Homem que matou a ex-namorada e carregou corpo em moto segue foragido 1 mês depois

FEMINICÍDIO

Homem que matou a ex-namorada e carregou corpo em moto segue foragido 1 mês depois

Os familiares de Stefhani Brito se reuniram na Praia de Iracema para pedir justiça pelo crime, cometido no dia 1º de janeiro

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

5 de Fevereiro de 2018 às 10:40

Há 4 meses

O ex-namorado de Stefhani Brito é o principal suspeito de ter cometido o crime (Foto: Reprodução/Barra Pesada)

Familiares e amigos de Stefhani Brito, de 22 anos, que foi morta no dia 1º de janeiro deste ano, realizaram uma manifestação na tarde deste domingo (4), no aterro da Praia de Iracema, em Fortaleza. O grupo exige justiça pelo feminicídio e paz para a cidade de Fortaleza.

A vítima tinha um relacionamento abusivo com o ex-namorado Francisco Alberto Nobre Calixto Filho, principal suspeito do crime. Momentos antes de morrer, ela teria ido para a casa do rapaz a seu pedido. Stefhani havia dito que precisava ir encontrá-lo para proteger os familiares.

“A gente pede justiça. Queremos que a polícia dê uma resposta para a gente. E é difícil ficar sem uma pessoa tão querida. Estamos lutando pela justiça de Stefhani e pela paz em Fortaleza”, informou a mãe, Rosilene Brito.

A amiga de infância de Stefhani, Iully Nunes, tentou afastá-la de Francisco Alberto. Segundo ela, durante a passagem de ano, Stefhani havia mandado uma mensagem de Ano Novo dizendo que estava com saudades da amiga. Neste momento, Iully retribiu o carinho e a convidou para morar com ela.

“Eu acompanhei o sofrimento de Stefhani. Ela sempre falava que dava tudo certo e que um dia ia se libertar dele, mas ela sempre foi discreta. Nunca comentou nada. Acho que era para poupar a gente do sofrimento. Mas, toda vez que a via, ela estava com hematoma, com a pele queimada”, informou Iully.

O caso

Stefhani Brito foi encontrada morta na Lagoa da Libânia, no Bairro Mondubim. De acordo com populares, o suspeito do homicídio teria circulado pela região com o corpo da vítima na garupa de uma motocicleta. Ao chegar às margens da lagoa, teria batido a cabeça da vítima contra uma pedra e depois a abandonado no local.

Conforme a nota da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a jovem foi morta com disparos de arma de fogo e por lesões de objetos cortantes. Um inquérito policial foi instaurado para investigar o caso na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) em caráter de urgência. O ex-namorado de Stefhani está com um mandado de prisão preventiva em aberto desde o dia 5 de janeiro. Equipes da DDM estão em diligências para encontrar o suspeito.

Segundo a pasta, a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam ajudar na elucidação do caso. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) ou para o telefone da DDM, em Fortaleza, pelo número (85) 3101-2495. O sigilo é garantido.

Confira o caso no programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h10 nesta segunda-feira (5).

Publicidade

Dê sua opinião

FEMINICÍDIO

Homem que matou a ex-namorada e carregou corpo em moto segue foragido 1 mês depois

Os familiares de Stefhani Brito se reuniram na Praia de Iracema para pedir justiça pelo crime, cometido no dia 1º de janeiro

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

5 de Fevereiro de 2018 às 10:40

Há 4 meses

O ex-namorado de Stefhani Brito é o principal suspeito de ter cometido o crime (Foto: Reprodução/Barra Pesada)

Familiares e amigos de Stefhani Brito, de 22 anos, que foi morta no dia 1º de janeiro deste ano, realizaram uma manifestação na tarde deste domingo (4), no aterro da Praia de Iracema, em Fortaleza. O grupo exige justiça pelo feminicídio e paz para a cidade de Fortaleza.

A vítima tinha um relacionamento abusivo com o ex-namorado Francisco Alberto Nobre Calixto Filho, principal suspeito do crime. Momentos antes de morrer, ela teria ido para a casa do rapaz a seu pedido. Stefhani havia dito que precisava ir encontrá-lo para proteger os familiares.

“A gente pede justiça. Queremos que a polícia dê uma resposta para a gente. E é difícil ficar sem uma pessoa tão querida. Estamos lutando pela justiça de Stefhani e pela paz em Fortaleza”, informou a mãe, Rosilene Brito.

A amiga de infância de Stefhani, Iully Nunes, tentou afastá-la de Francisco Alberto. Segundo ela, durante a passagem de ano, Stefhani havia mandado uma mensagem de Ano Novo dizendo que estava com saudades da amiga. Neste momento, Iully retribiu o carinho e a convidou para morar com ela.

“Eu acompanhei o sofrimento de Stefhani. Ela sempre falava que dava tudo certo e que um dia ia se libertar dele, mas ela sempre foi discreta. Nunca comentou nada. Acho que era para poupar a gente do sofrimento. Mas, toda vez que a via, ela estava com hematoma, com a pele queimada”, informou Iully.

O caso

Stefhani Brito foi encontrada morta na Lagoa da Libânia, no Bairro Mondubim. De acordo com populares, o suspeito do homicídio teria circulado pela região com o corpo da vítima na garupa de uma motocicleta. Ao chegar às margens da lagoa, teria batido a cabeça da vítima contra uma pedra e depois a abandonado no local.

Conforme a nota da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a jovem foi morta com disparos de arma de fogo e por lesões de objetos cortantes. Um inquérito policial foi instaurado para investigar o caso na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) em caráter de urgência. O ex-namorado de Stefhani está com um mandado de prisão preventiva em aberto desde o dia 5 de janeiro. Equipes da DDM estão em diligências para encontrar o suspeito.

Segundo a pasta, a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam ajudar na elucidação do caso. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) ou para o telefone da DDM, em Fortaleza, pelo número (85) 3101-2495. O sigilo é garantido.

Confira o caso no programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h10 nesta segunda-feira (5).