Jovem revela pânico após ordem de despejo de facção: "Estou preso em casa"

ROTINA DO MEDO

Jovem revela pânico após ordem de despejo de facção: “Estou preso em casa”

Morador deu entrevista ao Tribuna do Ceará, por telefone, de dentro do banheiro, com medo dos bandidos

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

5 de Janeiro de 2018 às 07:00

Há 3 semanas

Moradores vivem com medo (FOTO: Reprodução WhatsApp)

“Sou refém da violência, estou preso dentro da minha própria casa”, essa é a realidade para parte dos moradores do bairro Barroso II, em Fortaleza. O relato é de um jovem que prefere não se identificar, por temer ação dos criminosos.

Na noite da última quarta-feira (3), casas foram pichadas com “ordem de despejo”. Moradores de cinco ruas tiveram de sair do local. “Sair (sic) fora todo mundo das travessas, senão vai morre (sic)“, dizia uma das pichações.

Com a voz embargada, o morador da região afirma que a rotina já não é mais a mesma. A entrevista, inclusive, foi concedida ao Tribuna do Ceará por telefone, de dentro do banheiro de casa, por receio dos bandidos.”A minha vida e a de todos os trabalhadores foi mudada. Não posso sair de casa, não sei o que pode acontecer. Também não tenho como ir pra outro bairro. Se eu falar de onde eu sou, posso acabar sendo morto só por morar aqui“, revela.

Segundo o jovem, o bairro já foi um lugar tranquilo. “Aqui era uma paz, nós vivíamos tranquilos. Nos últimos 3 anos as coisas começaram a mudar. Nos dias de hoje, os comércios estão fechando, famílias se mudando e quem fica não consegue pensar em um futuro melhor”.

O morador afirma que a presença da polícia é até constante, mas que a sensação de insegurança só aumenta. “Tem muita polícia aqui, mas continuamos com medo. Não posso ser visto chegando perto de nenhum policial. Aqui é cheio de olheiro, temos que ficar calados”, relata.

Refém da violência, o jovem teme que o bairro “acabe” por causa da criminalidade. “O bairro vai se acabando aos poucos. Se você olhar pra rua, o tempo todo é passando caminhão de mudança. Eu não sei se eu saio ou se fico. Não consigo pensar no futuro, só penso no dia de hoje. Só quero que tudo isso acabe logo”.

Na manhã desta quinta-feira (4) uma equipe de reportagem do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, foi até o local em que as pichações foram feitas. A reportagem não pode ser realizada pois dois homens alertaram que a equipe de jornalismo deveria deixar o local.

Entenda o caso

Moradores de uma região do Bairro Barroso II tiveram que sair de suas casas na noite desta quarta-feira (3) após sofrerem ameaças de criminosos. Nas pichações feitas nas paredes das residências, bandidos alertavam a população sobre a “ordem de despejo” e, caso não fosse cumprida, eles seriam mortos ou teriam suas casas queimadas.

O caso aconteceu com os moradores das travessas do Cano, Pelicano, Garça, Libélula e da Borboletas. Nas imagens enviadas ao WhatsApp do programa Barra Pesada, é possível ver alguns moradores saindo de suas casas acompanhados por uma equipe da Polícia Militar.

SSPDS

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que dois homens e uma mulher foram presos pela Polícia Militar do Ceará por serem suspeitos de serem responsáveis pelas palavras de ordem de despejo. O caso aconteceu na noite desta quarta-feira (4), no Passaré.

Com os suspeitos, foram encontrados duas armas de fogo, balanças de precisão e entorpecentes. No momento, a polícia segue em diligências para identificar os outros responsáveis pelas pichações.

