Estupro de criança de 11 anos será investigado pela Controladoria Geral de Disciplina

INVESTIGAÇÕES

Estupro de criança de 11 anos será investigado pela Controladoria Geral de Disciplina

Garota acompanhava a mãe para fazer uma visita ao pai, que cumpre pena. O suspeito pelo crime, outro interno da unidade, já foi identificado

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

19 de outubro de 2018 às 15:44

Há 4 semanas
Presidio em referência a Controladoria Geral instaura inquérito para apurar estupro de criança em presidio

O caso aconteceu sábado na CPPL V (FOTO: Reprodução/ Barra Pesada/ TV Jangadeiro)

O estupro de uma criança de 11 anos em uma unidade prisional no Ceará será investigado pela Controladoria Geral de Disciplina (CGD), da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

O caso aconteceu no último sábado (13), na Casa de Privação Provisória de Liberdade V, em Itaitinga, Região Metropolitana de Fortaleza.

A garota acompanhava a mãe para fazer uma visita ao pai, que cumpre pena. O suspeito pelo crime, outro interno da unidade, já foi identificado e segue isolado até a conclusão das investigações.

Ela teria sido atraída por um interno para uma área isolada da penitenciária e sofreu agressão. Em entrevista à Tribuna BandNews FM, o advogado da família da vítima, Ricardo Maia, comentou que os pais da criança pretendem processar o Estado. “O estado tem responsabilidade civil, direta e objetiva nesse assunto e isso aí nós vamos buscar reparação”. 

Ele ainda comentou que uma criança de 11 anos, perante a lei, é considerada vulnerável ou hiper vulnerável. “Ela estava com sua mãe nas dependências de um órgão estatal, que tem que dar toda segurança, proteção, qualidade e reparação nesse caso. Tanto no ponto de vista de superação desse trauma, indenização desse dano, quanto para efeito pedagógico”. E afirmou que o estado tem que rever, corrigir e realinhar suas ações. “Para que uma barbárie dessa não venha a ocorrer novamente”.

As visitas de crianças a internos do sistema judiciário que respondam por crimes contra a dignidade sexual foram suspensas pela Secretaria da Justiça do Ceará (Sejus) um dia após o crime.

Em nota, a CGD informou que, até o momento, não existem denúncias envolvendo agentes penitenciários sobre o caso e que respeita e luta pelo reforço das ações dos direitos e garantias da criança e do adolescente vítima de violência. “Adotando medidas de proteção que determina a lei 13.431/2017”. Ainda afirmou que o inquérito policial está sob responsabilidade da Delegacia de Itaitinga.

Confira áudio da Tribuna BandNews FM:

Publicidade

Dê sua opinião

INVESTIGAÇÕES

Estupro de criança de 11 anos será investigado pela Controladoria Geral de Disciplina

Garota acompanhava a mãe para fazer uma visita ao pai, que cumpre pena. O suspeito pelo crime, outro interno da unidade, já foi identificado

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

19 de outubro de 2018 às 15:44

Há 4 semanas
Presidio em referência a Controladoria Geral instaura inquérito para apurar estupro de criança em presidio

O caso aconteceu sábado na CPPL V (FOTO: Reprodução/ Barra Pesada/ TV Jangadeiro)

O estupro de uma criança de 11 anos em uma unidade prisional no Ceará será investigado pela Controladoria Geral de Disciplina (CGD), da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

O caso aconteceu no último sábado (13), na Casa de Privação Provisória de Liberdade V, em Itaitinga, Região Metropolitana de Fortaleza.

A garota acompanhava a mãe para fazer uma visita ao pai, que cumpre pena. O suspeito pelo crime, outro interno da unidade, já foi identificado e segue isolado até a conclusão das investigações.

Ela teria sido atraída por um interno para uma área isolada da penitenciária e sofreu agressão. Em entrevista à Tribuna BandNews FM, o advogado da família da vítima, Ricardo Maia, comentou que os pais da criança pretendem processar o Estado. “O estado tem responsabilidade civil, direta e objetiva nesse assunto e isso aí nós vamos buscar reparação”. 

Ele ainda comentou que uma criança de 11 anos, perante a lei, é considerada vulnerável ou hiper vulnerável. “Ela estava com sua mãe nas dependências de um órgão estatal, que tem que dar toda segurança, proteção, qualidade e reparação nesse caso. Tanto no ponto de vista de superação desse trauma, indenização desse dano, quanto para efeito pedagógico”. E afirmou que o estado tem que rever, corrigir e realinhar suas ações. “Para que uma barbárie dessa não venha a ocorrer novamente”.

As visitas de crianças a internos do sistema judiciário que respondam por crimes contra a dignidade sexual foram suspensas pela Secretaria da Justiça do Ceará (Sejus) um dia após o crime.

Em nota, a CGD informou que, até o momento, não existem denúncias envolvendo agentes penitenciários sobre o caso e que respeita e luta pelo reforço das ações dos direitos e garantias da criança e do adolescente vítima de violência. “Adotando medidas de proteção que determina a lei 13.431/2017”. Ainda afirmou que o inquérito policial está sob responsabilidade da Delegacia de Itaitinga.

Confira áudio da Tribuna BandNews FM: