de como ocorreu a ação do suspeito de estupro e disse que ele ofereceu pirulito. Agora, a menina teme pelas colegas e pediu que a mãe avisasse a todas sobre o crime.

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

30 de novembro de 2018 às 12:11

Há 2 semanas

Irlando Andrade da Silva, de 30 anos, foi preso por estupro de vulnerável. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

O motorista de transporte escolar preso em flagrante  suspeito de estupro de vulnerável, em Maracanaú, tinha convivência com a família da vítima. No dia anterior, o suspeito havia tomado café na casa da vítima. Em entrevista ao programa Barra Pesada, a mãe da criança de apenas cinco anos, contou como Irlando Andrade da Silva, de 30 anos, agiu.

A mãe, que prefere não se identificar, contou que no dia anterior, o motorista esteve na casa da família da vítima. Ele era tido como alguém próximo. Os pais ficaram sabendo do crime através da Polícia. Estranhando a demora, a mãe ficou preocupada com a filha, ligou para o telefone do motorista, e um dos policiais atendeu.

Irlando transportava a criança desde quando ela tinha 1 ano e 8 meses. A família nunca havia desconfiado de nenhum comportamento estranho. De acordo com vítima, após deixar a monitora em um local para tirar xerox, disse que deixaria a menina logo em casa. No entanto, ele mudou a rota e foi questionado por ela.

O homem disse que aquele caminho era mais rápido. Ao chegar ao local, ele pulou para o banco de trás e perguntou se poderia pegar nas partes íntimas dela. A menina respondeu: “não pode! Minha mãe disse que não pode deixar ninguém pegar porque pode machucar e sair sangue.” Ele chegou a mostrar o pênis para a criança e a encostar nela.

Foi então que os policiais que faziam ronda na área se depararam com a van escolar, um carro de grande porte parado em um local ermo, e foram averiguar. Flagraram Irlando em ação suspeita e encontraram a vítima no local.

A menina ainda mostrou preocupação com as coleguinhas e pediu para que a mãe avisasse a todas elas do perigo. “Acontece onde a gente menos espera. Que os pais fiquem em alerta, que orientem seus filhos. Se ele tiver feito alguma coisa com ela, ele vai ter que pagar.”, disse a mãe da criança, emocionada.

Em nota, a Polícia diz que aprofunda as investigações para descobrir se o homem teria cometido o mesmo crime com outras vítimas. O caso será investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher de Maracanaú.