Registro foi feito moradores
1/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)

Registro foi feito moradores
2/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)

Registro foi feito moradores
3/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)

Registro foi feito moradores
4/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)

Registro foi feito moradores
5/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)

Registro foi feito moradores
6/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)

Registro foi feito moradores
7/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)

Registro foi feito moradores
8/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)

Publicidade

Dê sua opinião

ROTINA DO MEDO

Jovem revela pânico após ordem de despejo de facção: “Estou preso em casa”

Morador deu entrevista ao Tribuna do Ceará, por telefone, de dentro do banheiro, com medo dos bandidos

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

5 de Janeiro de 2018 às 07:00

Há 3 semanas

Moradores vivem com medo (FOTO: Reprodução WhatsApp)

“Sou refém da violência, estou preso dentro da minha própria casa”, essa é a realidade para parte dos moradores do bairro Barroso II, em Fortaleza. O relato é de um jovem que prefere não se identificar, por temer ação dos criminosos.

Na noite da última quarta-feira (3), casas foram pichadas com “ordem de despejo”. Moradores de cinco ruas tiveram de sair do local. “Sair (sic) fora todo mundo das travessas, senão vai morre (sic)“, dizia uma das pichações.

Com a voz embargada, o morador da região afirma que a rotina já não é mais a mesma. A entrevista, inclusive, foi concedida ao Tribuna do Ceará por telefone, de dentro do banheiro de casa, por receio dos bandidos.”A minha vida e a de todos os trabalhadores foi mudada. Não posso sair de casa, não sei o que pode acontecer. Também não tenho como ir pra outro bairro. Se eu falar de onde eu sou, posso acabar sendo morto só por morar aqui“, revela.

Segundo o jovem, o bairro já foi um lugar tranquilo. “Aqui era uma paz, nós vivíamos tranquilos. Nos últimos 3 anos as coisas começaram a mudar. Nos dias de hoje, os comércios estão fechando, famílias se mudando e quem fica não consegue pensar em um futuro melhor”.

O morador afirma que a presença da polícia é até constante, mas que a sensação de insegurança só aumenta. “Tem muita polícia aqui, mas continuamos com medo. Não posso ser visto chegando perto de nenhum policial. Aqui é cheio de olheiro, temos que ficar calados”, relata.

Refém da violência, o jovem teme que o bairro “acabe” por causa da criminalidade. “O bairro vai se acabando aos poucos. Se você olhar pra rua, o tempo todo é passando caminhão de mudança. Eu não sei se eu saio ou se fico. Não consigo pensar no futuro, só penso no dia de hoje. Só quero que tudo isso acabe logo”.

Na manhã desta quinta-feira (4) uma equipe de reportagem do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, foi até o local em que as pichações foram feitas. A reportagem não pode ser realizada pois dois homens alertaram que a equipe de jornalismo deveria deixar o local.

Entenda o caso

Moradores de uma região do Bairro Barroso II tiveram que sair de suas casas na noite desta quarta-feira (3) após sofrerem ameaças de criminosos. Nas pichações feitas nas paredes das residências, bandidos alertavam a população sobre a “ordem de despejo” e, caso não fosse cumprida, eles seriam mortos ou teriam suas casas queimadas.

O caso aconteceu com os moradores das travessas do Cano, Pelicano, Garça, Libélula e da Borboletas. Nas imagens enviadas ao WhatsApp do programa Barra Pesada, é possível ver alguns moradores saindo de suas casas acompanhados por uma equipe da Polícia Militar.

SSPDS

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que dois homens e uma mulher foram presos pela Polícia Militar do Ceará por serem suspeitos de serem responsáveis pelas palavras de ordem de despejo. O caso aconteceu na noite desta quarta-feira (4), no Passaré.

Com os suspeitos, foram encontrados duas armas de fogo, balanças de precisão e entorpecentes. No momento, a polícia segue em diligências para identificar os outros responsáveis pelas pichações.

Registro foi feito moradores
1/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)

Registro foi feito moradores
2/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)

Registro foi feito moradores
3/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)

Registro foi feito moradores
4/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)

Registro foi feito moradores
5/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)

Registro foi feito moradores
6/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)

Registro foi feito moradores
7/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)

Registro foi feito moradores
8/8

Registro foi feito moradores

(Foto: WhatsApp/Barra Pesada)