Família de motociclista acusado de suborno por guarda pede que ele seja libertado

POLÊMICA NA CIDADE

Família de motociclista acusado de suborno por guarda pede que ele seja libertado

Antonio Anderson, de 23 anos, defende-se que foi induzido à tentativa de suborno pelo guarda, que filmava a ocorrência

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

30 de agosto de 2017 às 10:53

Há 3 meses
A família pede Justiça (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

A família pede Justiça (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

A família do estudante universitário Antonio Anderson, acusado de tentativa de suborno a um Guarda Municipal na última segunda-feira (28), está inconformada com a situação do jovem, que está preso no 34º Distrito Policial, em Fortaleza.

Na terça-feira (29), familiares, amigos e vizinhos se reuniram em frente à residência localizada no Bairro Carlito Pamplona, para pedir que o jovem seja libertado da prisão.

A prima do jovem Lucélia de Oliveira defende o familiar e acredita que ele foi induzido ao suborno. “Quando ele fala ‘o que você pode fazer por nós’ é o que? E ainda fica fazendo gracinha, zombando da cara dele. Ele foi induzido a oferecer dinheiro, foi um desespero”, desabafa.

O motociclista estava com a licença vencida e com várias multas. Sobre isso a familiar disse que ele iria resolver a situação.

“Ele sofreu um assalto e tem até o Boletim de Ocorrência (ela estava com o B.O. em mãos), conseguiu recuperar a moto, ela estava cheia de multas. Mas ele ainda ofereceu ao guarda para vir na casa dele para mostrar, e ele arrumaria o dinheiro para pagar. Ele não precisava fazer aquilo com meu primo”, acredita.

Outra parente de Antonio Anderson fala que a família deseja que, se ele tiver que responder algum processo, seja em liberdade.

“Ele não é um traficante, não é um criminoso e não merece estar preso. Nós corremos atrás do nosso ‘ganha pão’ todos os dias. Se ele tiver que pagar alguma coisa, que ele pague, mas fique em liberdade. Ele não pode ficar é preso como um marginal, coisa que ele não é”, afirma.

Relembre o caso

Um homem de 23 anos foi encaminhando ao 1º Distrito Policial ao ser acusado de tentar subornar um agente da Guarda Municipal, nesta segunda-feira (28), na Avenida Francisco Sá, em Fortaleza.

O caso acontece quando um agente da guarda viu uma moto sem placa em cima de uma calçada na avenida. Minutos depois, o homem chegou afirmando que a moto a pertencia. Ao verificar a situação, foi visto que a moto estava irregular há pelo menos 2 anos e com várias multas, além de estar sem placa e em cima de uma calçada.

De acordo com o guarda, no momento que ele foi encaminhar a moto para o reboque, o dono do veículo quis suborná-lo. “O que eu posso fazer para te ajudar? Ele disse isso me oferecendo R$ 150, e foi nessa hora que eu o levei para a delegacia”, explicou o agente.

Porém, de acordo com o inspetor Marcílio Távora, diretor adjunto da Guarda Municipal de Fortaleza, o caso terá que ser investigado. “Colhemos o relatório e vimos superficialmente o vídeo. Estamos avaliando toda a situação, pois já fomos indagados que a atitude do agente pode ter dado compreensão ambígua, e não é nossa função. Temos que dar o parecer de forma direta”, explica.

O inspetor Marcílio adianta que, caso seja verificado um exagero ou até mesmo uma indução de suborno do guarda ao motociclista, ele poderá sofrer algum tipo de punição. No diálogo, gravado no vídeo, é possível ouvir o guarda perguntando, pouco antes da ordem de prisão: “O que você pode fazer pela gente?”

Publicidade

Dê sua opinião

POLÊMICA NA CIDADE

Família de motociclista acusado de suborno por guarda pede que ele seja libertado

Antonio Anderson, de 23 anos, defende-se que foi induzido à tentativa de suborno pelo guarda, que filmava a ocorrência

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

30 de agosto de 2017 às 10:53

Há 3 meses
A família pede Justiça (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

A família pede Justiça (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

A família do estudante universitário Antonio Anderson, acusado de tentativa de suborno a um Guarda Municipal na última segunda-feira (28), está inconformada com a situação do jovem, que está preso no 34º Distrito Policial, em Fortaleza.

Na terça-feira (29), familiares, amigos e vizinhos se reuniram em frente à residência localizada no Bairro Carlito Pamplona, para pedir que o jovem seja libertado da prisão.

A prima do jovem Lucélia de Oliveira defende o familiar e acredita que ele foi induzido ao suborno. “Quando ele fala ‘o que você pode fazer por nós’ é o que? E ainda fica fazendo gracinha, zombando da cara dele. Ele foi induzido a oferecer dinheiro, foi um desespero”, desabafa.

O motociclista estava com a licença vencida e com várias multas. Sobre isso a familiar disse que ele iria resolver a situação.

“Ele sofreu um assalto e tem até o Boletim de Ocorrência (ela estava com o B.O. em mãos), conseguiu recuperar a moto, ela estava cheia de multas. Mas ele ainda ofereceu ao guarda para vir na casa dele para mostrar, e ele arrumaria o dinheiro para pagar. Ele não precisava fazer aquilo com meu primo”, acredita.

Outra parente de Antonio Anderson fala que a família deseja que, se ele tiver que responder algum processo, seja em liberdade.

“Ele não é um traficante, não é um criminoso e não merece estar preso. Nós corremos atrás do nosso ‘ganha pão’ todos os dias. Se ele tiver que pagar alguma coisa, que ele pague, mas fique em liberdade. Ele não pode ficar é preso como um marginal, coisa que ele não é”, afirma.

Relembre o caso

Um homem de 23 anos foi encaminhando ao 1º Distrito Policial ao ser acusado de tentar subornar um agente da Guarda Municipal, nesta segunda-feira (28), na Avenida Francisco Sá, em Fortaleza.

O caso acontece quando um agente da guarda viu uma moto sem placa em cima de uma calçada na avenida. Minutos depois, o homem chegou afirmando que a moto a pertencia. Ao verificar a situação, foi visto que a moto estava irregular há pelo menos 2 anos e com várias multas, além de estar sem placa e em cima de uma calçada.

De acordo com o guarda, no momento que ele foi encaminhar a moto para o reboque, o dono do veículo quis suborná-lo. “O que eu posso fazer para te ajudar? Ele disse isso me oferecendo R$ 150, e foi nessa hora que eu o levei para a delegacia”, explicou o agente.

Porém, de acordo com o inspetor Marcílio Távora, diretor adjunto da Guarda Municipal de Fortaleza, o caso terá que ser investigado. “Colhemos o relatório e vimos superficialmente o vídeo. Estamos avaliando toda a situação, pois já fomos indagados que a atitude do agente pode ter dado compreensão ambígua, e não é nossa função. Temos que dar o parecer de forma direta”, explica.

O inspetor Marcílio adianta que, caso seja verificado um exagero ou até mesmo uma indução de suborno do guarda ao motociclista, ele poderá sofrer algum tipo de punição. No diálogo, gravado no vídeo, é possível ouvir o guarda perguntando, pouco antes da ordem de prisão: “O que você pode fazer pela gente?”