Governo ainda não sabe quando passará a conferir digitais de torcedores em estádios

MEDIDA DE SEGURANÇA

Governo ainda não sabe quando passará a conferir digitais de torcedores em estádios

Após a quarta chacina no Ceará somente em 2018, o Governo do Estado anunciou uma série de medidas de segurança

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

14 de Março de 2018 às 07:15

Há 6 meses
fachada do Castelão

Os torcedores devem fazer o cadastro biométrico (Foto: Reprodução/Google Street)

Devido aos recentes casos de violência em Fortaleza, algumas medidas de segurança foram anunciadas pelo Governo do Estado durante uma reunião no palácio da Abolição com a cúpula de segurança nesta segunda-feira (12). As informações são da Tribuna Band News FM.

Uma das medidas é o cadastro biométrico que os torcedores devem realizar para entrar nos estádios. Até o momento, ainda não há uma data para que a medida comece a ser válida. A reunião foi marcada após a ocorrência de outra chacina em Fortaleza.
Na última sexta-feira (9), sete pessoas foram assassinadas em três pontos no bairro Benfica. Esta é a quarta chacina neste ano no Estado do Ceará. De acordo com o titular da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, afirmou que o suspeito tinha envolvimento com a briga entre torcidas rivais na última semana. Entretanto, a Torcida Uniformizada do Fortaleza e a Cearamor negam qualquer envolvimento com o crime.
“O fato ocorrido não possui vínculo algum com possível rivalidade entre as torcidas organizadas da capital”, diz a nota da TUF. A Cearamor, por sua vez, lamentou o ocorrido e nega participação da chacina. “Esperamos que a mídia não venha querer aproveitar-se do episódio e criar matéria para vender jornal e insinuar que o episódio está relacionado a briga entre torcidas organizadas”, informou a nota.
Nesta discussão, o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) exigiu a extinção imediata das atividades da Torcida Uniformizada do Fortaleza (TUF), da Torcida Organizada Jovem Garra Tricolor (JGT) e da Associação Torcida Organizada Cearamor. O órgão acursou que os membros das organizações são, frequentemente, associados a crimes de vandalismo, violência física e assassinatos, causando temor à sociedade.
Entretanto, outra linha de investigação aponta que a ordem para a realização da chacina tenha partido de um presídio.
Publicidade

Dê sua opinião

MEDIDA DE SEGURANÇA

Governo ainda não sabe quando passará a conferir digitais de torcedores em estádios

Após a quarta chacina no Ceará somente em 2018, o Governo do Estado anunciou uma série de medidas de segurança

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

14 de Março de 2018 às 07:15

Há 6 meses
fachada do Castelão

Os torcedores devem fazer o cadastro biométrico (Foto: Reprodução/Google Street)

Devido aos recentes casos de violência em Fortaleza, algumas medidas de segurança foram anunciadas pelo Governo do Estado durante uma reunião no palácio da Abolição com a cúpula de segurança nesta segunda-feira (12). As informações são da Tribuna Band News FM.

Uma das medidas é o cadastro biométrico que os torcedores devem realizar para entrar nos estádios. Até o momento, ainda não há uma data para que a medida comece a ser válida. A reunião foi marcada após a ocorrência de outra chacina em Fortaleza.
Na última sexta-feira (9), sete pessoas foram assassinadas em três pontos no bairro Benfica. Esta é a quarta chacina neste ano no Estado do Ceará. De acordo com o titular da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, afirmou que o suspeito tinha envolvimento com a briga entre torcidas rivais na última semana. Entretanto, a Torcida Uniformizada do Fortaleza e a Cearamor negam qualquer envolvimento com o crime.
“O fato ocorrido não possui vínculo algum com possível rivalidade entre as torcidas organizadas da capital”, diz a nota da TUF. A Cearamor, por sua vez, lamentou o ocorrido e nega participação da chacina. “Esperamos que a mídia não venha querer aproveitar-se do episódio e criar matéria para vender jornal e insinuar que o episódio está relacionado a briga entre torcidas organizadas”, informou a nota.
Nesta discussão, o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) exigiu a extinção imediata das atividades da Torcida Uniformizada do Fortaleza (TUF), da Torcida Organizada Jovem Garra Tricolor (JGT) e da Associação Torcida Organizada Cearamor. O órgão acursou que os membros das organizações são, frequentemente, associados a crimes de vandalismo, violência física e assassinatos, causando temor à sociedade.
Entretanto, outra linha de investigação aponta que a ordem para a realização da chacina tenha partido de um presídio.