Líder religioso preso por estupro é suspeito de dopar duas meninas de 12 anos

VIOLÊNCIA SEXUAL

Líder religioso preso por estupro é suspeito de dopar duas meninas de 12 anos

O líder espiritual dizia que levava remédios para as vítimas, porque elas tossiam muito durante a noite, mas na verdade deixavam as jovens dopadas

Por Ana Clara Jovino em Segurança Pública

9 de Março de 2017 às 16:29

Há 9 meses

Paulo Monteiro Amorim também trabalhava como corretor de imóveis (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

O líder espiritual Paulo Monteiro Amorim está detido por prisão preventiva, suspeito de abusar sexualmente de jovens integrantes da comunidade católica que ele fundou, em Fortaleza.

Supostamente, ele utilizava remédios que deixavam as vítimas dopadas para cometer os atos sexuais. Ele afirmava que eram remédios para tosse, pois dizia que elas tossiam muito durante a noite.

O caso está sendo investigado no 2º Distrito Policial. Segundo o inquérito, pelo menos cinco jovens foram estupradas.

O líder espiritual levava as vítimas, integrantes da comunidade católica, para dormir em sua casa, alegando que ele faria meditação e um acompanhamento espiritual e familiar.

“Nós temos relatos de pelo menos cinco vítimas, que teriam sofrido crime de estupro na modalidade de ato libidinoso, diferente da conjunção carnal, com a facilitação através de medicações que ele ministraria para essas vítimas. Temos relatos de duas jovens dessas que, quando sofreram o crime, tinham 12 anos de idade”, relata Dionísio Amaral, delegado do 2º DP.

Ainda segundo o delegado Dionísio Amaral, a suspeita é de que Paulo abusava sexualmente de jovens há seis anos, porém só há duas semanas que as vítimas começaram a comentar entre elas sobre o que supostamente acontecia, pois como ele dava um remédio para elas dormirem, não tinham certeza se era um sonho ou a realidade. Então, as famílias começaram a denunciar o líder espiritual.

“É muito forte ascensão do casal, notadamente do Paulo, pela condição de líder espiritual e fundador da comunidade. Essa comunidade tem um traço muito marcante que seus congregantes exercem uma fé muito fervorosa, então a gente observou que eles tinham uma imagem muito forte dele como uma pessoa de muita respeitabilidade e muita credibilidade perante toda a igreja. Então, há jovens que ficaram constrangidas e dizem eu só quiseram, de fato, aceitar a realidade do que estava ocorrendo depois que passaram a conversar entre si”, esclarece o delegado.

Na casa de Paulo, localizada no bairro Meireles, foram encontrados celulares e roupas íntimas femininas. Ele alega que as moças deixaram lá, após passarem a noite.

Saiba os detalhes na reportagem de Emanuella Braga, da TV Jangadeiro:

Publicidade

Dê sua opinião

VIOLÊNCIA SEXUAL

Líder religioso preso por estupro é suspeito de dopar duas meninas de 12 anos

O líder espiritual dizia que levava remédios para as vítimas, porque elas tossiam muito durante a noite, mas na verdade deixavam as jovens dopadas

Por Ana Clara Jovino em Segurança Pública

9 de Março de 2017 às 16:29

Há 9 meses

Paulo Monteiro Amorim também trabalhava como corretor de imóveis (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

O líder espiritual Paulo Monteiro Amorim está detido por prisão preventiva, suspeito de abusar sexualmente de jovens integrantes da comunidade católica que ele fundou, em Fortaleza.

Supostamente, ele utilizava remédios que deixavam as vítimas dopadas para cometer os atos sexuais. Ele afirmava que eram remédios para tosse, pois dizia que elas tossiam muito durante a noite.

O caso está sendo investigado no 2º Distrito Policial. Segundo o inquérito, pelo menos cinco jovens foram estupradas.

O líder espiritual levava as vítimas, integrantes da comunidade católica, para dormir em sua casa, alegando que ele faria meditação e um acompanhamento espiritual e familiar.

“Nós temos relatos de pelo menos cinco vítimas, que teriam sofrido crime de estupro na modalidade de ato libidinoso, diferente da conjunção carnal, com a facilitação através de medicações que ele ministraria para essas vítimas. Temos relatos de duas jovens dessas que, quando sofreram o crime, tinham 12 anos de idade”, relata Dionísio Amaral, delegado do 2º DP.

Ainda segundo o delegado Dionísio Amaral, a suspeita é de que Paulo abusava sexualmente de jovens há seis anos, porém só há duas semanas que as vítimas começaram a comentar entre elas sobre o que supostamente acontecia, pois como ele dava um remédio para elas dormirem, não tinham certeza se era um sonho ou a realidade. Então, as famílias começaram a denunciar o líder espiritual.

“É muito forte ascensão do casal, notadamente do Paulo, pela condição de líder espiritual e fundador da comunidade. Essa comunidade tem um traço muito marcante que seus congregantes exercem uma fé muito fervorosa, então a gente observou que eles tinham uma imagem muito forte dele como uma pessoa de muita respeitabilidade e muita credibilidade perante toda a igreja. Então, há jovens que ficaram constrangidas e dizem eu só quiseram, de fato, aceitar a realidade do que estava ocorrendo depois que passaram a conversar entre si”, esclarece o delegado.

Na casa de Paulo, localizada no bairro Meireles, foram encontrados celulares e roupas íntimas femininas. Ele alega que as moças deixaram lá, após passarem a noite.

Saiba os detalhes na reportagem de Emanuella Braga, da TV Jangadeiro: