Funcionário confessa ter abusado criança de 6 anos e diz ter mais vítimas

CASO DE ITAPAJÉ

Funcionário confessa ter abusado de criança em escola e afirma que há outras vítimas

Segundo o delegado André Firmino, responsável pelo caso, uma reunião com pais foi marcada para esta segunda-feira, na escola, a fim de investigar a possibilidade de outras vítimas

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

9 de junho de 2018 às 07:47

Há 2 semanas
Mãos algema

Os suspeitos foram presos (FOTO: Flickr/Creative Commons/Victor)

Após uma criança ter sido abusada sexualmente dentro de uma escola em Itapajé, no Ceará, a delegacia do município investiga a possibilidade de outras vítimas dentro da instituição de ensino.

Segundo o delegado André Firmino, um dos funcionários confessou ter abusado sexualmente da criança de 6 anos dentro do banheiro e afirmou que há outras vítimas no colégio. Na manhã desta segunda-feira (11), haverá uma reunião com pais e funcionários para esclarecer os casos e investigar se há ou não outras crianças abusadas.

“Aparentemente, sim. Não descartamos. Um dos acusados confessou o crime e disse os detalhes. O outro nega a autoria. Ele também disse que há outras vítimas”, esclareceu o delegado André Firmino ao Tribuna do Ceará. Devido à repercussão do caso, André afirma que a polícia, junto ao Ministério Público do Ceará (MP-CE), está trabalhando com cautela para identificar as outras crianças, vítimas de abuso sexual.

“Temos que identificar essas vítimas com cuidado. Vamos conversar com os pais e com toda uma equipe multidisciplinar”, afirmou. Os funcionários foram presos preventivamente. De acordo com a promotora da cidade, Valesca Bastos, o delegado recebeu a denúncia no dia 30 de maio e, logo depois, iniciou no processo para conseguir o mandado de prisão preventiva para que os funcionários não fugissem da cidade.

“Ficamos com medo de que eles fugissem, porque o boato se espalhou rápido pela cidade. A Justiça procurou agir rapidamente. Na segunda-feira já havia um mandado de prisão preventiva para os suspeitos e, durante a noite, eles já foram presos, para garantir que eles respondam ao processo, por tudo aquilo que o delegado ainda está apurando no inquérito”, disse Valesca Bastos.

Publicidade

Dê sua opinião

CASO DE ITAPAJÉ

Funcionário confessa ter abusado de criança em escola e afirma que há outras vítimas

Segundo o delegado André Firmino, responsável pelo caso, uma reunião com pais foi marcada para esta segunda-feira, na escola, a fim de investigar a possibilidade de outras vítimas

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

9 de junho de 2018 às 07:47

Há 2 semanas
Mãos algema

Os suspeitos foram presos (FOTO: Flickr/Creative Commons/Victor)

Após uma criança ter sido abusada sexualmente dentro de uma escola em Itapajé, no Ceará, a delegacia do município investiga a possibilidade de outras vítimas dentro da instituição de ensino.

Segundo o delegado André Firmino, um dos funcionários confessou ter abusado sexualmente da criança de 6 anos dentro do banheiro e afirmou que há outras vítimas no colégio. Na manhã desta segunda-feira (11), haverá uma reunião com pais e funcionários para esclarecer os casos e investigar se há ou não outras crianças abusadas.

“Aparentemente, sim. Não descartamos. Um dos acusados confessou o crime e disse os detalhes. O outro nega a autoria. Ele também disse que há outras vítimas”, esclareceu o delegado André Firmino ao Tribuna do Ceará. Devido à repercussão do caso, André afirma que a polícia, junto ao Ministério Público do Ceará (MP-CE), está trabalhando com cautela para identificar as outras crianças, vítimas de abuso sexual.

“Temos que identificar essas vítimas com cuidado. Vamos conversar com os pais e com toda uma equipe multidisciplinar”, afirmou. Os funcionários foram presos preventivamente. De acordo com a promotora da cidade, Valesca Bastos, o delegado recebeu a denúncia no dia 30 de maio e, logo depois, iniciou no processo para conseguir o mandado de prisão preventiva para que os funcionários não fugissem da cidade.

“Ficamos com medo de que eles fugissem, porque o boato se espalhou rápido pela cidade. A Justiça procurou agir rapidamente. Na segunda-feira já havia um mandado de prisão preventiva para os suspeitos e, durante a noite, eles já foram presos, para garantir que eles respondam ao processo, por tudo aquilo que o delegado ainda está apurando no inquérito”, disse Valesca Bastos.